Arquivo diário: 21/12/2008

Coadjuvantes 2008/2009

Muito se fala sobre o famoso “big three” do Spurs, formado por Tim Duncan, Tony Parker e Manu Ginobili, que, sem dúvida, são grandes jogadores e já deixaram seus nomes na história da NBA. Mas muitas vezes acabamos esquecendo dos coadjuvantes da equipe, aqueles que formam a base para que o trio possa jogar, ou, eventualmente, podem até decidir algumas partidas.

Logo no início da temporada, os coadjuvantes foram colocados a prova em San Antonio. Sem poder contar com Manu Ginobili e Tony Parker, Roger Mason Jr e George Hill, recém-chegados à equipe, assumiram a titularidade e corresponderam bem à responsabilidade, e mostraram capacidade para decidir algumas partidas. Passado o período crítico, Mason ostenta médias de 12,8 pontos, 3,6 rebotes e 2,2 assitências, tendo como melhor marca os 29 pontos na vitória contra o Utah Jazz dia 21 de novembro. Hill possui médias de 9,4 pontos, 3 rebotes e 2,9 assistências em 21 minutos, e tem como melhor marca os 23 pontos também alcançados na vitória sobre o Utah Jazz. Vale também citar que nas partidas dos dias 19 e 24 de novembro, derrota contra o Denver Nuggets e vitória contra o Memphis Grizzlies respectivamente, Hill anotou 20 pontos em ambos os jogos.

Um jogador que ganhou importância nessa temporada foi o ala-pivô Matt Bonner. O contestado jogador iniciou a temporada sob desconfiança da torcida, mas aos poucos vem mostrando seu valor e se tornou uma espécie de “mascote” dos torcedores. Após um começo com muitas mudanças, Bonner parece ter conquistado de vez a posição de titular no garrafão texano ao lado de Tim Duncan, deixando o argentino Oberto e o experiente Kurt Thomas no banco de reservas. Suas médias até aqui são de 8,1 pontos, 4,7 rebotes e 1 assistência por partida em 20,5 minutos, mas, se considerarmos apenas suas últimas 10 partidas, as médias sobem para 11,6 pontos, 6,6 rebotes e 1,4 assitência em 27,1 minutos em quadra por jogo.

O veterano Michael Finley, com a queda de produtividade de Bruce Bowen, assumiu a titularidade na posição 3, e, apesar da idade avançada, vem jogando uma boa média de minutos, 27,9 por partida. Neste período, ele vem alcançando médias de 9,8 pontos, 3,3 rebotes e 1,7 assistência por noite.

O rodado pivô Kurt Thomas chegou ao Spurs na última temporada para ser o parceiro titular de Duncan no garrafão, porém não correspondeu, e, nesta temporada, acabou parando no banco de reservas. Agora, apesar dos minutos limitados, Thomas parece ter se adequado bem à função de vir do banco, e vem conseguindo um bom desempenho defensivo em quadra. Nas suas últimas 10 partidas, Thomas conseguiu médias de 4,3 pontos, 4,1 rebotes e 0,9 bloqueio em 13,9 minutos por jogo, números superiores à sua média geral na temporada, que é de 3,2 pontos, 3,7 rebotes e 0,7 tocos em 14 minutos por jogo.

Depois de todos estes dados e números, podemos chegar à conclusão que os coadjuvantes são importantíssimos em uma equipe que almeja ser campeã, e o San Antonio Spurs parece ter encontrado o ponto ideal de seus coadjuvantes. Mason e Hill mostraram-se capazes de serem potentes armas vindas do banco de reserva, podendo até mesmo mudar o rumo das partidas. Bonner respondeu bem à efetivação como titular, com a experiência e segurança defensiva de Kurt Thomas vindo do banco, além do velho conhecido Michael Finley, que, mesmo com 35 anos, continua titular na equipe, com o papel de importante arremessador.

Anúncios

Spurs (16-10) vs. Raptors (10-17) – Lar doce lar

resumobrunoxo14

107X97

Nada como voltar para casa! Na noite de hoje (20/12), o San Antonio Spurs recebeu o tumultuado Toronto Raptors. Mesmo deixando a desejar em alguns momentos da partida, os comandados de Gregg Popovich fizeram o dever de casa e conquistaram a vitória. Foi sem dúvidas um desafogo após a sequência negativa de duas derrotas – para New Orleans Hornets e Orlando Magic.

Em grande noite, o armador Tony Parker quase conseguiu um triple-double (Photo by D. Clarke Evans/NBAE via Getty Images)

Em grande noite, o armador Tony Parker quase conseguiu um triplo-duplo (Photo by D. Clarke Evans/NBAE via Getty Images)

O primeiro quarto assustou um pouco os torcedores do Spurs. Os visitantes começaram impondo um bom ritmo de jogo, o que dificultou a ofensiva texana. Com o decorrer do quarto, Chris Bosh e companhia se portavam melhor em quadra e acabaram por vencer o período por 25 a 20. O quarto seguinte foi marcado pela volta por cima de San Antonio; com um basquete refinado e impecável, Tony Parker comandou o time para uma vitória de 36 a 21. Desta maneira, o Spurs foi para o intervalo vencendo por dez pontos de vantagem.

Tim Duncan teve mais um sólida atuação; dessa vez sem double-double (Photo by D. Clarke Evans/NBAE via Getty Images)

Tim Duncan teve mais um sólida atuação; dessa vez sem double-double (Photo by D. Clarke Evans/NBAE via Getty Images)

Na volta do descanso, o jogo ficou equilibrado – e essa foi a tônica até o final. Com a pontaria afinada da linha dos três pontos (16-35), o Spurs apenas administrou a vantagem até o final. É bem verdade que o Raptors chegou a ameaçar durante alguns momentos, mas nessas horas apareceu a experiência do conjunto texano, que impediu os visitantes de encostar no marcador.

Com o triunfo, o Spurs permanece bem colocado na Conferência Oeste – está em sexto lugar, logo atrás do Portland Trail Blazers. Na tentativa de começar uma nova sequência de vitórias, San Antonio recebe o Sacramento Kings na segunda-feira. O Raptors vai mal das pernas, e, para piorar, enfrenta uma sequência de mais quatro jogos fora de casa – o próximo deles contra o Los Angeles Clippers, também na segunda.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Tony Parker – 24 pontos, 8 rebotes e 10 assistências

Tim Duncan – 19 pontos e 7 rebotes

Roger Mason – 16 pontos e 5 rebotes

Manu Ginobili – 13 pontos e 7 rebotes

Michael Finley – 14 pontos

Matt Bonner – 14 pontos

Toronto Raptors

Jermaine O’Neal – 24 pontos e 10 rebotes

Chris Bosh – 17 pontos, 10 rebotes e 4 assistências

Jose Calderon – 16 pontos, 4 rebotes e 4 assistências