Arquivo diário: 25/04/2009

Spurs (1) @ Mavericks (3) – Jogo 4 – Na corda bamba

90X99

Jogando a segunda partida seguida da série em Dallas, o San Antonio Spurs foi novamente derrotado pela equipe da casa, o Mavericks, mesmo com as grandes atuações de Tony Parker e Tim Duncan. Agora, a equipe terá que vencer três partidas seguidas se quiser passar à próxima fase dos playoffs.

Parker tenta passar pela defesa dos Mavs; o armador bem que tentou. Fonte: cbssports.com

Parker tenta passar pela defesa dos Mavs; o armador bem que tentou. Fonte: cbssports.com

Popovich começou o jogo com uma surpresa entre os titulares; com Bowen no lugar de Mason, ele tornou a equipe bastante parecida com a vice-campeã da Conferência Oeste em 2008. Assim, o ala-armador teoricamente passaria a exercer efetivamente a função de Manu; um guard pontuador vindo do banco de reservas.

Em boa tarde, Kidd ajudou na vitória do Mavs

Em boa tarde, Kidd ajudou na vitória do Mavs

A partida começou promissora para o time visitante, com Parker e Duncan mostrando que estavam dispostos a conduzir sua equipe à vitória. Os primeiros 11 pontos dos Spurs na partida saíram de dois arremessos e três assistências do armador francês. Do outro lado, Jose Juan Barea e Josh Howard mantinham os Mavericks no jogo. Com pouco mais de meio quarto por jogar, Bonner fez sua segunda falta e teve que sentar. Com Bowen titular, os Spurs abriam vantagem, mostravam a defesa que estamos acostumados a ver, forçando o Dallas a cometer um turnover atrás do outro. No fim do período, a equipe da casa reagiu, comandada por seus homens de perímetro Kidd, Terry e Howard, e acabou o primeiro quarto vencendo por 32 x 29.

O segundo período começou com os Mavs abrindo vantagem. Bonner, novamente, fez mais uma falta logo de cara e voltou a ser uma opção a menos para Popovich. O Dallas mandava na partida e os Spurs não conseguiam encostar no placar, até que, faltando pouco menos de cinco minutos para o fim do quarto, Parker acertou a mão e, com duas bolas de três seguidas, devolveu seu time ao páreo. Os Spurs voltaram a acertar sua defesa e viraram a partida, descendo para os vestiários vencendo por 55×51.

Finley tenta marcar jogadacaracterística de Nowitzki; o ala-pivô alemão dominou seus rebotes e ajudou sua equipe. Fonte: cbssports.com

Finley tenta marcar jogada característica de Nowitzki; o ala-pivô alemão dominou os rebotes e ajudou sua equipe. Fonte: cbssports.com

Com o terceiro quarto, veio a excelente reação do Dallas Mavericks na partida. Comandados pelo ala Josh Howard, os mandantes encaixaram a marcação em Parker e Duncan, únicos Spurs a brilharem na partida até aqui, e, dominando os rebotes, venceram o período por estonteantes 29 pontos a 16, entrando no quarto derradeiro vencendo por 80×71.

O período final começou com os Spurs tentando, sem sucesso, cortar a vantagem adversária com bolas de três pontos. Parker comandava uma tentativa de reação dos visitantes; em determinados momentos do quarto, ele tinha mais de metade dos pontos de seu time. Duncan era o único pilar de sustentação do armador francês; mesmo assim, a dupla conseguia deixar seu time no páreo. Porém, apenas os dois astros não foram suficientes para tirar a vitória do Dallas Mavericks.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Tony Parker – 43 pontos, cinco rebotes, quatro roubadas, três assistências

Tim Duncan – 25 pontos, nove rebotes, seis assistências, duas roubadas

Dallas Mavericks

Josh Howard – 28 pontos, quatro rebotes

Jason Kidd – 17 pontos, sete assistências, sete rebotes, três roubadas

Dirk Nowitzki – 12 pontos, 13 rebotes

Renovação batendo à porta

Há muito tempo, desde antes mesmo do último título do San Antonio Spurs na NBA, os torcedores da equipe pedem uma renovação no plantel. Porém, a franquia texana tem uma política de manutenção de jogadores parecida com o Milan, time de futebol – assim como o clube italiano, a diretoria da equipe de San Antonio dificilmente negocia jogadores, permitindo sua saída apenas no fim do contrato.

Porém, os fãs dos Spurs podem estar às vésperas de uma revolução histórica no plantel da equipe. Segundo o site HoopsHype.com, ao fim da próxima temporada – ou seja, no meio de 2010 – apenas quatro jogadores terão contrato vigente com a franquia: os ídolos Tony Parker e Tim Duncan e os jovens George Hill e Ian Mahinmi. Coincidentemente ou não, será essa a época mais provável para Tiago Splitter se juntar aos texanos, de acordo com os termos de seu novo vínculo com o TAU Cerámica. Vale lembrar também que, nesse período, dezenas e dezenas de contratos da NBA estarão expirando.

Porém, em caso de eliminação para o Dallas Mavericks, vejo que essa filosofia pode mudar um pouco e esse processo pode ser acelerado. A eliminação mais precoce desde que Tim Duncan se juntou à equipe pode significar uma pequena reformulação no elenco dos Spurs, preparando a estrutura financeira da franquia para a inter-temporada de 2010.

Vaughn, Gooden e Udoka têm contratos expirantes já nessa ano. No meu ver, apenas o último estará garantido em 2009/2010, pela carência de alas na equipe e pelas suas boas atuações recentes. O armador é praticamente carta fora do baralho, principalmente após a promissora temporada de George Hill, e Gooden terá que suar a camisa nesses playoffs para convencer Pop que pode ficar.

Além deles, Fabrício Oberto perdeu bastante espaço na equipe com a ascenção de Matt Bonner e pode deixar a equipe. Temos também nomes como Michael Finley, Bruce Bowen e Kurt Thomas, que, com idade bastante avançada, podem não mais interessar a diretoria dos Spurs, principalmente em projetos a longo prazo.

Aperte os cintos, elenco texano; você está, talvez às vésperas de uma renovação histórica. A nós, torcedores, resta esperar e torcer para que, após essa revolução, o San Antonio Spurs continue sendo o time vencedor que aprendemos a amar nos últimos anos.