Arquivo diário: 12/11/2009

Com ou sem Keith Bogans?

SPURS - NA LINHA DOS 3 - NOVO

Raptors Spurs Basketball

Bogans faz o que sabe de melhor: marcar!

A era Popovich foi marcada por uma ótima defesa e um ataque oportunista, que dificilmente perdia suas chances. Como todo ciclo da humanidade, no entanto, jogadores ficam velhos e por consequência passam a sentir o peso da idade. Foi o que aconteceu em muitos casos, como os de Bruce Bowen, Michael Finley e do próprio Tim Duncan.

Quando eventos como esses ocorrem, a maioria das equipes passa por uma fase de transição, que pode tanto levar poucos anos quanto ser bastante duradoura. São questões complicadas, que englobam competência e sorte. San Antonio, por exemplo, teve a competência de escolher um jogador como George Hill – que estava cotado apenas para a segunda rodada do penúltimo draft – no final do primeiro round. Num caso mais recente, o ala-pivô DeJuan Blair foi selecionado tarde, só na segunda rodada. Podemos dizer que, além da competência costumeira, San Antonio teve sorte, pois ninguém olhou para um grande potencial como Blair antes.

Falando em competência, os diretores texanos mexeram os pauzinhos como nunca nessa offseason. Nomes de peso chegaram, como o experiente Antonio McDyess e o plástico Richard Jefferson. Junto a eles, veio um outro jogador, também experiente, mas que ninguém deu nada por ele. Keith Bogans é aquele cara que passa despercebido pela maioria das equipes, já que está longe de ser uma atleta sensacional. De fato, é um ala apenas mediano, mas que, se fomos analisar bem, tem sua importância dentro de um elenco vencedor.

Gregg Popovich teve dificuldades para acertar o time nesse começo de temporada. O gladiador Bruce Bowen, que era implacável na marcação e um dos grandes símbolos dessa era vencedora, saiu, se aposentou. Com isso, parecia difícil encontrar alguém que pudesse substituí-lo a altura. Richard Jefferson era o sucessor natural de Bowen; contudo, sofreu problemas para brecar os pontuadores adversários nos primeiros jogos. Sem muitas saídas e com uma defesa que mais parecia uma peneira, Pop resolveu experimentar com Bogans.

Nem o mais otimista torcedor do Spurs poderia acreditar que Keith Bogans se encaixaria como uma luva no esquema do treinador. Se alguém apostou que ele não teria sucesso, quebrou a cara, pois em dois jogos como titular o ala mostrou que tem condições de brigar por uma vaga entre os cinco que começam. Talento? Particularmente creio que Richard Jefferson, Roger Mason e até mesmo George Hill têm mais talento do que o voluntarioso Bogans. No entanto, uma equipe vencedora precisa de atletas desse tipo, que se doem, que deem o sangue em quadra e joguem em prol do elenco, sem se preocupar com stats, sem perfumaria. Se Keith Bogans realmente provar ser um desses caras, terá vida longa no elenco de Popovich.

Spurs tem cinco atletas na votação do All-Star Game 2010

Começou, na última terça-feira (10), a votação do público para o All-Star Game 2010. Nas cédulas de votação feitas pela NBA estão presentes os nomes de cinco jogadores do San Antonio Spurs. São eles: Tim Duncan; Tony Parker; Manu Ginobili; Richard Jefferson; Antonio McDyess.

A jogo das estrelas da NBA ocorrerá dia 14 de fevereiro, no Cowboys Stadium, localizado na cidade de Dallas, Texas. As votações podem ser feitas através do site do All-Star Game até o dia 18 de janeiro, e cada pessoa pode votar apenas uma vez por dia. É necessário se cadastrar antes de votar pela primeira vez. Para quem já participou da votação no ano, passado basta utilizar o mesmo login e senha para escolher seus jogadores preferidos.

Os jogadores estão separados em três categorias: guards (armadores),  em que concorrem Parker e Ginobili, forwards (alas), em que concorrem Richard Jefferson e Tim Duncan,  e center (pivô), em que concorre Antonio McDyess. Os titulares eleitos pelo público serão divulgados dia 21 de janeiro.

Spurs (4-3) vs. Mavericks (5-3) – Temporada Regular – Vitória no duelo do Texas

92X83

O San Antonio Spurs levou a melhor no clássico texano desta noite contra o Dallas Mavericks. Sem Tony Parker, lesionado, e  Tim Duncan, vetado pelo departamente médico instantes antes do início da partida, coube a Richard Jefferson liderar a equipe para a vitória e retribuir a confiança depositada pela torcida.

Mavericks Spurs Basketball

Richard Jefferson (centro) e Keith Bogans (dir.) foram os principais responsáveis pela vitória. (AP Photo/Darren Abate)

Popovich mandou à quadra George Hill, Keith Bogans, Richard Jefferson e surpreendeu com a escalação de DeJuan Blair e Antonio McDyess no garrafão. Os visitantes iniciaram com sua formação tradicional, com Kidd, Howard, Marion, Nowitzki e Dampier. Após seis minutos e meio jogados, o Spurs chegou a abrir 16 a 8, mas permitiu a reação e o empate por 21 a 21 ao fim do primeiro quarto.

O segundo período foi quando a partida foi decidida. Depois de um começo equilibradado, os donos da casa passaram a abrir vantagem quando restavam a cerca de seis minutos para o fim do quarto. Graças a uma sequência de quatro bolas de três (Bogans, Hill e Ginobili [2x]) em quatro ataques seguidos, o Spurs abriu nove pontos. A diferença chegou a 14 quando as equipes foram para os vestiários, com o placar apontando 51 a 38.

Na volta do intervalo, o jogo continuou sob o domínio do Spurs. A diferença manteve-se sempre acima dos dez pontos, e as bolas de três pontos seguiam caindo.

O último quarto ainda reservava um pouco de emoção para a torcida presente no AT&T Center. O Spurs permitiu a reação do Mavs e, restanto cerca de quatro minutos para o fim, a diferença chegou a apenas quatro pontos. Coube a Matt Bonner, em um arremesso certeiro de longe, e Jefferson, com uma bandeja, a missão de retomar o controle do jogo, elevando a diferença para nove pontos. A partir daí, a equipe de Dallas não mostrou forças para reagir novamente e a festa tomou conta do ginásio.

Vejam os melhores momentos da partida

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Richard Jefferson – 29 pontos, sete rebotes e quatro assistências

Keith Bogans -13 pontos (3-6 nos arremessos de três pontos)

Manu Ginobili – 13 pontos, quatro rebotes e cinco assistências

George Hill – 11 pontos e sete rebotes

Matt Bonner – 11 pontos e nove rebotes

Antonio McDyess – Nove pontos e nove rebotes

Dallas Mavericks

Dirk Nowitzki – 29 pontos (33% no arremessos de quadra) e 12 rebotes

Jason Terry – 19 pontos

Shaw Marion – 11 pontos e nove rebotes