Arquivo diário: 05/06/2009

Spurs Brasil marca presença em coletiva de Leandrinho

O jogador do Phoenix Suns e da seleção brasileira, Leandro Barbosa, concedeu na tarde desta sexta-feira uma entrevista coletiva na Universidade Metodista, em São Bernardo do Campo (SP). O objetivo da coletiva foi divulgar o novo projeto do armador, o “Leandrinho Basketball Camp”, um acampamento de uma semana com treinamentos para jovens atletas da cidade do ABC Paulista. Leandrinho também respondeu perguntas sobre NBA e seleção brasileira.

Foto por Victor Moraes

O projeto foi elaborado com apoio da Universidade e em conjunto com Vanderlei, ex-atleta da seleção brasileira e que hoje defende a equipe Metodista/São Bernardo, e visa dar uma oportunidade para os jovens amantes do basquete. “A gente sabe que temos muitos talentos, mas nem todos têm oportunidades”, declarou Leandrinho. “Eu nunca tive essa oportunidade que os jovens hoje vão ter”, completou.

Segundo os organizadores do evento, o Camp atenderá garotos entre 10 e 16 anos e meninas de 10 a 14 anos. As datas do acampamento são  de 07 a 11 e de 11 a 15 de julho.

Foto por Victor Moraes

Ainda durante a coletiva, Leandrinho comentou sobre a NBA, disse sofrer muito com a desgastante rotina de jogos e treinos e, sobre os boatos de ser trocado para outra equipe, Leandrinho desconversou, dizendo não saber sobre esses assuntos,  que seu desejo é de apenas jogar basquete. Ele revelou ainda que deseja encerrar a carreira no Brasil. O armador ainda falou sobre a rivalidade criada com o San Antonio Spurs: “É normal, é como Corinthians e Palmeiras”, disse o jogador. “Temos uma grande rivalidade com o San Antonio Spurs e o Dallas Mavericks, mas isso é algo normal”, enfatizou.

Sobre a possibilidade de ocorrem jogos com equipes da NBA no Brasil, Leandrinho revelou que isso deve ocorrer em breve, e que David Stern, comissário que comanda a NBA, já entrou em contato com ele algumas vezes para tratar desta possibilidade.

Perguntado sobre a seleção brasileira e o projeto de reestruturação do basquete nacional, Leandrinho acredita que as coisas estão no caminho certo e disse que tem conversado muito com o técnico da seleção, Moncho Monsalve, e com toda a comissão técnica. Fechando a entrevista, Barbosa falou sobre a polêmica com jogadores da NBA no último pré-olímpico e sobre participações futuras na seleção: “Todo mundo quer vestir a camisa verde e amarela, mas as vezes acontecem alguns problemas com nossas equipes, que não deixam a gente vir. Mas vamos ver. O Nenê quebrou o braço agora, o Varejão está com problema de contrato, vamos ver, mas vontade a gente sempre tem de jogar pela seleção”.

Draft 2009: Omri Casspi

http://imgcash2.imageshack.us/Himg10/scaled.php?server=10&filename=glauberlimpodk9.jpg&xsize=640&ysize=480

Foto por Euroleague

Foto por Euroleague

Com a proximidade do dia 25 de junho, data em que acontecerá em New York o Draft 2009, começam as especulações sobre quem serão as escolhas de cada time, e o Spurs não está longe desses boatos. O San Antonio tem as escolhas 37, 51 e 53, todas de segunda rodada. A principal movimentação que o time texano pode fazer seria pela possibilidade de recrutar o ala israelense Omri Casspi, de 20 anos e 2,03m.

Casspi não é um nome muito conhecido para os torcedores, mas especialistas sobre draft e a equipe técnica do Spurs sabem exatamente quem ele é. Ele joga a Euroleague desde os 17 anos, mais recentemente pelo Maccabi Tel Aviv. Desde então, ele é observado pelo San Antonio. Na atual temporada da Euroleague, teve médias de 8.8 pontos, 3.1 rebotes, 51,8% nos arremessos de dois pontos e 45% nos de três pontos em 17.2 minutos. Na liga israelense, a Ligat Winner, o ala teve médias de 13 pontos, 4.8 rebotes, 1.9 assistências, 65,5% nos arremessos de dois pontos e 38,6% nos de três pontos em 25.3 minutos. Omri também foi escolhido o melhor jogador israelense e foi selecionado para o primeiro time da Ligat Winner.

O atleta tem um bom arremeso na linha dos três pontos, sendo comparado com o estilo de jogo do ala Matt Harpring, do Utah Jazz. Um dos objetivos do San Antonio nessa off-season é adquirir jogadores jovens para as alas, e Casspi se encaixa perfeitamente neste plano.

Diferente de outros jogadores que jogam na Europa escolhidos pelo Spurs, como Tiago Splitter, Casspi declarou estar encantado coma possibilidade de jogar na NBA, e não se importaria de jogar por um salário menor para tornar esse sonho realidade.

Porém, existem alguns problemas que podem tirar o jogador da mão do time texano. Primeiramente, existem rumores de que ele poderia retirar seu nome do draft caso não tivesse garantia de ser escolhido na primeira rodada. No econtro pré-draft, realizado em Chicago, ele não negou exatamente esse rumor. No momento, ele é projetado pra ser a escolha de final da primeira rodada ou de início do segundo.

Além disso, o Spurs precisa fazer trocas para conseguir uma escolha de primeira rodada, já que cedeu a sua ao Oklahoma City Thunder fazendo parte da troca pelo Kurt Thomas em fevereiro 2008.

Ele não agendou nenhum treino com o time, mas o Spurs já tem todas as informações que necessita sobre o jogador.

Ops! Alguém anotou a placa?

brunoartigos

É VOCÊ MESMO! Kobe escolhe a dedo; Pietrus nem viu a cor da bola no massacre

É VOCÊ MESMO! Kobe escolhe a dedo; Pietrus nem viu a cor da bola no massacre

Quem leu este espaço há algumas horas atrás e está lendo novamente agora deve estar rindo da minha cara, pois, realmente, dediquei aqui quatro longos parágrafos para dizer que a série entre Orlando Magic e Los Angeles Lakers seria uma das mais equilibradas e emocionantes dos últimos anos. Agora, após o encerramento do jogo um, vejo que houve um massacre angelino no Staples Center; 100 a 75. Gostaria de frizar que mantenho o meu parecer sobre a série e classifico o acontecido de hoje como um evento atípico. Porque?

Porque o Orlando teve uma péssima noite, o que está sujeito a acontecer com qualquer equipe, por melhor que ela seja. Dwight Howard teve problemas de falta logo no início do jogo, o que complicou ainda mais para o Magic, que até conseguiu levar o embate equilibrado para o segundo tempo. Ou seja, a pane geral nos comandados de Stan Van Gundy aconteceu APENAS no tempo derradeiro – algo realmente bastante atípico na campanha de Orlando. Foi incrível como o time estava perdido e apático em quadra.

Com um massacre inesquecível, alguma coisa de bom ficou para ser lembrada?

Claro. Apesar da sonora derrota os torcedores do Magic podem comemorar, após quatro longos meses o armador titular da equipe, Jameer Nelson, voltou às quadras. E fez bonito nos minutos inicias; tentou infiltrar, deu belas assistências, chamou o jogo. Infelizmente, a falta de ritmo apareceu após alguns minutos a mais em quadra, mas já era de se esperar essa queda de rendimento. O bom foi que os diretores da Flórida agiram rápido após o problema no ombro de seu armador; Rafer Alston chegou, e, apesar de ser pouco lembrado pela liga, conseguiu armar o Magic com bastante competência.

Algo que foi muito legal de se ver foi a partida feita pelo ala Kobe Bryant. Com muita determinação, ele conseguiu carregar a equipe do Lakers em todos os sentidos – dentro de quadra e fora, com explosões de empolgação a todo o instante. É muito bom ver esse tipo de jogador, vibrante, que cativa os companheiros. Kobe vem provando a cada dia que deixou de ser aquele jogador egoísta, fominha, que gerou, inclusive, essa grande quantidade de pessoas que o odeiam na atual conjuntura da liga. Agora, infelizmente, parece que já é tarde para tentar refazer uma imagem, pois essas coisas ficam marcadas para o resto da carreira. Quem acompanha de perto, pelo menos, sabe que ele mudou muito de uns tempos pra cá, amadureceu como pessoa e principalmente como jogador, e é, sem dúvidas, o grande jogador após Michael Jordan. LeBron James que me desculpe, mas nessa disputa eu sou Kobe desde criancinha. Vamos esperar ao longo dos anos para ver o que o King James tem a nos oferecer.

Em tempo, Kobe Bryant fez 40 pontos, pegou oito rebotes e distribuiu oito assistências. O jogo dois da série entre Lakers e Magic acontece no próximo domingo, novamente no Staples Center.