Arquivo diário: 09/12/2008

Spurs (11-8) @ Mavericks (11-8) – Temporada Regular

pongasprejogoap5

Pré-Jogo – San Antonio Spurs @ Dallas Mavericks

Local: American Airlines Center

Data: 09/12/2008

Horário: 23:30 (Horário de Brasília)

Situação do Jogo

O San Antonio Spurs vem dos seus dois melhores jogos dentro dessa temporada. O primeiro fora de casa diante do perigoso Denver Nuggets, do armador Chauncey Billups, e o segundo contra o irregular Golden State Warriors, em San Antonio. O Dallas Mavericks também vem embalado por quatro vitórias consecutivas, a última delas frente o ascendente Atlanta Hawks. Em suma, o clássico de hoje a noite, em Dallas, promete bastante.

Fique de Olho

Dallas Mavericks

Jose Juan Barea está jogando muito bem nessa temporada (Photo by Tim Heitman/NBAE via Getty Images)

Jose Juan Barea está jogando muito bem nessa temporada (Foto por Tim Heitman/NBAE via Getty Images)

O baixinho porto riquenho Jose Juan Barea, apesar de não ser o principal jogador desse time do Dallas Mavericks, é uma peça que incomoda dentro da equipe texana. Na temporada, suas médias são de 6.6 pontos e 2.6 assistências; contudo, nas últimas duas partidas, Barea melhorou seu desempenho e sua média subiu para 8.3. Assisti a dois dos últimos jogos do Mavs – diante de Clippers e Suns – e Barea foi muito bem em ambos. Olho nele!

Treinadores inventores: uma hora não dá certo

Existem algumas coisas na NBA que eu realmente não consigo entender. Corey Maggette como ala-pivô em um duelo no qual se encontra Tim Duncan atuando na mesma posição pelo adversário é uma delas. E isso me faz refletir sobre o que se passa na cabeça de alguns técnicos adeptos de formações mirabolantes, transições defesa-ataque em velocidades altíssimas e de uma equipe composta essencialmente por jogadores leves, os chamados “times softs”.

Don Nelson, do Golden State Warriors, é um destes treinadores. Na partida em questão, citada acima, colocou o ala Maggette para duelar com Duncan em um momento do jogo no qual apenas um homem de garrafão alinhava por sua equipe – o pivô Andris Biedrins. Obviamente Duncan deitou e rolou para cima do “ala-pivô” adversário. E não só porque o jogador do San Antonio Spurs é um dos melhores alas-pivô da história, mas também porque Maggette não é e nunca será um jogador para tal posição.

O resultado está aí: massacre do Spurs e o Warriors lá embaixo na classificação do Oeste. Nelson, a quem considero muito bom treinador, vem errando insistentemente na franquia de Oakland. E tais erros já começam a cheirar à insistência burra de alguém que ainda quer ser destaque na NBA. E ele não precisa disso. Don Nelson é o tipo de treinador que impõe sua presença apenas por seu nome, não precisa mais revolucionar a liga norte-americana de basquete. Isso ele já fez no passado. Fez quando foi pentacampeão da NBA. Fez quando foi escolhido por três vezes como melhor treinador da NBA. Fez quando foi eleito como um dos maiores dez técnicos a passar pela liga em toda sua história.

Nelson montou o Dallas Mavericks que hoje é um dos grandes times da NBA – me desculpem os torcedores da franquia, mas antes do treinador passar por Dallas o Mavericks não impunha respeito com ninguém. E, apesar de nunca ter sido campeão como treinador, é um dos mais respeitados no meio. Sinal disso são treinadores mais jovens que adotam estilo semelhante ao seu. Mike D’Antoni é um exemplo desses novos técnicos que parecem se espelhar em Nelson.

Enfim, tudo que falei, a defesa que fiz do treinador do Warriors citando seus feitos, tudo o que foi dito tem um objetivo: alardear que pode ser a hora de Nelson rever conceitos. Concordo que o time do Warriors é fraco demais e que nem o melhor dos treinadores daria jeito na bagunça que se instalou em Oakland. Mas Don Nelson é um dos culpados pela bagunça atual. Ele quem pede jogadores que se adaptem ao esquema rápido que gosta. Ele quem não conseguiu montar uma defesa no mínimo menos vazada por lá. Ele quem chegou, junto com o time, ao ponto de colocar Corey Maggette para marcar Tim Duncan.

Enquanto isso, Gregg Popovich e Phil Jackson vão colecionando títulos, elogios e seguidores. Don Nelson, para sempre na história, vai ficando cada vez mais longe do sonhado anel como treinador. E sua culpa neste quesito é grande.