Arquivo diário: 16/11/2008

Le Magnifique Parker – Parte 3

No “Passando a Limpo” de hoje continuaremos com a biografia do armador francês Tony Parker. Na Parte 1 falamos sobre sua vida e o início de sua carreira no basquete, e na Parte 2 falamos sobre o sua ida à NBA e sua primeira temporada no San Antonio Spurs. Hoje falaremos como ele chegou ao topo.

Parker conseguiu mostrar a todos que duvidavam de sua habilidade com atuações sólidas em sua estréia em playoffs. Ele passou o verão aumentando seu repertório ofensivo e melhorando seu arremesso. O Spurs adquiriu Kevin Willis, Steve Kerr, Speedy Claxton e Emanuel Ginobili para reforçar a equipe.

Na temporada 2002/03, apenas sua segunda na liga, ele já conseguiu se tornar no Spurs a segunda opção de ataque, diminuindo assim a pressão em cima de TIm Duncan e facilitando seu trabalho, o que levou-o a ganhar seu segundo troféu de MVP da temporada. David Robinson anunciou que seria sua última temporada, o que fez o técnico Gregg Popovich diminuir seu tempo pra preservá-lo para os playoffs. O San Antonio terminou a temporada regular com 60 vitórias e 22 derrotas, e Parker conseguiu médias de 15.5 pontos, 2.6 rebotes e 5.3 assistências por partida.

Tony Parker comemorando seu primeiro troféu da NBA (Foto por Mike Blake/Reuters)

Tony Parker comemorando seu primeiro troféu da NBA (Foto por Mike Blake/Reuters)

Nos playoffs, o Spurs enfrentou na primeira rodada o Phoenix Suns. Parker conseguiu anular Stephon Marbury e o time cosneguiu vencer a série em cinco jogos. Na semifinal da divisão, o San Antonio enfrentou o Los Angeles Lakers. Com boas atuações nos Jogos 5 e 6 da série, Tony ajudou o time a chegar às finais da divisão.

O Spurs encontrou em seu caminho o Dallas Mavericks na final da conferência Oeste. Em uma série de altos e baixos do armador francês e com a lesão do principal jogador do Mavericks, o ala-pivô alemão Dirk Nowitzki, o San Antonio fechou o confronto no Jogo 6. Assim, o time texano chegou às finais da NBA.

A decisão do título foi contra o New Jersey Nets. Esse foi um confronto interessante entre Tony e Jason Kidd, um jovem habilidoso entre os melhores da posição versus um veterano no auge de suas habilidades. Apesar de não jogar bem a série, Parker venceu o confronto com Kidd e conquistou seu primeiro título da NBA, tornando-se o segundo armador mais jovem da história a ser campeão da liga.

Parker nas semifinais da conferência Oeste da temporada 2003/04 (Reuters)

Parker nas semifinais da conferência Oeste da temporada 2003/04 (Reuters)

Com o início da temporada 2003/04, o Spurs acreditava que poderia repetir a conquista mesmo com as várias mudanças no elenco. Tony não jogou os sete primeiros encontros da temporada regular por uma torção no tornozelo esquerdo. O time texano terminou a regular com campanha de 57 vitórias e 25 derrotas. Parker teve médias de 14.7 pontos, 3.2 rebotes e 5.5 assistências.

O Spurs terminou em terceiro na divisão, enfrentando assim o Memphis Grizzlies na primeira rodada. Em um confronto fácil, o time conseguiu passar a próxima rodada em quatro jogos. Nas semifinais, enfrentaram o Los Angeles Lakers, uma série que todos achavam que poderia decidir o campeão da NBA. O San Antonio não resistiu ao Lakers e caiu em seis jogos.

Parker e Manu Ginobili (ESPN.com)

Parker e Manu Ginobili (ESPN.com)

Tony ficou desapontado coma derrota nos playoffs para o Lakers, mas veio para o temporada 2004/05 para mostrar o seu melhor. Ele estava arremessando melhor, com uma variedade maior de jogadas ofensivas e aumentou sua média em pontos (16.6 por jogo), rebotes (3.7 por jogo) e assistências (6.1 por jogo). Ele se tornou um dos líderes do time, junto com Tim Duncan e o sexto homem Manu GInobili. Ele conseguiu levar o time a uma campanha com 59 vitórias e 23 derrotas.

Tony também começou a namorar nesta época a atriz Eva Longoria. Em todo jogo do Spurs, ela estava acompanhando seu companheiro.

O primeiro confronto dos playoffs foi o Denver Nuggets. Com uma série tranquila, o time venceu em cinco jogos. Depois, o Spurs enfrentou o Seattle SuperSonics, quando Parker usou sua experiência para passar pelo armador Luke Ridnour e vencer no Jogo 6.

Na final da conferência Oeste, o San Antonio enfrentou o run and gun do Phoenix Suns. O time sempre teve o contorle do confronto e foi para as finais da NBA em cinco jogos. Na final da NBA, O Spurs enfrentou o Detroit Pistons. Duncan era o foco do ataque, mas foi o perímetro, comandado por Tony Parker, que abria o caminho para a cesta. Ele foi o fator para o qual o Detroit não tinha resposta, com cestas decisivas e forte pressão na defesa. Em um emocionante Jogo 7, Parker conseguiu o segundo título da carreira, com Duncan sendo o MVP das finais.

Parker marcando Chauncey Billups durante as finais de 2005 (Foto por Brian Bahr/Getty Images)

Parker marcando Chauncey Billups durante as finais de 2005 (Foto por Brian Bahr/Getty Images)

Durante a off season, Parker jogou o campeonato Europeu e conquistou o terceiro lugar no torneio com a França.

Parker jogando pelo Les Bleus no Euro Basket de 2005 (ESPN.com)

Parker jogando pelo Les Bleus no Euro Basket de 2005 (ESPN.com)

photo

Parker no All-Star Game em 2005 (fandetonyparker.sky)

Parker foi para a temporada 2005/06 melhor do que nunca. Levou o time aos playoffs com 63 vitórias e 19 derrotas, com médias de 18.9 pontos, que fizeram dele o cestinha do time na temporada, 3.3 rebotes e 5.8 assistências. Ele também jogou seu primeiro All-Star Game, onde venceu o torneio Shooting Stars ao lado de Steve Kerr e Sandra Wecker.

Nos playoffs encarou primeiramente o Sacramento Kings, vencendo em seis  jogos. Depois encarou o Dallas Mavericks em um confronto decidido apenas no Jogo 7, perdendo nas semifinais daquele ano.

Na temporada 2006/07, o armador francês continuou a elevar seu jogo. Ele foi selecionado pela segunda vez para o All-Star Game. Com 18.9 pontos, 3.3 rebotes e 5.5 assitências por partida de média, Parker ajudou o Spurs a chegar aos playoffs com campanha de 58 vitórias e 24 derrotas.

Como em 2005, o Spurs enfrentou o Denver Nuggets, e passou por eles com cinco jogos. Nas semifinais, encontrou o Phoenix Suns de Steve Nash. Em um confronto com várias confusões e suspensões do lado do Phoenix, o Spurs venceu no Jogo 6. Na final da conferência, eles venceram o surpreendente Utah Jazz por quatro a um.

Na final, enfrenteram o Cleveland Cavaliers de Lebron James. Tony foi impecável, com uma média de 24 pontos no confronto. Eles venceram as finais da NBA em quatro jogos, assim Tony Parker conseguiu seu terceiro título e recebeu o prêmio de MVP das finais, o primeiro europeu a conseguir esse feito.

Parker com as taças de campeão e de MVP

Parker com as taças de campeão e de MVP

Durante suas férias, teve outra reviravolta em sua vida. Em uma cerimônia em castelo do século 17 na França, Eva e Parker se casaram, numa festa com vários convidados VIPs.

Ficha Técnica

Nome: William Tony Parker Jr.

Data de Nascimento: 17/05/1982

Cidade Natal: Bruges (Bélgica)

Altura: 1,88m

Peso: 81 kg

Posição: Armador

Spurs recorre à D-League pela primeira vez na temporada

Sports Illustrated)

Blake Ahearn integrará elenco do Spurs provisoriamente. (Foto: Sports Illustrated)

O San Antonio Spurs realizou neste domingo a primeira chamada de um jogador da D-League (liga de desenvolvimento da NBA) entre todas as franquias que disputam a liga profissional de basquete norte-americana. O armador Blake Ahearn, jogador do Dakota Wizards na D-League, agora fará parte do plantel do Spurs até o armador Tony Parker e o ala-armador Manu Ginobili estarem aptos para jogarem.

As lesões de Manu e Parker foram o principal motivo para a chegada de Ahearn ao plantel: o jogador de 24 anos pode atuar tanto na posição de Parker quanto na de Ginobili, setores carentes desde que ambos se lesionaram. Ahearn, no entanto, não deverá ter grande tempo em quadra devido aos bons jogos que a dupla formada por George Hill e Roger Mason tem feito. O ex-jogador do Dakota Wizards deverá entrar em quadra apenas quando os dois jogadores citados precisarem descansar, e deverá ser rebaixado para a D-League assim que os lesionados voltarem à ativa.