Arquivo diário: 05/09/2009

Bruce Bowen anuncia aposentadoria

O tricampeão Bruce Bowen anunciou a sua aposentadoria aos 38 anos de idade após ser dispensado pelo Milwaukee Bucks. Depois de 12 temporadas sendo sempre considerado um dos melhores defensores da liga, foi selecionado 8 vezes para compor o time defensivo da NBA.

Ao lado de Duncan, Ginóbili e Parker e comandado pelo treinador Gregg Popovich, Bowen conquistou 3 campeonatos, sempre marcando o melhor atacante do time adversário. Desde armadores como Chris Paul e Steve Nash a grandalhões como Dirk Nowitzki sentiram na pele a marcação apertada do ala do Spurs.

Muitos criticam a sua defesa e chamam de “jogo sujo”; outros reconhecem e encaram como um desafio. Seu bom condicionamento físico lhe rendeu uma sequência de 500 jogos, até que foi suspenso por uma partida após chutar o armador Chris Paul do New Orleans.

Brasil x Canadá – Copa América – Semi-Final

Brasil x Canadá – Copa América – Semi-Final

Data: 05/09/2009

Horário: 19:30 (Horário de Brasília)

Local: Coliseu Roberto Clemente (San Juan, Porto Rico)

Situação do Jogo

A seleção brasileira conseguiu garantir a primeira colocação nos últimos segundos da partida contra Porto Rico, quando perdeu sua invencibilidade, porém a diferença de quatro pontos no placar garantiu pegar um adversário teoricamente mais “fraco”. Esse adversário é o Canadá, que alcançou a classificação para as semi-finais e para o Mundial de 2010 em partida emocionante contra a República Dominicana, e foi também a seleção contra quem o selecionado brasileiro fez uma das piores partidas no torneio. O Brasil busca “matar” mais uma vez os canadenses e chegar a final, mas dessa vez deve ser mais difícil, pois eles vem empolgados pela classificação na última rodada.

Foto por Reuters

Foto por Reuters

Brasil

PG – Marcelo Huertas

SG – Leandro Barbosa

SF – Alex Garcia

PF – Anderson Varejão

C – Tiago Splitter

Fique de olho – O ala-armador do Phoenix Suns, Leandro Barbosa, foi poupado das partidas contra Uruguai e Porto Rico e volta na semi-final para comandar o time brasileiro à final do torneio. Barbosa tem médias de 20.5 pontos, 2.1 assistências e 60% (48-80) nos arremessos de quadra na Copa América.

Foto por Reuters

Foto por Reuters

Canadá

PG – Jermaine Anderson

SG – Andy Rautins

SF – Olu Famutimi

PF – Levon Kendall

C – Joel Anthony

Fique de olho – Pivô do Miami Heat, Joel Anthony, é o único jogador da seleção canadense na Copa América que joga na NBA. Sem Carl English, que deixou o time do Canadá por problemas pessoais, Anthony se tornou a referência do time. Ele mantém médias de 8.6 pontos e 4.9 rebotes no torneio.

O que o fracasso dominicano ensina

A República Dominicana tinha um projeto nobre nesta Copa América. Queria classificar sua equipe de basquete masculino para uma grande competição, o que não acontecia há 31 anos – a última participação representativa da seleção foi no Mundial de 1978.

Para isso, foram chamados para serem parte do projeto quatro jogadores da NBATrevor Ariza, Francisco Garcia, Charlie Villanueva e Al Hortford. Os três últimos atenderam à convocação.

A presença dos três, colocou, pelo menos a princípio, a seleção entre as principais favoritas ao título da Copa América. Porém, ontem, a derrota da equipe frente à inexpressiva seleção do Canadá tirou qualquer chance do país de quebrar o tabu e voltar a participar de um Mundial.

O ocorrido apenas mostra que um amontoado de bons jogadores, se não tiver um bom padrão de jogo, não leva uma equipe a lugar algum. Garcia, Villanueva e Hortford – principalmente os dois últimos – não têm mais as características do basquete do Caribe, de velocidade e arremessos de longe, que consagrou a seleção de Porto Rico nos últimos tempos. Assim, a equipe dominicana perdeu sua “cara”.

Não faltou comprometimento dos astros – Villanueva, inclusive, postou em seu Twitter dizendo que o jogo de ontem era mais do que basquetebol, porque dizia respeito a seu país, a sua família, a sua cultura, sua nação. Por isso, lamento um pouco o infortúnio de sua equipe.

Por outro lado, fica uma lição; vale mais apostar em uma seleção com um bom padrão de jogo – como são, por exemplo, Grécia e Lituânia – do que em um time formado – ou não – por um punhado de jogadores da NBA.

Brasil x Porto Rico – Copa América – Brasil perde a invencibilidade, mas garante o 1° lugar

A seleção brasileira não conseguiu manter sua invencibilidade na Copa América, sendo derrotada pelo time da casa, Porto Rico, mas conseguiu se classificar em primeiro por causa do placar da partida, que ficou em 82 a 86. Agora, o Brasil, que fugiu do confronto com a Argentina, enfrenta o Canadá, classificado no último confronto contra a República Dominicana.

Varejão comemora grande reação no último quarto para garantir primeira colocação(Foto por Reuters)

Varejão comemora grande reação no último quarto para garantir primeira colocação (Foto por Reuters)

Assim como no jogo contra o Uruguai, Leandrinho foi poupado, com Marcelo Machado o substituindo, mas Tiago Splitter apenas não iniciou a partida; em seu lugar, esteve Guilherme Giovannoni. O time brasileiro não se assutou com a torcida adversária e começou muito bem na marcação, principalmente com Alex em cima de Carlos Arroyo. Larry Ayuso fez oito pontos no primeiro quarto, mas o Brasil, com Machado anotando a mesma quantia de pontos, terminou vencendo em 20 a 13.

Marcelo Machado não conseguiu impedir a perda da invencibilidade para Porto Rico (Foto por Reuters)

Marcelo Machado não conseguiu impedir a perda da invencibilidade para Porto Rico (Foto por Reuters)

No segundo quarto, a defesa continuava a funcionar bem e os brasileiros abriram dez pontos de vantagem. Os portorriquenhos, entretanto, melhoraram um pouco a marcação, e quando suas bolas de longe voltaram a cair, foram reagindo. O Brasil caiu na armadilha de apelar para os chutes de três, e com 17 pontos no período de Angel Vassallo, Porto Rico foi para ao intervalo com a vantagem, vencendo por 34 a 38.

O Brasil voltou a trabalhar bem a bola no terceiro quarto, mas os arremessos da seleção portorriquenha continuavam a cair. Quando os brasileiros conseguiam encostar, eles conseguiam se distanciar novamente. Após uma falta técnica de Moncho Monsalve, os donos da casa dispararam no placar, e com 12 pontos de Arroyo no período, eles foram para a última parte da partida na vantagem de 51 a 67, o que fez a torcida se incendiar.

O time brasileiro tentava reagir mas não cosneguia, e após um contra-ataque falho, Huertas reclamou fortemente da arbitragem, e recebeu falta técnica. Moncho também recebeu, o que resultou em sua expulsão, e Tiago Splitter levou mais uma. Resultado: seis lances livres para Ayuso, que converteu todos e levou a diferença a 19. Mesmo assim, a equipe verde e amarela conseguiu reunir forças para reagir. Com uma cesta espetacular de Varejão a 13 segundos do fim, a vantagem caiu para quatro, o suficiente para evitar o confronto com a Argentina. Após essse lance, o jogo chegou ao fim e os brasileiros comemoraram a derrota por 82 a 86.

Brasil

Anderson Varejão – 22 pontos, 10 rebotes, 3 roubos de bola e 66,7% (2-3) nos arremessos de três pontos

Tiago Splitter – 19 pontos, 8 rebotes e 60% (9-15) nos arremessos de quadra

Marcelo Machado – 15 pontos

Alex Garcia – 11 pontos e 3 roubos de bola

Guilherme Giovannoni – 11 pontos

Marcelo Huertas – 6 assistências e 5 rebotes

Porto Rico

Larry Ayuso – 25 pontos, 5 rebotes e 100% (11-11) nos lances livres

Angel Vassallo – 20 pontos, 6 rebotes e 100% (8-8) nos arremessos de quadra

Carlos Arroyo – 16 pontos, 6 assistências e 5 rebotes