Arquivo diário: 02/12/2008

Pistons (10-6) @ Spurs (9-7) – Temporada Regular

pre-jogo1

Pré-Jogo – Detroit Pistons @ San Antonio Spurs

Local: AT&T Center

Horário: 23:30 (Horário de Brasília)

Data: 02/12/2008

Situação do jogo

Após uma derrota em pleno Palace, o Pistons visita o Spurs – que também perdeu seu último jogo. O time de Detroit vem animado nesta temporada após trocar seu principal armador, Chauncey Billups, pelo All-star Allen Iverson. Já o Spurs fará o segundo jogo com disponibilidade de todo seu elenco – tanto Tony Parker quanto Manu Ginóbili já voltaram de um bom período longe das quadras por causa de problemas médicos. Como sempre, Spurs e Pistons é certeza de bom jogo para os amantes do jogo coletivo.

Fique de Olhodet1

Bucks Pistons Basketball

Allen Iverson tentando a infiltração contra o Bucks (Photo by Allen Einstein/NBAE via Getty Images)

O baixinho Allen Iverson desembarcou muito bem no Pistons – é líder do time em pontos, com 17,8 tentos por jogo, além de 5,6 assistências por noite. Aliado ao seu talento natural, o jogador vê pela primeira vez na carreira a chance concreta de ser campeão. Iverson pode causar sérios estragos na defesa texana; por isso é bom manter os olhos bem atentos.

Anúncios

Auto-confiança faz Bonner melhorar seu jogo

noticiasbrunozl9

Apesar das criticas, Bonner melhorou muito seu jogo (Photo by Bill Baptist/NBAE via Getty Images)

Apesar das críticas, Bonner melhorou muito seu jogo (Photo by Bill Baptist/NBAE via Getty Images)

Muito criticado pela torcida (E por mim também), o ala-pivô Matt Bonner tem melhorado seu jogo e surgindo como uma boa opção do banco de reservas do Spurs. Na sua quarta temporada na NBA, o jogador vem contribuindo bem e está com as melhores médias de sua carreira; 6.4 pontos e 3.5 rebotes por partida.

Segundo Bonner, muito de sua melhora se deve à sua severa auto-crítica: “Posso ser um pouco perfeccionista, e por consequência ser duro comigo mesmo”, disse o jogador. Ao longo das últimas semanas, o atleta tomou uma frase como lição para si: “Não se preocupe, apenas arremesse.”

“Mesmo se estiver errando ou acertando, tenho que continuar tentando os arremessos, é a única coisa que posso fazer para ajudar o time”. Nos últimos nove jogos – após amargar o banco de reservas no dia 12 de novembro contra o Milwaukee Bucks -, Bonner vem com ótimas médias: 9.2 pontos e média de quase 58% de aproveitamento (33-57). Além disso, ele teve seu melhor desempenho da temporada ao anotar 17 pontos diante do Houston Rockets no último Sábado.

Observando a melhora de Bonner, o técnico Gregg Popovich teceu seus comentários: “Vejo que Matt (Bonner) faz um excelente trabalho para nós (…) ele tem atuado nos minutos em que Robert Horry atuava e vem jogando realmente bem”, completou o treinador. 

Triste Nota

A má notícia fica por conta do Houston Comets, equipe que disputa a WNBA. A franquia deixará de existir e mudará de cidade – em algo parecido com o que aconteceu com o extinto Seattle Supersonics na NBA. A presidente da liga, Donna Orender, afirmou que a equipe de Houston não vinha acompanhando o crescimento da liga. O Houston Comets foi o vencedor dos quatro primeiros títulos da história da WNBA e contou com excelentes jogadoras como Tina Thompson e Cheryl Swoopes, além da brasileira Janeth.

Manu Ginóbili se readaptando após lesão

Afastado das quadras de basquete desde o final dos Jogos Olímpicos de Pequim, em agosto passado, o ala-armador Manu Ginóbili fez na última semana seu tão esperado retorno pelo San Antonio Spurs, quando colaborou para a vitória sobre o Memphis Grizzlies com ótima atuação. O jogador, no entanto, ainda se diz em período de readaptação no que diz respeito ao tempo de jogo.

Manu Ginóbili voltou ao Spurs, mas ainda não se considera totalmente em forma. (Photo by D. Clarke Evans/NBAE via Getty Images)

“Por muitas vezes tenho tentado fazer algumas jogadas, mas minhas pernas e meus braços não conseguem me acompanhar”, afirmou Manu. “Tenho que jogar mais e aos poucos vou voltar ao meu ritmo normal. Minha atuação na derrota para o Rockets deixou isso bem claro. Ainda não estou totalmente readaptado ao ritmo de jogo e creio que isso seja totalmente normal para um cara que ficou afastado durante três meses das quadras”.

A partida em questão contra o Rockets foi disputada no último domingo nos domínios do adversário, e contou com atuação discreta do argentino para o Spurs. Com apenas 11 pontos anotados e aproveitamento de dois arremessos convertidos em seis tentados, Manu realmente não foi bem no segundo jogo da temporada em que o Spurs contou com seu trio composto por Ginóbili, o armador Tony Parker e o ala-pivô Tim Duncan.

No final deu tudo certo

As previsões mais pessimistas não se confirmaram. As previsões mais otimistas não chegaram nem perto do que realmente aconteceu. Previa-se que hoje, segundo dia do mês de dezembro, o San Antonio Spurs ainda estaria desfalcado do ala-armador Manu Ginóbili e do armador Tony Parker, jogadores-base para o andamento do jogo da equipe texana. Pois na presente data ambos já figuram entre os atletas disponíveis para a armação do time por Gregg Popovich e aliviam torcedores, dirigentes, enfim…

Desde a fatídica noite na qual Parker se lesionou contra o Heat, em 7 de novembro, nada mais nada menos do que sete jogos se passaram até que um dos contundidos – no caso Manu – voltassem à esquadra prata e negra. Nesse período as mais horrendas previsões foram feitas: “Uma vitória só com o Duncan jogando já tem que ser comemorada!”; “Depender de George Hill, Roger Mason e Kurt Thomas? Só pode ser piada!”; “Esse ano o Spurs vai lutar por primeira escolha no draft do ano que vem”. Essas foram algumas das “profecias” pronunciadas pelos secadores de plantão. Pois bem, a história provou o contrário.

Como já dito, foram sete jogos com apenas Tim Duncan fazendo as vezes de grande jogador do time. Nada bom para uma equipe que luta por vaga na pós-temporada na disputadíssima conferência Oeste. A realidade é que nesses fatídicos jogos nada mais nada menos do que cinco vitórias foram conquistadas, contra apenas duas derrotas sofridas. Após o retorno de Ginóbili pode-se contabilizar mais três triunfos e apenas um revés, campanha que coloca o Spurs na briga pelas primeiras posições de sua divisão e de sua conferência.

E o melhor de tudo nesse período foram as revelações de duas importantes e jovens peças para a rotação da equipe com a volta dos super-astros: os já citados Hill e Mason. Importantíssimos no apoio a Duncan nos jogos em que se imaginava que ele estaria sozinho, os dois jogadores de perímetro se destacaram, e, em algumas partidas, foram mais importantes do que o próprio ala-pivô para a obtenção da vitória.

Querendo ou não, o Spurs está de volta. Querendo ou não, a força que emana do Texas volta ao seu lugar. Querendo ou não, no final deu tudo certo.