A empáfia de Iziane

Olá, caro leitor!

Após alguns dias do episódio lamentável protagonizado pela (ex) jogadora da seleção brasileira de basquete, a maranhense Iziane, o Spurs Brasil relembra o episódio e o que se sucedeu depois de todo aquele rebuliço, que pouco foi noticiado pela imprensa.

Para você, que não lembra, ou simplesmente não ficou sabendo do ocorrido, aí vai um breve resumo dos acontecimentos: O jogo era Brasil e Bielorrúsia, a partida valia uma vaga para os Jogos Olímpicos de Beijing. Com pouco tempo no cronômetro para o final da partida, o Brasil estava perdendo, com chances ínfimas de virar. Foi então que Bassul chamou Iziane para entrar em quadra. A jogadora disse que não entraria, e no ato o técnico disse: “Você está fora!”. A partir daí começou uma chuva de críticas para cima de Iziane e conseqüentemente ela foi cortada do Pré-olímpico e das Olimpíadas.

Após todo esse episódio, a atleta, que é uma das brasileiras na WNBA -joga no fraquíssimo Atlanta Dream – voltou a falar, e, quando abriu a boca, parece que não mediu muito as palavras. Surpreendente e lamentavelmente, Iziane disse que se arrepende do que fez, mas, que se tivesse nova oportunidade, faria tudo novamente. “Eu me arrependo sim, do que fiz, pois foi ruim para a minha imagem e para a do basquete brasileiro. Em agosto vou ter a sensação de que poderia estar lá. Mas eu faria tudo de novo se ele me tirasse novamente”, disse Iziane em entrevista ao ‘Jornal Extra’. Ou seja, ela não se arrependeu nem um pouco de sua atitude.

Ironicamente ou não, a atleta disse que ficou feliz com a classificação da equipe para os Jogos, e falou que a primeira coisa que fez quando chegou nos Estados Unidos foi ver o resultado do jogo via internet: “Fiquei muito feliz, de coração. As meninas são muito guerreiras. O Brasil precisava dessa vaga”, completou a jogadora.

O basquete vive dias complicados. Há os eternos problemas fora das quatro linhas, problemas dos quais nem vou perder meu tempo citando, pois, a cada dia que passa, o assunto se torna mais batido e ninguém consegue tomar uma atitude. Portanto, vou passar por cima disso no momento. Mesmo tentando ignorá-los, é claro que esse montante de problemas se reflete dentro de quadra. É impossível se ter um time organizado se a organização não vem do topo. Não adianta nada trazer técnicos estrangeiros, ter atletas renomados que são estrelas na WNBA/NBA se a organização não vem de cima. Isso tudo acaba sendo refletido em quadra, e muitas das vezes a culpa não é dos jogadores nem dos técnicos.

O caso de Iziane é um pouco mais complicado. Todos sabem que seus problemas com o técnico Paulo Bassul vêm desde o juvenil. O treinador crê que Iziane prejudica o esquema tático da seleção por ser uma jogadora individualista. A jogadora, em entrevistas, disse que Bassul, por não morrer de amores pelo seu estilo de jogo, acaba punindo-a em momentos decisivos das partidas, deixando-a no banco de reservas. Uma amiga minha, que inclusive já foi treinada pelo Bassul também nas categorias de base, afirmou que o técnico deixa um pouco a desejar em alguns quesitos, tanto no tático quanto no relacionamento com as atletas.

Agora, por mais que Bassul seja um péssimo treinador em alguns pontos (Não vou entrar nesse mérito), a atitude que a Iziane tomou não se justifica. Acho que uma estrela tem sim que se impor de alguma maneira, mas creio que ela escolheu a pior forma para isso. Foi uma atitude infantil, que uma jogadora desse nível nunca poderia tomar. Como ela mesmo reconheceu, fica feio para o basquete brasileiro, e principalmente para sua própria imagem. O curioso é que, depois que ela voltou à WNBA, a técnica do Atlanta Dream tem deixado-a de molho. O episódio na seleção brasileira também repercutiu nos Estados Unidos, e a imagem da jogadora, infelizmente, sai um pouco manchada após esse pré-olímpico. Pelo menos, ela está consciente dos rumos que sua carreira está tomando.

Anúncios

Sobre Bruno Pongas

Acompanha o San Antonio Spurs desde 1998, já escreveu para o Spurs Brasil de 2008 a 2012, criou o Destino Riverwalk e agora volta à velha casa para dar seus pitacos sobre o San Antonio Spurs.

Publicado em 24/06/2008, em Artigos, Na linha dos 3. Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Brasileiros são cabeçadas mesmo.. SPlitter deixando NBA do lado.. essa dai… não da pra ter expectativas no Brasil realmente

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s