Arquivo diário: 26/03/2009

Tentanto se redimir

brunolinha3kv54

Tradicional equipe do cenário mundial do basquete, o CSKA Moscow busca se redimir após viver um ano turbulento. A oportunidade veio agora há pouco, quando a equipe da capital triunfou sobre o Vologda Chevakata, venceu a série melhor de três jogos e de quebra se classificou para as semifinais do torneio.

Os moscovitas enfrentaram uma temporada complicada. Após um começo bom, tanto no campeonato nacional quanto na Superliga, com direito à chegada da superstar Katie Douglas para reforçar o já forte elenco, o CSKA começou a sentir os primeiros sintomas da crise ao perder a pivô Maria Stepanova, que migrou para o rival UMMC Ekaterimburg após problemas com seu salário, que era alto demais.

A crise financeira mundial se agravou, e muitas equipes européias sofreram com isso. Com a queda de investimento do seu antigo patrocinador, a equipe russa se viu sem alternativas e foi obrigada a fechar as portas, alegando falta de dinheiro para cobrir os salários das atletas. Após o período preocupante, um novo investidor aceitou patrocinar o time, que pode então retornar para os campeonatos que já disputava.

Visivelmente desajustado na sua volta às quadras, o CSKA sofreu mais um sonoro baque. Em meio às turbulências e com proposta sedutora do UMMC – o mesmo que já havia levado Maria Stepanova –  o técnico Gundars Vetra também abandonou o barco. Para o seu lugar, foi chamado o experiente Igor Grudin, que havia levado a Russia ao vice campeonato mundial em 2006 aqui mesmo no Brasil.

Com os resquícios da crise ainda vivos e novo plano de jogo, a caída na Euroliga de Clubes diante das espanholas do Halcon Avenida era iminente. Na série melhor de três jogos, quem se deu bem foi o time do oeste europeu, que avançou no torneio. Sem o principal título do continente, poucas chances ainda restam ao CSKA. Na verdade, o que sobrou foi apenas o campeonato nacional – que pelo menos anda de vento em popa.

Na Superliga Russa, as moscovitas se classificaram com ligeira facilidade em terceiro lugar (vale lembrar que, das 16 participantes, se classificaram oito, que lutam pelo título em forma de playoffs; o primeiro colocado contra o oitavo, o segundo contra o sétimo e por aí vai). No enfrentamento das quartas-de-finais, o CSKA eliminou o Vologda-Chevakata, e agora segue firme rumo as semifinais. O Campeonato Russo foi o que restou para Becky Hammon e cia; sendo assim, eles devem lutar até o fim para salvar a temporada europeia.

Anúncios

Splitter quebra recorde pessoal na Euroliga

Splitter continua jogando bem na Euroliga

Splitter continua jogando bem na Euroliga

O pivô brasileiro Tiago Splitter, jogador do Tau Cerámica (ESP) e que tem seus direitos na NBA vinculados ao San Antonio Spurs, estipulou na noite da última terça-feira um recorde pessoal na Euroliga de basquete ao ajudar sua equipe a bater os conterrâneos do Barcelona.

Splitter entrou para a lista dos dez maiores bloqueadores da História do torneio continental europeu – a segunda maior liga de basquete do mundo, atrás apenas da NBA – ao anotar um bloqueio na já citada vitória sobre o Barcelona. Após a partida, o pivô brasileiro soma, em 117 jogos disputados na Euroliga, a expressiva marca de 79 tocos. Tiago ainda fez oito pontos e coletou cinco rebotes em atuação aquém do que vem apresentando na temporada.

Um dos principais nomes do Tau tanto na Euroliga quanto na Liga ACB – Campeonato Nacional da Espanha – o brasileiro é cotado para integrar o elenco do Spurs já a partir da próxima temporada regular. Dificuldades encontradas no contrato do jogador com os espanhóis e um desejo particular de Splitter de permanecer por mais algum tempo na Espanha foram os principais fatores para que o pivô não desembarcasse em San Antonio antes da temporada 2008/2009 começar.

Interativo – Spurs @ Hawks – Temporada Regular

Melhores Momentos de Spurs @ Hawks – 25/03/2009

Top 10 da Rodada de 25/03/2009

Ginobili sem problemas em seu retorno

Afastado das quadras desde o dia 11 de fevereiro devido a uma lesão no tornozelo causada por stress, o ala-armador Manu Ginobili fez ontem seu retorno ao time do San Antonio Spurs. Na vitória sobre o Atlanta Hawks, fora de casa, o argentino atuou durante 14 minutos, chutou sete bolas e acertou apenas um de seus arremessos, contabilizando dois pontos totais. Porém, o entusiasmo do jogador e da comissão técnica com sua volta na importante vitória sobre o quarto colocado do Leste superou qualquer deficiência técnica apresentada.

Manu fez seu retorno às quadras contra o Hawks. (Getty Images)

Manu fez seu retorno às quadras contra o Hawks. (Getty Images)

“Ainda estou longe de jogar na minha condição ideal, mas o importante é que não senti dor nenhuma durante o período no qual estive em quadra”, afirmou Manu. “Meu retorno será gradual, ainda mais na atual fase da temporada regular. Estou lento e sem ritmo nenhum, acho que as últimas partidas da [temporada] regular servirão apenas para que eu possa me adaptar novamente ao jogo.”

O treinador Gregg Popovich foi um dos mais entusiasmados com o retorno do argentino, um de seus principais atletas. O técnico do Spurs frisou que o retorno de Ginobili será gradual, e que em algumas eventuais partidas o ala-armador poderá ser poupado.

“Manu é um dos homens de confiança de todo o time, é o cara que recebe bolas em momentos cruciais”, disse Popovich. “É bom tê-lo novamente apto para jogar, e não queremos perder isso. Por isso, podem ter certeza que ele só entrará definitivamente em quadra quando estiver com todas as condições. O queremos inteiro para a pós-temporada.”

Com a volta de Ginobili o também ala-armador Malik Hairston, que substituia o argentino no plantel dos texanos, retornou à liga de desenvolvimento da NBA para defender o Austin Toros.

Duncan queria ter atuado contra o Hawks

Tim Duncan - San Antonio SpursOutro assunto comentado após a vitória sobre o Hawks foi a opção de Popovich em poupar o ala-pivô Tim Duncan, principal nome do time. O jogador, no entanto, afirmou que estava pronto e apto para participar da partida, dando a entender que ficou insatisfeito por não ter sido selecionado para o embate em Atlanta.

“Estou treinando bem e acho que tinha condições de ter atuado”, afirmou Duncan. “Porém, quem decide essas coisas são eles [comissão técnica], e eu entendo que eles me queiram mais apto para a pós-temporada. Só que acho que meu joelho já está melhor.”