Em Pequim

Mesmo com o importante desfalque de Iziane, a seleção brasileira feminina de basquete venceu hoje a final da repescagem do pré-olímpico da categoria, disputado em Madrid, e garantiu o passaporte para as Olimpíadas de Beijing.

Bassul escalou, novamente, Karla no lugar de Iziane. A loira já tinha entrado muito bem contra a Bielo-Rússia, sendo a cestinha da nossa seleção. Claudinha, Micaela, Êga e Kelly completaram nosso 5 inicial. Pelo lado das cubanas, destaque para a dupla de garrafão titular formada por Plutin e Boulet.

O jogo começou com o Brasil concentrando muito seu jogo no perímetro. Faltando 3:32 para o fim do primeiro quarto, Êga tem que ir para o banco por problemas com faltas. Pouco depois, a nossa seleção consegue sua primeira liderança no placar; 13×11 Brasil. As nossas pivôs, principalmente Kelly, começam a entrar no jogo. Fim do quarto, vitória brasileira por 19×16.

O segundo quarto começa equilibrado. Faltando 6:07, Mamá dá um susto ao sair de quadra mancando após sofrer falta violenta. Felizmente, não era nada demais e ela pôde retornar ao jogo mais tarde. Com muitas reservas em quadra, os dois times cometem bastante erros seguidos. Faltando 2:43, Claudinha coloca o Brasil 5 pontos a frente com uma bola de 3, mas Amargo, no finalzinho, começa a aparecer muito bem fazendo 5 pontos seguidos e dando números finais à primeira metade do jogo, empatando-o em 34 a 34.

Logo na volta dos vestiários, Êga comete nova falta e tem de sentar novamente. A cesta de 3 de Amargo é seguida de um contra-ataque cubano que coloca Cuba na frente por 39 x 34, a maior vantagem cubana até então. Apenas na metade do quarto, aproximadamente, Natália converte o primeiro lance livre do Brasil no jogo; em uma decisão equilibrada como essa, o mal aproveitamento podia ter feito a diferença. Cuba se aproveitava do mal desempenho das brasileiras na linha dos lances e da condescendência da arbitragem para parar o jogo com faltas duras no garrafão. Com pouco menos de 3 minutos por jogar, o Brasil começa sua reação, e Chuca, após rebote ofensivo, derruba para 2 a diferença que chegou a ser de 6 pontos. Com menos de 1 minuto, Mamá empata o jogo em 45, mas Casanova dá números finais ao quarto; Cuba 47×45.

O último quarto foi tão emocionante quanto prometia ser. Apenas no último período foi marcada uma fata intencional de Cuba, que permitiu que Chuca empatasse o jogo. Com pouco menos de 9 minutos a serem jogados, Kelly dá um belo toco, e, no contra ataque, o Brasil novamente iguala o jogo. Faltando 8:08, o Brasil toma a liderança do placar pela primeira vez no quarto, com cesta de Karla; Brasil 51×50. Faltando 6:26 Casanova abre 4 para Cuba. Com 4:21, Karla derruba a vantagem para 1 ponto, mas, com uma sequência de bons ataques, as cubanas voltam a abrir 4.

Faltando menos de 2 minutos, começa um verdadeiro jogo de xadrez em quadra. Micaela empata, e, em seguida, Kelly vira o jogo para o Brasil. Cuba pede tempo, e, na volta,empata novamente, e Bassul também para o jogo. Faltando 32 ssegundos, Karla coloca o Brasil na frente convertendo 2 lances livres. Cuba para o jogo novaemente, e, faltando 0:22, erra seu arremesso e para para o jogo com falta em Micaela, que converte os dois lances livres e obriga Cuba a pedir outro tempo. Faltando 0:14, Mamá comete sua primeira falta e Plutin derruba os dois arremessos; Bassul pede o último tempo do jogo. Faltando 12 segundos, Micaela converte mais 2 lances, e, na sequência, Cuba erra seu arremesso de 3 pontos. Ainda dá tempo de Mamá converter um último lance livre e dar números finais ao jogo; 72×67.

O grupo que foi definido por mim mesmo, na coluna de ontem, como formado por apenas coadjuvantes mostrou que tem brio suficiente para encarar uma decisão. O potencial do basquetebol brasileiro foi mostrado hoje. Lamento apenas os desfalques e o abandono, de todas as partes, que o esporte sofre no país.

Boa sorte para nossas meninas em Pequim!

Sobre Lucas Pastore

Um dos fundadores do Spurs Brasil. Formado em Jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie em 2010, é editor assistente do UOL Esporte. Cobriu o basquete olímpico na Olimpíada de 2016 pelo LANCE!. Trabalhou também para Basketeria e mob36.

Publicado em 15/06/2008, em Resumo de Jogos. Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Leonardo Sacco

    Só faltava a seleção não se classificar. E agora, será que a Iziane vai se recusar a entrar?

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s