Arquivo diário: 26/02/2009

Interativo – Spurs vs. Blazers – Temporada Regular

Melhores Momentos de Spurs vs. Blazers – 25/02/2009

Top 10 da Rodada de 25/02/2009

Entrevistas após a partida com o técnico Gregg Popovich, George Hill, Tony Parker, Matt Bonner


Spurs (39-17) vs. Blazers (35-22) – Tony Parker, Second In A Row!

resumopandaap26

San Antonio Spurs99X84

Depois do segundo jogo consecutivo, o San Antonio Spurs obteve mais uma vitória na noite de ontem. Durante um jogo todo morno e com os holofotes totalmente no all-star Tony Parker, o Portland não foi páreo.

Tony Parker destaque da noite, sentado ao lado do contundido Tim Duncan (Foto por D. Clarke Evans/NBAE via Getty Images)

Tony Parker, destaque da noite, sentado ao lado do contundido Tim Duncan (Foto por D. Clarke Evans/NBAE via Getty Images)

Durante o primeiro período de jogo, o Spurs conseguiu impor seu ritmo e obteve uma vantagem considerável àquela altura da partida. Para piorar a situação do time do Oregon, tanto Brandon Roy quanto LaMarcus Aldridge não efetuaram atuações muito sólidas.

(Photo by D. Clarke Evans/NBAE via Getty Images)

(Photo by D. Clarke Evans/NBAE via Getty Images)

Com nove pontos de vantagem, o Spurs relaxou no segundo quarto de jogo, possibilitando uma pequena reação do Trail Blazers e perdendo este período por seis pontos, diminuindo a vantagem confortável conseguida na primeira metade do tempo inicial.

O terceiro quarto foi uma espécie de re-edição do segundo. O Spurs, que voltou mais ligado na partida, teve a capacidade de aumentar a pequena vantagem trazida do primeiro tempo, que era de três pontos, aumentando a mesma para 13 pontos, sobrepujando o rival neste período por oito pontos.
.
Os derradeiros 12 minutos de jogo apenas serviram para o Spurs administrar a gorda vantagem sobre o rival, que, a esta altura, sem ver nenhuma das suas estrelas desenvolverem um bom jogo na noite, estava praticamente batido. Ao final dos minutos, o resultado estava decretado; com atuação brilhante de Tony Parker e uma defesa altamente sólida em cima das promessas do Trail Blazers, o Spurs se sagrou vencedor do jogo, o que lhe garantiu na segunda posição do Oeste.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Tony Parker – 39 pontos, nove assistências e cinco rebotes

Matt Bonner – 15 pontos (3-5 3pt) e nove rebotes

Kurt Thomas – Oito pontos e dez rebotes

Portland Trail Blazers

Travis Outlaw – 13 pontos e cinco rebotes

Channing Frye – 15 pontos e sete rebotes

Sergio Rodriguez – Oito pontos e sete assistências

Joel Prizybilla – Oito pontos e 10 rebotes

Médicos descartam cirurgia em Duncan

Fora dos últimos dois jogos do San Antonio Spurs por sentir incômodos no joelho direito, o ala-pivô Tim Duncan corria risco de ter que passar por pequena cirurgia no local lesionado e perder cerca de um mês de atividades da equipe texana. A intervenção cirúrgica, no entanto, foi descartada nesta quinta-feira por médicos que analisaram a situação do jogador, principal astro do Spurs.

Duncan chega ao AT&T Center para acompanhar vitória sobre o Blazers, ao lado do também lesionado Ginobili. (Fonte: AFP)

“Tudo o que ele sente são leves dores, que podem evoluir para uma lesão mais séria caso não haja tratamento adequado”, afirmou o treinador Gregg Popovich, que foi o porta-voz dos médicos. “Após uma análise mais ampla, os médicos descobriram que felizmente não será necessário que Tim passe por uma cirurgia. Sua presença nos jogos depende exclusivamente de como ele se sentir, e por isso não descarto sua presença na sexta [no embate contra o Cleveland Cavaliers, no AT&T Center]”.

Nos dois jogos que perdeu até o momento, contra Dallas Mavericks e Portland Trail Blazers, Duncan foi substituído pelo ala-pivô Kurt Thomas, que teve atuações consideráveis em amabas as partidas, tendo inclusive obtido um duplo-duplo contra o Mavericks, ao anotar dez pontos e coletar 15 rebotes. Outro desfalque que vem afligindo Popovich é o ala-armador Manu Ginobili, que devera ficar ao menos mais duas semanas afastado.

Os dez mais: “Canela de Vidro”

brunolinha3kv52

Após muito tempo e muita polêmica com a análise pessoal sobre os quinze jogadores mais enganadores da NBA, volto às postagens com um tema que promete ser um pouco menos polêmico (pelo menos assim espero). Ao leitor, torço para que se divirta e mande também suas listas, ou critiquem; fiquem à vontade.

10º Manu Ginobili – San Antonio Spurs

Manu Ginobili - San Antonio Spurs

Para evitar que me chamem de bairrista ou defensor da causa de San Antonio, o décimo lugar da minha lista sobre os dez maiores frequentadores do estaleiro na NBA atual vai para: MANU GINOBILI! Ele mesmo, o argentino que adora cavar uma falta ganha a última posição com méritos, diga-se de passagem. Talvez o jogador mais odiado pelos jogadores e torcedores, tenho absoluta certeza de que fizeram uma fézinha ou um vodoo para zicarem aquele tornozelo. É impressionante; desde que me conheço por gente o Manu passa uma meia dúzia de jogos no departamento médico pra dar um upgrade no tornozelo podre.

9º – Dwyane Wade – Miami Heat

Dwyane Wade - Miami Heat

Dwyane Wade é um dos melhores jogadores da NBA atual, disso ninguém duvida. Menos dondoca do que o LeBron James e mais disciplinado que o Carmelo Anthony, para alguns ele é o melhor jogador da safra de 2003. Pontos de vista à parte, Wade merece sua vaguinha aqui no TOP 10.  É bem verdade que a parte dele já está feita; ganhou um título no melhor estilo Kobe Bryant (amparado por Shaquille O’Neal) e não fará que nem certos jogadores, que precisam se “prostituir” para conseguir um anel da NBA. Vamos aos dados: Nas cinco temporadas que Wade completou até aqui, em nenhuma ele jogou os 82 jogos – até aí normal. Contudo, em duas temporadas seguidas ele participou de apenas 51 jogos da equipe – preocupante. O fato positivo é que nesse ano ele parece saudável, mas será que isso dura por muito tempo?

8º Greg Oden – Portland Trail Blazers

Greg Oden - Portland Trail Blazers

Olha o “Vovôden” aí, gente! Vou ser sincero; se não fosse pela penca de dinheiro que ele deve estar ganhando em Portland, eu juro que teria dó do pobre coitado. Por quê? Bem, primeiro que todo mundo zoa o “garoto” porque ele aparenta ter 77 anos ao invés de 21 – como diz sua ficha de nascimento. Tudo bem que custa acreditar na veracidade dos seus 21 anos, mas todo mundo cai de pau em cima do “jovenzinho” só por causa disso. Outro fato agravante é ele ter passado sua temporada inteira de novato se tratanto de problemas físic0s, o que lhe rendeu uma segunda temporada de novato, que novamente vem sendo rodeada por problemas; seria o peso da idade? Mas já? Pois bem, velho ou novo, Oden ainda está devendo, já que muita expectativa foi criada em torno de seu basquete. Quanto ao nosso TOP 10, confesso que o Oden merecia um lugar mais privilegiado, talvez até um bronze; o problema é que o que vem por aí é uma turma da pesada, os reis do departamento médico.

7º Gilbert Arenas – Washington Wizards

Gilbert Arenas - Washington Wizards

Se o Gilbert Arenas escrevesse um livro de auto-ajuda, tenho certeza que o tema escolhido seria: “Como ganhar dinheiro sem fazer esforço”. Em Inglês: “Easy Money”. Alguém tem dúvidas de que o livro venderia como água e viraria best-seller do gênero? Se o basquete já é uma página virada em sua vida (haha, entenda o trocadilho péssimo), pelo menos como blogueiro ele parece bastante feliz (vide foto). O fato é que os problemas físicos, aliados às noitadas regadas a bebida e mulher, fizeram de Arenas um ex-jogador em semi-atividade. Nessa temporada, ele simplesmente desencanou de jogar porque o time dele é ruim mesmo, pois todos sabem que, se ele quisesse atuar, se esforçaria para estar em quadra com o Wizards. Vai entender como um cara desses pode ganhar tanta grana. Culpa dele ou do general manager? Em um falta vergonha na cara, no outro é só burrice mesmo.

6º – Yao Ming – Houston Rockets

Yao Ming - Houston Rockets

O pivô chinês mais querido da China (notem a redundância), faz parte das torres gêmeas de Houston. Torres Gêmeas? É! A primeira delas, Tracy McGrady, já desabou faz tempo; a segunda pode desabar a qualquer momento, porque do jeito que a coisa está daqui a pouco o Yao está participando de uns 15 ou 20 jogos da temporada, apenas. Bom, se bem que ele não está muito longe disso; se somarmos os três últimos campeonatos, Ming disputou 160 jogos de 246 possíveis. Traduzindo para os menos atentos aos números, Yao Ming disputou somente 65% dos jogos do Houston nesses últimos anos. A título de curiosidade, um jogador saudável, como por exemplo Kevin Garnett, no alto dos seus 32 anos, disputou 223 jogos nas últimas três temporadas, o que dá uma média de mais de 90% de aproveitamento. E aí Yao, vamos reagir?

5º Danilo Galinari – New York Knicks

Danilo Gallinari - New York Knicks

O Danilo Galinari é bom jogador! Contudo, se ele não fosse um mero novato na liga, tenho certeza que conseguiria um lugar melhor aqui no TOP 10. Pelo amor de Deus, vai ser bixado assim lá na Itália. O cara já chegou podre na NBA, e a culpa é de quem? Mike D’Antoni! Se um dia ele não passar de uma eterna promessa, os torcedores do Knicks podem apedrejar com prazer o querido treinador do run and gun. O pior de tudo é que o Galinari tem APENAS 20 anos; ou seja, imaginem um cara desses com a idade do T-Mac… porque ser bixado na casa dos 30 tudo bem, mas logo no começo de carreira? Podem providenciar as muletas e a cadeira de rodas, porque do jeito que a coisa caminha, daqui a pouco o italiano está se aposentando por invalidez.

4º Jermaine O’Neal – Miami Heat

Jermaine O'Neal - Miami Heat

Me lembro da época em que o Jermaine O’Neal foi um bom jogador. A mesma época em que o Pacers era feliz com Reggie Miller e se metia numas encrencas com a turminha do mal. Bom, como nada dura para sempre, a época do Pacers chegou ao fim (percebe-se) e o que restou para o Jermaine foi tentar fazer dupla com o Chris Bosh… Infelizmente, a parceria durou meia temporada, já que o Bosh foi contaminado com o mesmo vírus que pegou o Jermaine há alguns anos atrás – o problemas fisicus. Sem muitas alternativas, O’Neal virou moeda de troca e agora foi parar em Miami. Sol, praia, mulheres, baladas; será mesmo que ele vai dar alguma coisa em Miami? Bom, eu duvido, mas só a título de curiosidade, nas últimas quatro temporadas, ele esteve em quadra em 206 dos 328 jogos possíveis; uma média bisonha de menos de 63%. Vai J.O.?

3º Tracy McGrady – Houston Rockets

Tracy McGrady - Houston Rockets

Talvez essa seja a mais controversa escolha do meu TOP 10. Controversa por quê? Bem, muita gente adoraria ver o T-Mac ostentando um ouro brilhante no peito e com todas as honras possíveis. Mas não será aqui que ele perderá a virgindade de títulos; sendo assim, um bronze fica de bom tamanho para o querido primo do Vince Carter (primo de verdade) – reparem só na cara de feliz que ele ficou após saber da conquista! Caminhando um pouco para os dados, vamos dar uma rápida analisada. Os problemas andam junto com T-Mac há um bom tempo; uma hora é as costas, outra é o joelho, e por aí vai. Falando em médias, tem jogadores que jogam menos que o T-Mac (Arenas é um exemplo); no entanto, a constante em se contundir é que garante o pódio para Tracy McGrady.

2º Elton Brand – Philadelphia 76ers

Elton Brand - Philadelphia 76ers

Elton Brand só não é o primeiro da nossa gloriosa lista porque sempre há alguém que pode estar em pior estado que você, e esse alguém atende pelo nome de Grant Hill. Brand surgiu como promessa no Bulls, e, de fato, ele é um excelente jogador; no entanto, os eternos problemas físicos prejudicaram e muito sua carreira. Para se ter uma idéia, na temporada passada, quando ainda atuava pelo famigerado Los Angeles Clippers, Brand entrou em quadra em apenas oito dos 82 jogos da temporada regular; como o Clippers não alcançou os playoffs (ÓBVIO!), ele disputou apenas oito partidas o ano todo. Elton Brand é daquele tipo de jogador que sempre vai perder uns 12 ou 15 jogos da temporada por puro azar; ou porque sem querer o Glen Davis sentou em cima do seu dedo mindinho, quebrando ele em 19 pedaços, ou simplesmente por causa de uma diarréia que o levou para o hospital e obrigou que ele ficasse internado durante um longo período. Ou seja, além de possuir o espírito bixado, Brand ainda tem o azar de ser azarado, por mais redundante que isso possa parecer!

1º Grant Hill – Phoenix Suns

Grant Hill - Phoenix Suns

Como eu gosto muito do Grant Hill, vou poupá-lo de piadinhas infames, já que ele realmente não merece. Quando surgiu para o mundo do basquete, Hill chegou inclusive a ser comparado com o ídolo-mor caçador do Utah Jazz, Michael Jordan. Pois bem, de fato ele teve um começo de carreira brilhante junto com o Detroit Pistons; seria Hill o novo Jordan? Provavelmente não, mas é inegável que ele tinha um talento fora do comum – tem até hoje. Os problemas de contusão demoraram para se agravar, mas quando se agravaram, amigo, a coisa ficou preta! Durante três temporadas seguidas, mais especificamente de 2000 a 2003, Hill jogou respectivamente 4, 14 e 29 jogos; ou seja, se eu ainda não esqueci como se faz conta de MAIS, ele atuou em 47 jogos dos 246 possíveis – uma média bisonha que eu preferi nem publicar para não assustar você, querido leitor. Nas temporadas seguintes, ele continuou tentando se firmar, mas parecia impossível, já que era muito comum vê-lo no estaleiro por pelo menos metade da temporada. Por incrível que pareça, desde que chegou no Phoenix Suns, ele parece que está em boa forma; pelo menos melhor que nos últimos anos, o que já significa alguma coisa. Mesmo assim, é por essas e por outras que com muita tristeza eu anuncio a medalha de ouro para Grant Hill, o jogador mais problemático e bixado da NBA atual. Parabéns, Hill!