Arquivo diário: 23/11/2008

Convivendo com os desfalques

Já se passaram 12 partidas desde que a temporada regular começou para o Spurs, e, por enquanto, os três principais jogadores da equipe não estiveram simultaneamente em quadra sequer por um minuto. Isso ocorreu devidos às lesões que afetaram a equipe durante esse período. Manu Ginóbili se lesinou durante os Jogos Olímpicos de Pequim, teve que operar o tornozelo e desde então vem gradativamente se recuperando. Tony Parker torceu o tornezelo na partida diante do Miami Heat, a quinta da equipe, e desde então também desfalca a equipe. Apenas Duncan esteve presente em todas as partidas da temporada.

Após um começo conturbado e com muitos problemas, a situação parecia que iria piorar ainda mais com a ausência de Parker. A campanha era de 1 vitória e 4 derrotas, e, além de Manu Ginobili, a equipe agora não teria Tony Parker, o que causou pânico nos torcedores, que até sobre uma possível first pick já especulavam. Porém, com algumas alterações realizadas na equipe por Gregg Popovich, a mudança na postura do time dentro de quadra e principalmente a força coletiva do elenco colocaram a equipe de volta na briga pelos playoffs. Vamos a uma recaptulação do que aconteceu até agora:

Partida 1 (0-1) – Suns 103 @ 98 Spurs

Estréia na temporada, muita expectativa foi criada em cima desse jogo, principalmente pela polêmica envolvendo o Hack-a-Shaq. Sem Manu, não se sabia como reagiria o San Antonio Spurs, e os texanos concentraram o jogo basicamente em Parker e Duncan (32 pontos cada), e, mesmo jogando em casa, a derrota foi inevitável.

Partida 2 (0-2) – Spurs 99 @ 100 Blazers

Jogando fora de casa contra a promissora equipe do Portland Trailblazers, o Spurs novamente saiu derrotado. Finley teve em suas mãos a última bola que poderia dar a vitória a equipe do Texas, porém falhou em seu arremesso de 3 pontos. Mason com 14 pontos, e convertendo 6 de seus 7 arremessos tentados, começava a demonstrar sua importância para a equipe.

Partida 3 (0-3) – Mavs 98 @ 81 Spurs

Surrados em casa, e os sinais de uma crise apareciam em San Antonio. A equipe parecia não se encontrar em quadra, e em momento algum se mostrou superior ao rival Mavs, que contou com grande atuação de Nowitzki e Jason Terry. De positivo, apenas a estréia do novato George Hill, que anotou 11 pontos.

Partida 4 (1-3) – Spurs 129 @ 125 Wolves

Em partida emocionante com duas prorrogações, o San Antonio Spurs finalmente alcançou sua primeira vitóia, contando com grande atuação de Tony Parker, que neste jogo anotou seu recorde de pontos em uma partida na NBA, 55. Tim Duncan com 30 pontos e 16 rebotes e Roger Mason com 26 pontos também foram destaques.

Partida 5 (1-4) – Heat 99 @ 83 Spurs

Outra derrota humilhante em casa, e dessa vez com o agravante da lesão de Parker logo no início do jogo. O desespero começava a tomar conta dos torcedores. A equipe novamente não se encontrava em quadra, e, mal na defesa, foi alvo fácil para Wade.

Partida 6 (2-4) – Knicks 80 @ 92 Spurs

Na primeira partida sem Parker, o Spurs conseguiu a vitória diante do Knicks, do velho conhecido D’Antoni. Apesar de ir para o intervalo perdendo por 3 pontos, os texanos alcaçaram a vitória com uma virada no segundo tempo. Aqui, algumas mudanças foram feitas pr Popovich: Bowen deu lugar a Udoka no quinteto titular e Thomas teve seus minutos em quadra reduzidos e deu lugar a Oberto como titular.

Partida 7 (2-5) – Spurs 78 @ 82 Bucks

Em partida repleta de erros, o San Antonio Spurs esteve em noite apagada, e nem os 19 pontos de Finley foram o suficiente para ajudar Duncan (24 pontos) a levar a equipe a vitória. Udoka e Oberto seguiram como titulares.

Partida 8 (3-5) – Rockets 75 @ Spurs 77

A vitória para o Houston Rockets já era dada como certa para muitos, porém de maneira surpreendente o San Antonio Spurs derrotou os rivais do Texas, com uma incrível virada no último quarto, quando chegou a estar perdendo por margem superior a 10 pontos. George Hill foi o destaque, anotando 17 pontos, 6 rebotes e 5 assistências.

Partida 9 (4-5) – Spurs 90 @ 88 Kings

Vitória importante fora de casa, decidida na última bola, onde o coletivo foi fundamental. Finley com 21 pontos, Duncan com 20 e Mason com 18 pontos foram os destaques. Aqui, mais uma vez o técnico Gregg Popovich promoveu mudanças: Udoka deu lugar a Finley entre os titulares e Bonner teve seus minutos de quadra ampliados.

Partida 10 (5-5) –  Spurs 86 @ 83 Clippers

A terceira vitória seguida, e mais uma vez decidida apenas na última posse de bola. Mais uma vez o trio formado por Finley, Duncan e Mason foi fundamental para o triunfo fora de casa, anotando juntos 60 pontos. Aqui, o pesadelo da ausência de Parker e Manu já parece ter passado, a equipe mostra-se mais sólida na defesa e os coadjuvantes assumem espaço deixado pelos desfalques.

Partida 11 (5-6) – Nuggets 91 @ 81 Spurs

Derrota em casa, porém pode ser considerada normal dentro das circunstâncias. Com a chegada de Billups, a equipe do Colorado melhorou e uma vitória sobre eles seria surpreendente. Destaque positivo para os 20 pontos de George Hill, mais uma vez demosntrando potencial para se tornar um excelente jogador, e destaque negativo para Duncan, que fez sua pior partida na temporada com somente 12 pontos, convertendo apenas 4 de seus 13 arremessos tentados.

Partida 12 (6-6) – Jazz 94 @ 119 Spurs

A primeira vitória relativamente fácil na temporada. Sem maiores sufocos, o San Antonio Spurs superou a equipe de Utah que estava desfalcada de Deron Williams e Carlos Boozer. A novidade desta partida ficou por conta da volta de Bowen entre os titulares no lugar de George Hill, deslocando Mason para a armação. Mason inclusive foi o destaque da partida com 29 pontos, acertando 7 de 10 arremessos de 3 pontos, e George Hill anotou 23 pontos no jogo, sua maior pontuação na curta carreira como profissional.

Após todas essas partidas, creio que o Spurs sairá fortalecido desse período convivendo com os desfalques. Mason e Hill mostraram que podem ser reservas eficazes, inclusive com capacidade para anotar mais de 20 pontos e decidir uma partida. Finley parece ter voltado à boa forma e vem tendo atuações mais consistentes, será muito importante durante a temporada. Até mesmo o criticado Matt Bonner parece ter encontrado seu jogo, e, vindo do banco, vem conseguindo seguidamente realizar boas partidas participando da rotação de garrafão. Com tudo isso, o Spurs mostra que pode brigar pelo título com o retorno de Parker e Manu, e que todo o elenco será importante nesta jornada.

“Team is everything”