Os novos nomes do novo Spurs

Confesso que estou me empolgando com a movimentação que vem acontecendo em San Antonio nessa offseason. As contratações de Jefferson e McDyess montaram uma base sólida e experiente para os Spurs. E, além disso, alguns garotos vêm tendo bom desempenho na Liga de Verão de Las Vegas, o que pode rejuvenescer consideravelmente o plantel texano.

Um bom exemplo disso é o armador George Hill. “Veterano” dos Spurs nessa Summer League, o jogador vem comandando a equipe na defesa e no ataque, contribuindo com pontos, assistências, rebotes, infiltrações, arremessos… sem dúvidas, é um jogador que tem potencial para ir longe – é com certeza a melhor opção que temos para o descanso de Tony Parker desde que o francês tornou-se titular do time de San Antonio.

Outro que vem me animando é o ala-pivô DeJuan Blair. Um “achado” de Buford e Popovich, o jogador, apesar de baixo, usa sua excelente envergadura para mostrar-se um excelente reboteiro. Apesar dos problemas em seu joelho, prefiro ser otimista e acreditar que Blair fará parte da melhor rotação de garrafão dos texanos nas últimas temporadas.

E, por falar em garrafão, chegamos ao pivô francês Ian Mahinmi; uma prova de que, talvez, a renovação dos Spurs tenha começado antes do que o acreditado. O grandalhão vem passando por um momento de adaptação ao basquete americano e de recuperação do ritmo de jogo – uma vez que, na última temporada, sofreu com problemas físicos e não conseguiu participar, inclusive, das Ligas de Verão da última offseason.

O crescimento de Mahinmi e sua integração ao plantel principal, ao meu ver, podem ser o diferencial dos texanos para a temporada, uma vez que os outros cinco jogadores que devem compor a rotação do garrafão da equipe – Duncan, McDyess, Bonner, Blair e Haislip – são originalmente alas-pivôs. Sim, os dois primeiros podem fazer a 5; mas isso significaria que um dos dois teria de estar em quadra a todo momento, o que diminuiria consideravelmente o tempo em que atuariam juntos. Daí a importância de termos mais uma opção para a função de pivô.

Outra cara conhecida dos texanos atuando na Las Vegas Summer League é Malik Hairston, que pode atuar nas posições 2 e 3 – já fez as duas coisas em Vegas, mantendo-se sempre entre os principais pontuadores da equipe. Já assinou com a equipe principal e deve ser, ao lado do veterano Michael Finley, a principal opção para a rotação de Richard Jefferson.

Porém, nem tudo são boas notícias. A principal decepção, por enquanto, fica com o combo guard Jack McClinton, que chegou com status de grande arremessador e ainda não mostrou a que veio com a camisa do San Antonio Spurs, perdendo inclusive seu lugar de titular na equipe. Deve acabar na Liga de Desenvolvimento.

Além dele, os “europeus” Nando De Colo, combo guard, e James Gist, ala-pivô, também são cartas fora do baralho. O primeiro nem sequer entrou em quadra e deve seguir no Velho Continente; o segundo, que jogou na Itália na última temporada, não conseguiu sólidas atuações, e seu futuro deve ser a D-League ou o retorno à Europa.

A grata surpresa ficou por conta do mexicano Romel Beck. O ala atuou muito bem nas duas primeiras partidas e ganhou a vaga de titular – é bem verdade que, na terceira, não foi tão bem. Como os Spurs devem ter apenas 13 jogadores para a próxima temporada (Parker, Hill, Mason, Ginobili, Finley, Hairston, Jefferson, Blair, Bonner, Haislip, McDyess, Duncan e Mahinmi), Beck pode até beliscar uma vaguinha no elenco. Nível de NBA ele já mostrou que tem.

Outra má notícia é a não utilização do ala brasileiro Marquinhos. Apesar de achar que ele não tem nível para a NBA, acho sim que ele é um grande jogador e que pode integrar a seleção brasileira; inclusive brigando pela vaga de titular, já que a posição 3 é, ao lado da armação, a mais carente no Brasil. Acredito que Marquinhos consiga cavar uma vaguinha no basquete europeu para a próxima temporada.

Base forte e experiente, completada por jovens promissores. Essa deve ser a receita para esse novo San Antonio Spurs da temporada 2009-2010. E eu confesso estar ansioso para vê-lo em ação.

Anúncios

Sobre Lucas Pastore

Um dos fundadores do Spurs Brasil, seu maior orgulho na carreira jornalística. Formado em Jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie em 2010, é redator do UOL. Cobriu o basquete olímpico na Olimpíada de 2016 pelo LANCE!. Trabalhou também para Basketeria e mob36.

Publicado em 18/07/2009, em Na linha dos 3. Adicione o link aos favoritos. 3 Comentários.

  1. Penso que a equipa esta bem porem ha uma falha os spursnecessitam de um 5 de um pivo de um poste como de diz em PORTUGAL.
    Precisamos de um BIg-man.
    OK sei que neste momento a poucos postes mas penso que isso seria fundamental pois Duncan e francamente melhor ala-pivo do que a poste e mcdyess nao tem estatura para lutar contra bynums,
    Shaks e Howards.
    Sem um poste sera mais dificil mas penso que mesmo assim seremos uns dos favoritos.

  2. ESSE SITE NAO SERVIU PRA NDS EU ODIEI

  3. Guilherme Markus

    Intaum num volta mais o otário!
    Adorei o modo de pensar de vcs…

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s