Arquivo diário: 01/06/2008

Notícias – DerrMarr Johnson preso por dirigir embriagado

DerrMar Johnson deixando o escritório do juiz depois de pagar fiança por dirigir embriagado no domingo (Jerry Lara/Express-News) O ala do Spurs, DerrMarr Johnson, foi preso e multado por dirigir embriagado, segundo os oficiais do centro de detenção. Johnson, 28 anos, pagou mil dólares de fiança e foi solto essa manhã.

“Eu tomei apenas algumas taças de vinho,” disse Johnson, antes de entrar em seu carro que estava em frente ao centro de detenção.

Johnson, um agente livre irrestrito do Spurs, disse que não achava que estava embriagado no momento da prisão, mas a acusação pode afetar sua situação no time.

Ele tem a faca, o queijo e tudo mais nas mãos

O que um profissional de qualquer área busca após ingressar no mercado de trabalho? A resposta está na ponta da língua dos bilhões de trabalhadores ao redor do mundo: sucesso profissional e alto retorno financeiro. Em outras palavras, os profissionais buscam o melhor lugar para trabalhar, onde sejam reconhecidos e bem remunerados.

Transferindo essa lógica para o basquete mundial, temos a seguinte seqüência: você se forma jogador e deseja jogar na NBA, a milionária e concorrida liga norte-americana de basquete. Os melhores jogadores, os melhores técnicos e os melhores salários estão lá. Ninguém recusaria uma proposta para entrar nesse “mundo mágico do basquete”, certo? Errado!

Diversos jogadores foram recrutados e considerados aptos para jogar por algum time da NBA, mas recusaram ou adiaram a proposta por algum tempo. Luis Scola e Manu Ginóbili são dois exemplos de jogadores que atuavam em clubes europeus, foram selecionados no recrutamento de calouros e adiaram suas vindas para a liga norte-americana. E, segundo rumores, o pivô brasileiro Tiago Splitter pretende engrossar essa lista.

Splitter foi selecionado no draft de 2007, na primeira rodada, pelo San Antonio Spurs. Entretanto, uma cláusula em seu contrato com sua equipe na Espanha, o TAU Cerámica, o impediu-o de vir direto para a NBA. O jogador teria que aguardar mais um ano para ser liberado. Passados esses doze meses, eis que surge a possibilidade do brasileiro não atuar pela equipe texana. E a motivação não viria de nenhum dos dois times envolvidos nas negociações, e sim do próprio Tiago. Após receber milionária proposta para seguir jogando na Espanha, o pivô balançou, e segundo publicações espanholas, estaria disposto a largar o sonho de atuar na NBA. O abastado salário que receberia e a forte ligação que tem com a equipe seriam os motivos dessa desistência.

Não quero julgar Splitter e nem condená-lo, mas acho que se o jogador desistir de atuar na NBA para ganhar mais na Espanha – como está sendo veiculado na imprensa – ele estará fazendo uma grande besteira. A equipe que o recrutou não é qualquer uma. É a franquia que mais venceu a liga nos últimos 10 anos, que possui planejamento e ótimos jogadores, como Tim Duncan, uma lenda do basquete, considerado um dos melhores jogadores da história em sua posição. Um ala-pivô que teria muito a ensinar para Tiago – que é bom jogador, mas ainda tem muito a aprender.

Além do aprendizado, Splitter cairia como uma luva na equipe, que hoje é uma das mais velhas de toda a NBA. E, se todos esses motivos não superam o dinheiro, que ele olhe para seus compatriotas Leandrinho Barbosa e Nenê Hilário que, respectivamente, tem ganhos anuais que batem na casa dos US$7 e US$10 milhões.

Tiago Splitter tem a faca, o queijo, o prato, o pão e tudo mais em suas mãos. O Spurs precisa se rejuvenescer, carece de pivôs com jogo parecido com o do brasileiro e ainda pode oferecer um aprendizado que ninguém mais poderá para o jogador. E se dinheiro é o “problema”, só Splitter continuar jogando da forma como sempre jogou na Espanha que ele logo conquistará a torcida texana (vide novamente Leandrinho, Nenê e, dessa vez, Anderson Varejão) que conseqüentemente receberá mais cifrões em seu salário.

Sei que não tenho o direito de me meter no que pensa o jogador e nem tenho a pretensão de que ele (re)conheça minha opinião. Mas se eu estivesse em sua pele, não pensaria duas vezes…

Silver Stars @ Storm – WNBA – A bela australiana arrasa

57X78

Em um jogo com forte marcação e uma grande atuação da duas vezes MVP da WNBA, a australiana Lauren Jackson, as San Antonio Silver Stars perderam na Key Arena para as Seattle Storm. Ann Wauters, que deixou as New York Liberty depois da temporada de 2005 mas retornou a ação esse ano pelas San Antonio, começou como pivô no lugar de Ruth Riley, que estava com o tornozelo torcido.

Lauren Jackson arremessando contra Ruth Riley (Photo by D. Clarke Evans/NBAE via Getty Images)As Storm começaram a partida arrasadoras, abrindo 0-14, com 12 pontos de Lauren Jackson. As Silver Stars erraram os 15 primeiros arremessos e fizeram seus primeiros pontos apenas quando Sophia Young converteu dois lances livres na metade do primeiro período, e acertaram o primeiro arremesso em quadra apenas quando Young fez uma bandeija faltando 30 segundos para o fim do quarto inicial. Jackson terminou o período com 16 pontos, e as Silver Stars fizeram apenas 7.

Depois desse começo de partida impressionante, as Storm lideraram até o fim, sempre com dígitos duplos de diferença no placar. As San Antonio converteram apenas 28% ( 16-68 ) dos arremessos no jogo. As Storm acertaram 48% ( 30-62 ).

Destaques da partida

San Antonio Silver Stars

Sophia Young – 14 pontos, 6 rebotes e 2 assistências

Ann Wauters – 14 pontos, 5 rebotes e 75% ( 6-8 ) dos arremessos em quadra

Erin Buescher – 10 pontos, 4 rebotes e 3 roubos de bola

Becky Hammon – 3 pontos, 5 erros de ataque e 0% ( 0-6 ) dos arremessos em quadra

Seattle Storm

Lauren Johnson – 28 pontos e 3 rebotes

Swin Cash – 14 pontos, 9 rebotes e 2 bloqueios

Tanisha Wright – 10 pontos e 4 rebotes

Yolanda Griffith – 7 pontos, 10 rebotes e 3 roubos de bola

Sue Bird – 4 pontos e 10 assistências