Arquivo diário: 29/08/2009

Argentina em momento delicado

Confesso ser um fã relativamente recente de basquete – comecei a acompanhá-lo após a Olimpíada de 2004, amplamente dominada pela Argentina. Por isso, nada mais justo do que escolher o San Antonio Spurs como meu time do coração na NBA; equipe que contaria com o grande maestro daquele título, o ala-armador Manu Ginobili.

Antes que me critiquem, jamais passei perto de qualquer tipo de torcida pela Argentina. Sou brasileiro sempre e para sempre, e meu amor pelo basquete veio acompanhado da dor do ostracismo do nosso país – cenário que, agora, parece começar a mudar. Porém, não me sinto alegre com o momento que vejo nossos hermanos passarem.

Ver uma equipe desorganizada em quadra, sem o padrão tático e a garra que são marcas registradas nessa equipe, me deixa com a impressão de que o basquete mundial está perdendo algo. Claro, a Argentina deve estar sim no próximo Mundial – ainda que não entre os quatro da Copa América, deve receber um convite – e, com os retornos de Manu, Delfino, Nocioni e Oberto, entre outros, deve brigar por medalha.

De positivo para essa seleção, fica apenas o amor à camisa demonstrado por Luis Scola. Não apenas por fazer parte de uma equipe sem brilho, mas também pela dedicação que demonstra dentro de quadra, tentando levar o time nas costas. Uma pena que o ala-pivô não veio parar no San Antonio Spurs.

Porém, a Argentina deve ficar esperta com sua equipe já a médio prazo. Não vemos crescer uma geração com condições de, ao menos, honrar a anterior. Uma pena esse revezamento entre brasileiros e hermanos; gostaria de ver as equipes brigando por medalhas em pé de igualdade. E, claro, com o Brasil vencendo.

Anúncios