Arquivo diário: 11/11/2008

Popovich faz mistério com a saída de Parker

noticiasbrunozl91

O técnico do San Antonio Spurs, Gregg Popovich, sabe quem começará a partida de hoje diante do New York Knicks, em San Antonio. Entretanto, ele pretende adiar o máximo que puder para anunciar quem iniciará no quinteto titular.

Titular ou reserva, Popovich acredita que Vaughn será fundamental na ausência de Parker(Photo by Andrew D. Bernstein/NBAE via Getty Images)

Titular ou reserva, Popovich acredita que Vaughn será fundamental na ausência de Parker (Photo by Andrew D. Bernstein/NBAE via Getty Images)

“Já decidi quem começará jogando”, disse Popovich após os treinamentos de ontem. “A chance de eu dividir isso com vocês (Imprensa), é menor que a de um meteoro cair na Terra”, brincou o treinador. Apesar do mistério, especulações dão conta de que o escolhido será o novato George Hill. Apesar disso, Pop ainda tem mais duas alternativas: O veterano Jacque Vaughn e o recém-chegado Roger Mason Jr.

Durante as temporadas que atuou pelo Spurs, Vaughn começou 13 partidas como titular. Já Mason iniciou no quinteto principal na última sexta, contra o Miami Heat. Ano passado, pelo Washington Wizards, Mason começou nove jogos como titular – todas as vezes quando Gilbert Arenas e Antonio Daniels não estavam disponíveis.

Gregg Popovich acredita que Jacque Vaughn terá uma importância vital nessa ausência de Tony Parker. Por mais que ele pouco jogue, será fundamental ser uma espécie de mentor para o novato Hill. “Ele é um veterano experiente, todos nós sabemos disso (…) Acompanhei seu jogo durante todos esses anos; sua orientação dentro e fora de quadra será primordial para o sucesso do George (Hill)”, finalizou o treinador do Spurs.

San Antonio Spurs e New York Knicks se enfrentam daqui a pouco, às 23h30, horário de Brasília.

Anúncios

Knicks (4-2) @ Spurs (1-4) – Temporada Regular

Pré-Jogo – New York Knicks @ San Antonio Spurs – Temporada Regular

Local: AT&T Center

Horário: 23:30 (Horário de Brasília)

Data : 11/11/2008

Situação do jogo

O San Antonio Spurs enfrenta a maior crise dos últimos anos e teve seu segundo pior começo de temporada na história da franquia. Para completar, Tony Parker se machucou e se juntou a Manu Ginobili na lista de lesionados. Sem dois dos seus principais atletas, o Spurs entra em quadra confiando na armação do novato George Hill. Tim Duncan, mais uma vez, será o principal jogador da equipe e tentará liderar a garotada ao triunfo. Quem pode contribuir é o ala-armador Roger Mason, que está fazendo um excelente começo de temporada. Diferentemente do Spurs, o Knicks tenta apagar a má fama construída nos últimos anos; as quatro vitórias até aqui animam os torcedores, que torcem para a equipe voltar aos playoffs depois de muito tempo.

Fique de olho

New York Knicks

Zach Randolph tenta a jogada diante de Antawn Jamison, do Wasington Wizards (Photo by Ned Dishman/NBAE via Getty Images)

Zach Randolph tenta a jogada diante de Antawn Jamison, do Washington Wizards (Photo by Ned Dishman/NBAE via Getty Images)

O ala-pivô Zach Randolph é um dos jogadores mais criticados dentro da NBA. Ora pelo excesso de peso, ora pelas falhas do seu basquete. Mesmo assim, ele tem uma média de double-double por jogo e é o líder do Knicks em pontos (19.8) e rebotes (11.5). Ou seja, apesar de criticado, Randolph é um jogador que dá trabalho. O defasado garrafão de San Antonio deverá ser um prato cheio para o jogador.

Super-Ação

A bruxa está literalmente solta em San Antonio. Depois de perder ainda na pré-temporada o ala-armador Manu Ginóbili até meados de dezembro próximo, o San Antonio Spurs deverá lidar a partir desta semana com a ausência do armador Tony Parker, que se machucou e só deve estar em plenas condições em janeiro de 2009. Somadas essas lesões ao fato de a campanha do Spurs ser a pior da franquia desde muito tempo atrás, concluí-se que a bruxa realmente foi solta nos contornos do AT&T Center.

O momento, no entanto, não é propício para lamentações. O time está mal? Está. Os desfalques são importantes? Demais. Mas é hora de o elenco se unir, levantar a cabeça e seguir em frente. Seguir em frente amparado pela grande mão que a franquia terá até agora. Ele é só um jogador, mas pode valer pelo time todo nessa fase difícil. Falo, é claro, do Grande Fundamental. Falo, é claro, de Tim Duncan. Mais uma vez será dele o papel de bombeiro no incêndio que toma conta do Spurs. E ele pode.

São poucos os fãs incondicionais de Duncan – sou um deles assumido – graças à postura do jogador dentro e fora das quadras. Paradão, com expressão sempre tranquila, o ala-pivô parece incomodar – e incomoda – por sua eficácia. Suas jogadas não são nem um pouco plásticas, mas são eficientes ao extremo. Sua presença em quadra, apesar da cara de tranquilão, intimida muito mais do que a de muitos dos chamados bad boys. Hoje ele é um dos poucos jogadores que podem chamar a responsabilidade só – e somente – para ele. Tim Duncan é um dos poucos Grandes Fundamentais.

Marco na história do Spurs, Duncan encara talvez a situação mais complicada desde que chegou à equipe, no não tão longínquo 1997. Absolutamente ninguém poderá ajudar Duncan dessa vez. O calibre de Ginobili e Parker é simplesmente insubstituível no atual elenco de San Antonio. Não escolham jogadores que podem brilhar com a ausência dos dois contuntidos: apenas Duncan brilhará.

Se o San Antonio Spurs vai ou não vencer jogos com apenas Duncan de pilar, não se sabe. Pode ser que sim como pode ser que não; é imprevisível. Mas torcedores do Spurs, uni-vos: Tim Duncan é o único que pode cometer uma super-ação. É o único que pode atingir a superação. Nunca duvidem do que Ele pode fazer. Esta tudo nas Suas mãos, Duncan.