Arquivo diário: 24/02/2009

Ginobili pode ficar afastado mais tempo do que o previsto

Afastado das quadras desde a última semana para tratar uma lesão no tornozelo direito que o persegue desde os Jogos Olímpicos de Pequim, o ala-armador Manu Ginobili passará nas próximas semanas por avaliações que poderão aumentar o período de sua ausência do elenco do San Antonio Spurs, que hoje está estimado entre duas ou três semanas. Caso a equipe consiga se manter bem sem o argentino, o tempo de recuperação poderá ser ampliado para mais de um mês visando a disputa da pós temporada, segundo médicos da franquia.

Lesão sofrida na Olimpíada ainda causa problemas para Ginobili. (Fonte: GloboEsporte.com)

Lesão sofrida na Olimpíada ainda causa problemas para Ginobili. (Fonte: GloboEsporte.com)

“Sabemos que para a disputa dos playoffs precisamos de Manu inteiro”, afirmou o ala-armador Roger Mason, substituto de Ginobili. “Por isso, caso os médicos digam que é necessário ele ficar mais tempo para chegar bem na próxima fase da competição, nos redobraremos em quadra para compensar sua ausência, que é realmente muito sentida por todos do time”.

Desde que iniciou seu tratamento, na última semana, o argentino não vem concedendo entrevistas para não criar falsas expectativas em torno de seu retorno. Companheiros de time, no entanto, têm sido a principal fonte de jornalistas para comentar a situação do ala-armador, eleito melhor sexto homem da NBA na última temporada. Ao saber que o tempo de recuperação poderia ser ainda maior do que o previsto em um primeiro momento, o armador Tony Parker se surpreendeu, mas seguiu a linha de raciocínio apresentada por Mason.

“Podemos ficar sem ele [Ginobili] por mais tempo do que o previsto? Isso é bem ruim, cara”, sentenciou o armador. “Mas qualquer pessoa que saiba da importância dele para o time ficaria surpresa em saber que ele pode nos deixar por mais de um mês. Mas se ele for voltar ainda melhor na pós temporada, esse sacrifício vale a pena”.

Interativo – Spurs @ Wizards – Temporada Regular

Melhores Momentos de Spurs @ Wizards – 21/02/2009


Top 5 da Rodada de 21/02/2009


Bonner melhorando sua defesa e Parker com baixo aproveitamento

Matt Bonner (esq.) vem trabalhando para melhorar sua capacidade defensiva. Fonte: givemetherock.com

Matt Bonner (esq.) vem trabalhando para melhorar sua capacidade defensiva. Fonte: givemetherock.com

O novo ala-pivô titular da equipe do San Antonio Spurs, Matt Bonner, terá hoje a noite mais uma difícil tarefa pela frente. Após marcar nomes como Amare Stoudamire, David West, Kevin Garnett e Pau Gasol, o camisa 15 deverá ser o escolhido de Gregg Popovich para começar marcando Dirk Nowitzki nessa noite.

Sabendo que a defesa não é o seu forte, e sim os tiros de três pontos, Bonner parece bem consciente em suas declarações: “Em praticamente todo jogo, eu me concentro mais na defesa do que no ataque, com certeza. Normalmente, eu estou em desvantagem contra esses caras, e eu tenho que fazer alguma coisa para contornar isso”.

No último sábado, por exemplo, Bonner ajudou a conter Antawn Jamison, que marcou 16 pontos mas que acertou apenas seis de 17 arremessos de quadra. “Eu não estou nem perto do nível de Bruce Bowen ainda. Eu só estou tentando administrar minhas limitações”, disse Bonner, que é hoje o segundo maior reboteiro da equipe, com 4,9 por partida.

Para o treinador dos Spurs, Gregg Popovich, Bonner está no caminho certo: “Ele está aprendendo a flexionar seus joelhos, mover seus pés, ler situações. É algo que vem com a repetição. Eu acho que ele melhorou bastante desde o começo do ano”.

E mais…

Parker cai de produção após a ASW

Desde que retornou de Phoenix, onde disputou o Skills Chalenge e o All Star Game, Tony Parker piorou em muito seu desempenho nos arremessos de quadra. Nos três jogos desde então, o aproveitamento do armador francês é de apenas 31,9%; foram 15 arremessos convertidos em 47 tentados.

Contra o New York Knicks, esse problema se acentuou; foram apenas cinco convertidos em 20 tentativas. “Aquele primeiro jogo foi difícil para mim. Depois daquilo, eu devo voltar ao normal”, disse Parker.

E o Oscar vai para…

Caros leitores do Spurs Brasil,

Aproveitando a oportunidade e a proximidade do evento maior do cinema mundial, que aconteceu no último domingo, tomo a liberdade de utilizar meu espaço nesta coluna na presente data para “brincar” um pouco com o Oscar e distribui-lo pela NBA. Vamos lá…

Melhor maquiagem

E o Oscar vai para… Phoenix Suns!

O primeiro prêmio da coluna vai para a equipe do Arizona, na qual está presente o ala-armador brasileiro Leandrinho Barbosa. Cada vez mais distante do sonho de seu primeiro título, o Suns vence na categoria por ter voltado ao esquema que rendeu as melhores épocas recentes ao time, o dito run’n’gun. Maquiagem pois o retorno ao antigo modo de jogar acaba fazendo com que muitos acreditem que a franquia possa voltar ainda nesta temporada a ser uma das grandes forças do Oeste… pura maquiagem.

Melhores efeitos especiais

E o Oscar vai para… Nate Robinson!

Convenhamos que as apresentações deste ano no Slam Dunk Contest não foram das melhores, mas foi impagável ver o baixinho pulando o gigante Dwight Howard na final do campeonato de enterradas, vestindo roupa de “KriptoNate” para acabar com o “Superman”. Pela produção em torno do evento, que nesta temporada foi tão pobre, o armador do New York Knicks leva o prêmio de melhor efeito especial.

Melhor filme em língua estrangeira

E o Oscar vai para… Dirk Nowitzki!

Apesar de o alemão do Dallas Mavericks estar longe de ser uma montagem cinematográfica, é inegável que ele seja o melhor estrangeiro em atividade na NBA nesta temporada, uma vez que o ala-armador do San Antonio Spurs Manu Ginobili, seu concorrente direto, sofre na atual época com uma série de lesões em seu tornozelo.

Melhor roteiro adaptado

E o Oscar vai para… Utah Jazz!

Afinal, é louvável o esforço que Jerry Sloan e sua comissão técnica tem feito para manter o time de Salt Lake City entre os oito melhores do Oeste. Adaptação tem sido uma palavra constante em Utah, uma vez que lesões são o que não falta por lá. Primeiro, o ala-pivô Carlos Boozer, que desde o início da temporada está fora de combate; depois, o armador e astro da equipe Deron Williams ficou afastado por alguns importantes embates e fez com que Sloan quebrasse a cabeça para adaptar o time à sua ausência; ainda tivemos em Utah a lesão do ala-pivô Paul Millsap, que vinha substituindo impecavelmente Boozer. Realmente, foi uma temporada cheia de adaptações para o Jazz.

Melhor roteiro original

E o Oscar vai para… San Antonio Spurs!

Entra ano, sai ano e o Spurs continua em alta com o mesmo elenco de muitas temporadas atrás. Com a base formada por Tim Duncan, Manu Ginobili e Tony Parker, a equipe do Texas, comandada pelo excelente Gregg Popovich, sempre é alvo de chacotas no início das temporadas por contar com um elenco relativamente envelhecido, mas sempre cala os criticos obtendo as melhores colocações na conferência Oeste. E neste ano não vem sendo diferente, com o Spurs seguindo de perto o Los Angeles Lakers na busca pelo topo da citada conferência.

Melhor ator coadjuvante

E o Oscar vai para… Maurice Williams!

Muitos são os jogadores que têm brilhado muito em suas equipes e têm ajudado os astros locais a buscarem voos mais altos. Mas Mo Williams, armador do Cleveland Cavaliers, tem sido nesta temporada o fiel escudeiro que a franquia do Ohio sempre procurou para o astro LeBron James. Talvez não por coincidência – e sim por competência – a equipe esteja disputando jogo a jogo a liderança da conferência Leste com o forte Boston Celtics. Se hoje o Cavaliers figura entre os favoritos ao título, parte da “culpa” é do armador.

Melhor ator

E o Oscar vai para… LeBron James!

Na disputa, que seja talvez a mais acirrada, vantagem para o astro do Cavaliers, que vem fazendo ótima temporada e levando sua equipe ao topo do Leste. Com um pessoal de apoio deveras eficiente, o jogador tem pela primeira vez desde que entrou na NBA em 2003 a real chance de ser campeão. Disputado a tapas por outras franquias, o ala ainda pode acabar indo brilhar em outras bandas no já próximo mercado de 2010. Mas, na presente data, o Oscar é ganho por sua campanha no Ohio, para o desespero dos nova-iorquinos.

Melhor diretor

E o Oscar vai para… Phil Jackson!

Mais uma vez o lendário treinador do Los Angeles Lakers faz sua equipe figurar entre as melhores da NBA. Disparado na liderança do Oeste, Jackson mais uma vez tem a chance clara de ser campeão – o que daria ao sue vasto currículo o décimo anel de vencedor maior da NBA.

Melhor filme

E o Oscar vai para… Cleveland Cavaliers!

No mais esperado prêmio, vence aquele que mais surpreendeu na atual temporada. Depois de se envolver em algumas negociações e reforçar bem seu elenco, o Cavaliers, pela primeira vez – talvez até em sua história – figura como um dos grandes favoritos ao título. Uma obra que é resultado do trabalho conjunto entre diretoria, comissão técnica e jogadores, mas que ainda não tem final feliz. Resta saber se o Cavaliers fará como alguns vencedores do Oscar e cairá no esquecimento, ou se fará como outros, que ficam para sempre na memória dos espectadores.

Spurs (37-17) vs. Mavericks (33-22) – Temporada Regular

Pré-Jogo – San Antonio Spurs vs. Dallas Mavericks– Temporada Regular

Local: AT&T Center

Data: 24/02/2009

Horário: 22:30 (Horário de Brasília)

Situação do jogo

Retornando ao AT&T Center após as viagens da Rodeo Trip, o San Antonio Spurs enfretará o rival local Dallas Mavericks tentando cravar a terceira vitória seguida, e terá o importante desfalque do argentino Manu Ginobili, que ainda deve ficar de fora por cerca de duas semanas. Enquanto isso, os rivais lutam para se manter entre os oito primeiros da conferência, e uma vitória fora de casa será de fundamental importância nessa briga.

Série na Temporada (1-1)

04/10/2008 – Spurs 80 x 98 Mavs

Vivendo um início de temporada conturbado e cheio de problemas, o San Antonio Spurs foi derrotado com facilidade pelos rivais em pleno AT&T Center. A esta altura, a equipe possuia campanha de três derrotas e nenhuma vitória. De positivo, apenas a animadora estréia do novato George Hill, que anotou 11 pontos.

09/12/2008 – Spurs 133 x 126 Mavs

Em emocionante partida de duas prorrogações, o Spurs conseguiu a vitória fora de casa em um momento que disputava diretamente com os rivais a sétima posição no Oeste, contando com ótima atuação de Tim Duncan, que anotou 32 pontos, sendo oito na última prorrogação. A vitória deu ânimo à equipe, que a partir dai começou a escalada rumo às primeiras posições na conferência.

Fique de Olho

Dallas Mavericks

https://i0.wp.com/www.all-nba-all-basketball.com/images/DIRK_NOWITZKI1.jpg

Nowitzki segue sendo o principal jogador da equipe de Dallas.

O ala-pivô Dirk Nowitzki é o principal pontuador e reboteiro da equipe de Dallas. Com seus arremessos precisos, o alemão promete incomodar a defesa adversária, que terá que se desdobrar para tentar pará-lo. Suas médias na temporada são expressivas: 25,3 pontos e 8,3 rebotes por partida.