Na falta do fundamental

Duas vitórias e uma derrota. Esse é o retroscpeto da equipe do San Antonio Spurs na última semana, jogando desfalcada de seu principal jogador nos últimos anos; Tim Duncan. Se a ausência do ala-pivô não fosse suficiente, a equipe ainda não pode contar com o argentino Manu Ginobili, também lesionado.

Sem dois de seus três principais jogadores, a responsabilidade de comandar a equipe ficou nas mãos do francês Tony Parker. O armador se saiu bem nas duas primeiras partidas; foram 37 pontos e 12 assistências no verdadeiro atropelamento frente ao rival Dallas Mavericks e 39 pontos e nove assistências diante da emergente equipe dos Blazers.

Porém, ontem, a equipe do Cleveland Cavaliers foi demais para Tony Parker. O armador francês ainda não está acostumado a comandar sua equipe diante de um time tão forte quanto o de Ohio. O baixo aproveitamento nos arremessos de TP comprova o que estou dizendo. De qualquer jeito, dos três grandes jogadores da equipe, Parker é o mais jovem; é interessante para ele ter essa experiência de grande líder da franquia texana, pois ele deve assumi-la definitivamente quando Manu e Duncan se aposentarem.

Além de Parker, o elenco texano provou ser forte. Mason, Finley e Bonner se revezaram chamando a responsabilidade durante vários momentos dessas três partidas. Porém, o que muito prejudicou o trio foi a perda do status de elemento surpresa; sem Duncan e Manu, a marcação das equipes adversárias pode se preocupar mais, por exemplo, com os big shots de Mason e com os tiros de três de Finley e Bonner.  Por isso, a derrota de ontem diante do competente Cleveland Cavaliers pode ser considerada perfeitamente normal.

Esses três jogos mostraram que Gregg Popovich pode ter tranquilidade para poupar Manu e Duncan para a pós temporada enquanto o nosso elenco de apoio consolida, a cada semana mais, a segunda colocação da Conferência Oeste. A partir da primeira rodada dos offs, o ala-armador argentino e o ala-pivô lendário podem retomar, aos poucos, sua quantidade de minutos ideais. E então vai ser difícil bater no nosso time como a equipe de King James fez ontem.

Sobre Lucas Pastore

Um dos fundadores do Spurs Brasil. Formado em Jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie em 2010, é editor assistente do UOL Esporte. Cobriu o basquete olímpico na Olimpíada de 2016 pelo LANCE!. Trabalhou também para Basketeria e mob36.

Publicado em 28/02/2009, em Na linha dos 3. Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Victor Moraes

    Duncan é o jogador mais difícil de substituir nesse time. Na falta do Manu descobrimos o Mason, na falta do Parker descobrimos o Hill, mas sem Duncan complica.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.