A temporada 2008/2009 – Conferência Oeste

Não se fala mais em outro assunto entre os fãs de basquete que não seja o início da temporada 2008/2009 da NBA, com previsão de bola subindo nos últimos dias de outubro. E, embalado por este clima, farei uma breve análise das conferências Oeste e Leste, concedendo hoje espaço para a primeira.

San Antonio Spurs

Como tem sido praxe nos últimos anos, quase ninguém aponta um determinado grupo de favoritos sem colocar o Spurs entre eles. Por mais que se critique a idade e o estilo de jogo da franquia comandada por Gregg Popovich, não incluí-lo no grupo dos times com condição de conquista pode ser um belo de um tiro no pé. Afinal, não é qualquer time que conta com um trio entrosado e formado por três dos melhores jogadores em atividade atualmente: Tim Duncan, Manu Ginobili e Tony Parker. Belo trio, que, comandado por um excelente técnico – um dos três melhores da NBA, creio eu – e auxiliado por um grupo consistente, tem tudo para levar, mais uma vez, o nome de San Antonio longe na disputa pelo anel de campeão.

Status: pós-temporada garantida; está no seleto grupo de ‘favoritos’.

Los Angeles Lakers

Quando tudo parece perdido para um dos times mais ricos da liga, logo vem um executivo e faz um belo negócio para engrenar o time. Foi deste modo que, em 2007/2008, o Lakers obteve, após a chegada de Pau Gasol, um belíssimo time, que conquistou o vice-campeonato da NBA. Com um quinteto inicial de dar inveja a muitos times, a franquia milionária de Los Angeles tem nessa temporada a chance de proporcionar aos seus torcedores uma das melhores duplas de garrafão dos últimos tempos: o já citado Gasol e o jovem Andrew Bynum, que volta de séria lesão como grande esperança para os angelinos. Não bastasse tudo isso, a equipe ainda conta com Kobe Bryant, simplesmente MVP da última temporada regular e um dos poucos jogadores intocáveis da história recente da liga norte-americana de basquete. Os Lakers são mais um time que coloco como favoritos ao título – e duvido que alguém não o faça.

Status: pós-temporada garantida; está no seleto grupo de ‘favoritos’.

Utah Jazz

A cada temporada que passa, a equipe de Salt Lake City cresce mais e faz seus alucinados fãs terem esperanças de um título inédito. Comandados pelo ótimo Jerry Sloan, Deron Williams, Carlos Boozer, Mehmet Okur e cia. têm, na prática, um dos melhores grupos da NBA. Entretanto, diferente do que acontece com os já citados Spurs e Lakers, o Jazz não transmite a certeza absoluta de que irá brigar pelo título. Sem sombras de dúvida, é um dos favoritos no Oeste, mas seu jogo parece não estar maduro o suficiente para ser campeão. O time é ótimo e o treinador também. Nas duas últimas temporadas, eles foram longe e adquiriram muita experiência. Williams é, cada vez mais, um dos melhores armadores da NBA. Mesmo assim, acho que, no máximo, chegará novamente a uma final do lado Oeste, sem passar para a grande Final. Para os próximos anos, a tendência é o time crescer, mas, por enquanto, acho que não tem o calibre necessário para buscar o anel.

Status: pós-temporada garantida; tem time para chegar à final de conferência.

New Orleans Hornets

Grande surpresa da última temporada regular, o time de Nova Orleans mostrou que pode repetir a surpreende campanha ao reforçar o bom time que tem, com a chegada, por exemplo, do experiente ala James Posey, campeão em 2007/2008 pelo Celtics. Mas assim, como com o Jazz, não consigo enxergar o Hornets como franco favorito, novamente por achar que o time não tem experiência necessária para tal. Claro, não vou negar que Chris Paul e cia. melhoraram e muito seu jogo com a chegada às semifinais do Oeste na última temporada, mas uma única presença em playoffs não credencia um time, por melhor que ele seja, ao título. A equipe está, a meu ver, ao lado das três primeiras citadas no grupo das quatro melhores da conferência. No entanto, assim como Jazz, acaba perdendo para Spurs e Lakers no quesito maturidade. Pode junto com o time de Salt Lake – e alguns outros que serão citados em breve – passar as franquias de San Antonio e Los Angeles em um futuro próximo e aí sim ser considerado favorito ao anel de campeão. Em 2008/2009, tem time para chegar na final, mas de conferência, o que já seria um grande avanço para um time que se mostrou apenas na última regular.

Status: pós-temporada garantida; tem time para chegar à final de conferência.

Phoenix Suns

Cada vez mais vejo a equipe do Arizona afastada de reais chances de título. Se quando o time era jovem o suficiente para correr no ritmo de jogo que a torcida já está acostumada, nesta temporada, com o elenco mais velho e um novo técnico – que provavelmente diminuirá o ritmo de transição defesa-ataque do Suns – a franquia está mais longe de qualquer pretensão maior. A chegada na pós-temporada deve acontecer, afinal o elenco é bom e conta com astros do porte de Steve Nash, Shaquille O’Neal e Amaré Stoudamire, mas sonhar com uma possível final é coisa demais para este time, que, além de tudo, ainda deverá contar com ingratas lesões ao longo da temporada, com O’Neal e Grant Hill sendo os principais alvos de tais infortúnios.

Status: aparecerá, sem maiores pretensões, na pós-temporada.

Houston Rockets

Muitos podem não ter a mesma opinião, mas com a volta do eficiente Yao Ming e a chegada do ótimo Ron Artest, vejo o Rockets emergir como um dos favoritos ao título da NBA. Se sem contar com os dois citados jogadores o time conseguiu embalar, em 2007/2008, a segunda maior série de vitórias da história da liga, com os dois integrados ao elenco, acredito que a franquia texana tenha força para ser campeã. Tracy McGrady nunca passou da primeira rodada da pós-temporada e terá nessa época uma chance única para provar aos críticos de plantão que não é o famoso ‘amarelão’. A defesa sólida do time, que ainda conta com o excelente Luis Scola e o exímio defensor Shane Battier vindo do banco, poderá fazer a diferença para o time, que tem como seu ‘calcanhar de Aquiles’ as lesões, uma vez que os principais jogadores do time – McGrady e Yao – costumam ter diversas passagens pelo estaleiro ao longo da temporada. Se a bruxa não for solta em Houston, é uma força a ser batida.

Status: pós-temporada garantida; está no seleto grupo de ‘favoritos’.

Dallas Mavericks

A terceira franquia do Texas, a meu ver, se encaixa na mesma posição em que coloquei o Phoenix Suns: um time em franca decadência, que deve entrar na pós-temporada, mas não deve almejar grandes feitos na mesma. O diferencial entre Mavs e Suns está na qualidade do elenco. O time do Arizona tem mais elenco que o do Texas, mas este, por sua vez, parece ter comando técnico mais gabaritado. Se Jason Kidd, Dirk Nowitzki e Josh Howard jogarem juntos tudo o que deixaram de jogar na última temporada, os torcedores do Dallas podem dar como certa a presença nos playoffs. Caso contrário, é bom o Mavericks olhar bem no retrovisor, pois a sétima colocação no Oeste em 2007/2008 é um grave alerta de quem tem gente com qualidade subindo a cada ano.

Status: aparecerá, sem maiores pretensões, na pós-temporada, caso seus bons jogadores joguem o que sabem; senão, pode acabar nem ficando entre os oito primeiros do Oeste.

Denver Nuggets

Aqui está uma franquia que mostra para todas as outras como NÃO se deve administrar um time que disputa qualquer campeonato profissional de basquete, sobretudo o mais disputado do mundo. A dupla de estrelas formada por Allen Iverson e Carmelo Anthony definitivamente não deu certo: fala-se em Denver que Iverson não deve seguir na equipe. Um ataque que faz muitos pontos; uma defesa que já era praticamente nula e perdeu seu principal referencial (Marcus Camby). É deste modo que o Nuggets caminha a passos largos para ficar de fora da pós-temporada da NBA. Equipes emergentes como Portland Trail Blazers têm (muitas) chances de tirar a vaga que, nos últimos anos, pertencia aos jogadores do Colorado.

Status: deverá lutar, mas acabará fora da pós-temporada.

Portland Trail Blazers

Citado na análise do Denver Nuggets como uma equipe emergente, o Blazers é mais que isso: na temporada 2008/2009 o time terá que provar que ótimos jovens valores podem sim conduzir um time aos playoffs. Para isso, o reforço de Greg Oden – que finalmente debutará na NBA – e a chegada do ótimo Rudy Fernandez fazem do time do Oregon um perigo aos mais velhos, acostumados a obterem com certa facilidade uma vaga entre os oito melhores da conferência. Nat McMillan, técnico da franquia, terá a árdua missão de comandar um time que é visto como um dos melhores para um futuro próximo e que tem em suas costas muita esperança depositada. Caso não haja guerra de egos interna e o sucesso não suba à cabeça dos meninos, o Blazers deverá sim figurar na pós-temporada.

Status: deve ir para a pós-temporada e adquirir experiência na mesma.

Golden State Warriors

Na última temporada, perdeu sua vaga entre os oito melhores no estouro do cronometro, por assim dizer, em disputa com o Nuggets. Perdeu na offseason seu principal craque nos últimos anos, o armador Baron Davis. No comando técnico, Don Nelson foi mantido e, com isso, o run’n’gun praticado nas últimas temporadas também deve continuar. Se com Davis a situação não era das mais fáceis, sem ele e com Monta Ellis armando o time – depois de se machucar nas férias e causar grande mal-estar no ambiente da franquia – as coisas não devem ser das melhores para a apaixonada torcida de Okland. Uma vaga nos playoffs é bastante improvável.

Status: deve, mais uma vez, ficar fora da disputa da pós-temporada.

Los Angeles Clippers

E finalmente o ‘primo pobre’ de Los Angeles resolveu se mexer. Cansado de obter boas escolhas no draft devido a suas péssimas campanhas nas temporadas regulares, o Clippers trouxe de uma só vez Baron Davis e Marcus Camby, melhorando o elenco que teve como grande baixa a saída de Elton Brand para o Sixers. Se equipes como o Mavericks e o Suns bobearem, podem ver o Clippers cada vez mais perto de suas vagas. Não é grande favorito a uma chegada nos playoffs, mas, dependendo do entrosamento de seu time, pode sim acabar fisgando a oitava vaga. O que a torcida realmente espera é que, nesta temporada, não haja a fatídica disputa pela primeira escolha do próximo recrutamento.

Status: caso haja entrosamento, pode disputar com Mavericks, Suns e Blazers uma vaga na pós-temporada.

Memphis Grizzlies

Sai Gasol entra… Gasol! O irmão mais novo da família Gasol, Marc, chega ao time com status de grande contratação para a temporada 2008/2009. O time é bastante jovem e conta com uma base formada agora por Mike Conley Jr, Rudy Gay e Marc Gasol. Apesar disso, a disputa na qual deve se envolver é a mesma das últimas temporadas: boa colocação no draft seguinte. Caso não desfaça seu elenco e trabalhe bem seus jovens valores, pode emergir no futuro em uma disputa por pós-temporada.

Status: disputará escolha alta no draft 2009.

Sacramento Kings

Realmente não sei o que dizer do Kings. Depois de se desfazer de Mike Bibby, a equipe trocou seu outro destaque, Ron Artest, que agora reforça o Rockets. Deve ficar, mais uma vez, fora dos playoffs, mas ao que tudo indica, passa por um processo de reformulação visando um futuro próximo. No entanto, das equipes que lutam por um futuro mais próspero, é a que menos me agrada. Fora da pós-temporada, não tem time para ser uma das piores franquias da NBA. Sua torcida deve sentir cada vez mais saudade dos tempos de Webber, Divac e cia.

Status: mais uma vez, fora da pós-temporada.

Minnesota Timberwolves

Ficou claro que o grande objetivo da equipe ao mandar Kevin Garnett para o Boston Celtics na última temporada não foi criar uma potência no Leste. Os Wolves fizeram uma temporada como o esperado em 2007/2008, mas cada vez mais parecem ter um time com um futuro mais feliz do que o presente. Se bem trabalhada, a dupla de garrafão composta por Kevin Love e Al Jefferson tem tudo para brilhar e criar esperanças de tempos melhores em Minnesota. Entretanto, não deve se meter na briga dos grandes times e deve acabar a temporada com uma escolha de draft alta em suas mãos.

Status: luta por escolha alta em 2009.

Oklahoma City Thunder

Última franquia do Oeste a ser analisada, deve ficar também com o último lugar da conferência. Provavelmente, a mudança de Seattle para Oklahoma não fará muita diferença. O time se diz olhando para o futuro, o que em todo caso é compreensível, afinal, no presente, não deve ter outro papel a não ser o de sacos de pancada. Favorito absoluto para a primeira escolha do recrutamento de 2009.

Status: pior time do Oeste, na luta pela primeira escolha em 2009.

Classificação final da conferência Oeste em 2008/2009*

1º – Los Angeles Lakers
2º – Houston Rockets
3º – Utah Jazz
4º – New Orleans Hornets
5º – San Antonio Spurs
6º – Portland Trail Blazers
7º – Phoenix Suns
8º – Dallas Mavericks
9º – Los Angeles Clippers
10º – Golden State Warriors
11º – Denver Nuggets
12º – Sacramento Kings
13º – Minnesota Timberwolves
14º – Memphis Grizzlies
15º – Oklahoma City Thunder

*palpite do autor, assim como em todo o restante do artigo.

Anúncios

Sobre Leonardo Sacco

É jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero. Cravou a opção pelo jornalismo no estouro do cronômetro, quando criou o Spurs Brasil em uma madrugada de domingo para segunda. Escreve para o Yahoo! Esportes e dá seus pitacos no @leosacco.

Publicado em 07/10/2008, em Análises, Artigos, Na linha dos 3. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s