Arquivo diário: 24/12/2009

Feliz Natal!

A torcida também ficaria satisfeita se o nosso presente fosse essas cheerleaders ao lado do Coyote-noel

Caro torcedor do San Antonio Spurs. Hoje é véspera Natal para a maioria dos povos mundiais. Dia de comer bastante, de tomar algumas – ou todas – e ganhar muitos presentes da família, amigos e adjacentes.

Como torcedor fanático, acho que ainda dá tempo de fazer os meus pedidos para o ‘bom velhinho’. Espero que ele seja generoso e atenda todas as minhas ‘humildes’ preces para 2010.

Abaixo vai o rascunho de minha carta ao Papai Noel

– Caro Papai Noel: gostaria que o Sr. fizesse o Tim Duncan, o Manu Ginobili, o Michael Finley, o Antonio McDyess e o Theo Ratliff jogarem como se estivessem com 26 anos, no auge da forma física e técnica.

– Caro Papai Noel: será que o Matt Bonner poderia arremessar um pouquinho menos bolas de três pontos por jogo? Só um pouquinho…

– Caro Papai Noel: sabendo que o Keith Bogans é um dos maiores cestinhas da história de sua universidade, seria possível transformá-lo num Bruce Bowen melhorado?

– Caro Papai Noel: teria como fazer o Richard Jefferson jogar como na época do Nets e o Tony Parker como na última temporada?

– Caro Papai Noel: teria como desligar a pilha do George Hill e do Roger Mason na hora deles armarem o jogo? Ninguém merece aquele ataque desordenado e afobado.

– Caro Papai Noel: é possível transformar o DeJuan Blair no substituto do Duncan? Vou mais longe: o Sr. trará o Tiago Splitter para o ano que vem?

– Caro Papai Noel: há a possibilidade de dispensar o Marcus Haislip?

– Caro Papai Noel: tem como tirar o estigma de ‘eterna promessa’ do Ian Mahinmi?

– Caro Papai Noel: um dos meus últimos pedidos é transformar o Malik Hairston no ‘Air San Antonio’, no melhor estilo Vince Carter. Sei que essa é fácil…

Para finalizar…

– Caro Papai Noel: tem como trazer o pentacampeonato da NBA para San Antonio esse ano?

Sei que é difícil e que todos os torcedores de todos os times têm pedido isso constantemente. Caso seja impossível, pelo menos uma boa escolha de draft eu sei que o Sr. poderia nos proporcionar, né?

Muito grato, em nome de toda a torcida do San Antonio Spurs.

Aproveitando a correria do Natal, três vídeos do Youtube que valem a pena!

O primeiro é o trio do Hornets cantando música de Natal. Destaque para a cantoria do Ryan Bowen, que deveria largar o basquete e virar cantor. Com certeza faria mais sucesso…

O segundo também é uma cantoria, só que da galera do Houston Rockets. Podemos ver o Shane Battier brisando e o Yao Ming perdidasso!

O último é o Natal do Pistons embalado por Rasheed Wallace.

Anúncios

Spurs (15-11) vs. Blazers (19-12) – Quem segura Jerryd Bayless?

94X98

O San Antonio Spurs recebeu, no AT&T Center, a desfalcada equipe do Portland Trail Blazers e acabou derrotado, perdendo a chance de ultrapassar o Houston Rockets e do próprio Blazers na classificação. Além das ausências já previstas, o Blazers também não pode contar com sua maior estrela, o ala-armador Brandon Roy, que de última hora foi vetado com dores no ombro. Foi a chance que Jerryd Bayless precisava.

Duncan e Jefferson jogaram bem mas não evitaram a derrota. (AP Photo)

Bayless foi arrasador na partida. Marcou 31 pontos – sua maior marca na carreira – e atormentou a defesa texana desde o início. Ao lado do armador, LaMarcus Aldridge foi um dos líderes da equipe no primeiro período. Foram oito pontos do ala-pivô, que ajudaram na construção do placar de 28 a 24 para os visitantes.

Bayless foi a grande estrela da noite. (AP Photo)

No segundo quarto o time de San Antonio marcou os quatro primeiros pontos e tomou a frente no placar. Mas foi apenas por alguns segundos, pois, nos dois ataques seguintes, Bayless converteu quatro pontos e devolveu a liderança para o time de Portland. Restando pouco mais de cinco minutos, o Spurs novamente virou para 39 a 36 graças a Tim Duncan, que converteu uma bandeja, sofreu falta e acertou o lance livre de bonificação.

Mas novamente a liderança não se sustentou por muito tempo. Martell Webster, com pontaria certeira, converteu duas bolas de 3 pontos consecutivas e recolocou sua equipe à frente. No intervalo o placar era de 48 a 47 para os visitantes.

Os comandados de Gregg Popovich sofriam para tentar parar Bayless e Aldridge, mas não obtinham sucesso. O time do Texas mantinha-se atrás no marcador, embora por uma pequena desvantagem, mas sem conseguir tirá-la. Richard Jefferson e Tim Duncan faziam boa partida, mas a pontaria ruim de Ginobili nos tiros de longe pesou contra a equipe. O argentino acertou apenas um dos cinco arremessos de 3 pontos que tentou.

O último quarto teve início com o placar de 75 a 69 e, embora se aproximasse em alguns momentos, o Spurs em nenhum instante conseguiu passar à frente. Restando 27 segundos, Tim Duncan recebeu passe de Roger Mason, fez a bandeja e reduziu para apenas dois pontos a vantagem adversária, 98 a 96. Na posse seguinte, Bayless errou o arremesso restando apenas três segundos, mas o rebote ofensivo ficou com André Miller, que rapidamente sofreu falta. O armador converteu os dois lances livres que teve direito e sacramentou a derrota em casa dos texanos.

Veja os melhores momentos da partida

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Tim Duncan – 24 pontos e 11 rebotes

Richard Jefferson – 18 pontos

Roger Mason – 16 pontos, cinco rebotes e quatro assistências

Tony Parker – 16 pontos e quatro assistências

Portland Trail Blazers

Jarryd Bayless – 31 pontos e sete assistências

LaMarcus Aldridge – 22 pontos e oito rebotes

Juwan Howard – 12 pontos e 12 rebotes