Arquivo diário: 28/05/2008

Interativo – Lakers @ Spurs – Playoffs 2008 – Jogo 4

Melhores momentos de Lakers @ Spurs – Jogo4

NBA TV – Top 5 de 27/05/2008 – Rodada de Lakers @ Spurs (Jogo 4)

Parker converte a cesta e recebe falta no contra-ataque

Grande atuação de Kobe Bryant

Lance polêmico no final do jogo entre Fisher e Barry

Gregg Popovich na coletiva oficial após o jogo

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Phil Jackson na coletiva oficial após o jogo

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Entrevista pós-jogo com Tim Duncan

Entrevista pós-jogo com Brent Barry

Entrevista pós-jogo com Manu Ginobili

Rumores – Splitter pode ficar no TAU

Tiago Splitter Segundo o site do jornal espanhol “Marca”, Tiago Splitter permanecerá no TAU Cerámica na próxima temporada e não irá jogar pelo San Antonio Spurs na NBA.

Nesta terça, um enviado do Spurs esteve em Vitória, na Espanha, para convencer o pivô do TAU, Tiago Splitter, a se juntar ao time texano, por ele ser parte da “operação rejuvenescimento”. Mas parece que ele não conseguiu e o brasileiro ficou muito satisfeito com a oferta de renovação, devendo assim permanecer no time catalão.

Splitter, escolhido pelo San Antonio Spurs na 28ª escolha do Draft de 2007, aceitará a oferta de renovação do TAU. O acordo converterá Tiago na grande aposta do time, da mesma maneira que foi Luís Scola, que não foi para NBA antes dos 26 anos. Ele tem uma forte ligação com o clube. Com 15 anos, em 2000, o TAU Cerámica contratou Splitter do time de Blumenau, e colocou ele para jogar no Araba Gorago da liga EBA. Jogou na seleção brasileira em todas as categorias (foi para o Mundial de Indianápolis com apenas 17 anos), foi cedido duas temporadas para o Bilbao Basket (de 2001 a 2003, na LEB 2 e LEB) e voltou ao TAU. Na equipe catalã ele se naturalizou espanhol (em 2004) e foi o MVP das duas últimas Supercopas.

Notícias – Gregg Popovich confirma extensão

Gregg Popovich (AP Photo/Matt Slocum)Gregg Popovich confirmou que assinou um contrato para continuar treinando o San Antonio Spurs até a temporada 2011-12. A extensão adiciona duas temporadas ao seu atual acordo com a franquia. O proprietário do Spurs, Peter Holt, disse na semana passada que ele e Popovich tinham um acerto verbal.

“Se nunca tivéssemos um acordo assinado, continuaria tudo bem,” disse Holt. “Esse é maneira que nosso relacionamento sempre foi.”

Lakers @ Spurs – Jogo 4 – Agora complicou…

93X91

Lakers lidera a série (3-1)

Sem nenhum momento de liderança na partida inteira e com péssima atuação na coleta de rebotes, a equipe do San Antonio Spurs perdeu, em casa, o quarto jogo da série contra o Los Angeles Lakers, pelas finais da Conferência Oeste, e, com 3-1 contra, está numa situação complicadíssima na Liga.

Os Spurs começaram a partida com Finley e Oberto em quadra, deixando Manu e Thomas para serem utilizados mais tarde. Parker, Bowen e Duncan completaram a equipe inicial.

Os Lakers começaram melhor o jogo. Abriram 4×0, os Spurs buscaram, mas logo a equipe californiana, com boa atuação de Radmanovic, abriu 10×4. Pop parou o jogo para chamar sua equipe. Na volta, Ginobili já estava em quadra. Dominando os rebotes, os Lakers, com pouco mais de 5 minuto jogados, já abriam 10 pontos. Popovich teve que pedir outro tempo pra ver se conseguia trazer seu time pro jogo. Horry voltou no lugar de Oberto para tentar deixar sua equipe mais leve. A esperança começa a aumentar quando, faltando 4:33, Odom comete sua segunda falta e sai da quadra. Parker converte seus dois lances livres, mas mesmo assim a diferença continua enorme; Lakers 22×10. Em seguida, após perda de posse do substituto do ala argentino, Walton, que andou em quadra, Barry converte uma bola de 3 em sua primeira aparição ofensiva. Duncan rouba a bola de Gasol e Parker converte mais 2. Fisher então joga um balde de água fria na torcida presente no AT&T Center mandando uma bola de fora e devolvendo a diferença para 10 pontos. Porém, logo em seguida, com 3:20 por jogar, o armador de Los Angeles também teve que sentar por problemas com faltas. Jakcson parou o jogo para explicar o que o seu reserva deveria fazer. Parker, o líder da equipe de San Antonio até então, converteu os dois lances livres e dominuiu a diferença para 8. A partir daí, o quarto ficou equilibrado. No finalzinho, Duncan liderou um bom final de período, terminando-o com uma enterrada que gerou polêmica; teria o ala-pivô texano andado? De qualquer forma, os Lakers ainda estavam na frente, por 28×23.

No segundo quarto, Manu passou uma bola mal, num lance que terminou em enterrada de Walton. Com nenhum ponto, nenhuma assistência e apenas 1 rebote até então, o argentino via sua equipe perdendo por 34×25. Mais uma vez, tempo pedido do lado texano. Faltando 8:07, Odom comete nova falta e tem que sentar de novo. Horry converte, nos lances livres, seus primeiros pontos na partida. Barry, em seguida, dominui pra 5 a diferença. Boa atuação do ala-armador até então. Vujacic e Barry mandam bolas seguidas de 3 pontos. Com 7 pontos atrás, faltando 5:45 para o fim do quarto, os Spurs têm no tempo oficial da TV uma chance pra ser acertar. Fisher também se pendura; os Spurs têm pouco mais de 5 minutos pra aproveitar as ausências do armador e do ala-pivô titulares dos Lakers para buscar a diferença de 5 pontos. O reserva do time caloforniano Vujacic também comete a terceira falta, e, nos lances livres convertidos por Barry, vê a diferença cair para 3. Parker, com cesta e falta, que pendura Farmar, faz os Spurs empatarem em 43. Os Lakers param o jogo, após uma cesta de Gasol que lhes deu a liderança de volta e um toco de Duncan em Farmar. Phil parece ter ido bem na decisão; com um bom fim de quarto, a equipe californiana volta a abrir uma confortável vantagem, indo para os vestiários com 53 x 47.

Dominando os rebotes (25 x 15), principalmente os ofensivos (11 x 3), os Lakers, tendo praticamente o mesmo desempenho nos aremessos de quadra do que os Spurs (47% x 43%) levavam vantagem por terem tentado mais aremessos (46 x 32). O que mantinha o time texano no jogo era o desempenho do seu banco, superior ao da equipe de Los Angeles, que teve seu elenco bastante exigido graças aos problemas de faltas com Odom, Fisher, Vujacic e Farmar. Ginobili, com nenhum ponto, era a grande decepção da partida.

Volta do intervalo, titulares em quadra, com Manu de ala-armador pelo lado dos Spurs. Duncan conseguiu uma jogada de 3 com cesta e falta, mas a vantagem continuava com os Lakers. Bowen mandou uma bomba com pouco mais de 2 minutos jogados, fazendo a diferença cair. Kobe colocou sua equipe na frente por 5 pontos, com 6:58 por jogar, e fez com que o técnico dos Spurs pedisse tempo. Pouco tempo depois, Barry fez a diferença cair para 4 com sua costumeira bomba. A enterrada de Duncan em seguida diminuiu a vantagem dos Lakers para apenas 2. Após mal passe de Fisher, Parker empata o jogo em 65. Faltando 3:50, Fisher volta a se pendurar, e, nos lances livres, Duncan iguala novamente o placar. Kobe enterra, e, 2 pontos a frente e com a posse de bola, após arremesso errado por Duncan, vai ouvir as instruções no tempo pedido por Phil Jackson. Após erros das duas equipes, Odom coloca lá dentro e os Lakers voltam a ficar duas posses de bola na frente. Faltando 1:42, é a vez do ala-pivô argelino do time de Los Angeles se pendurar novamente, seguido por Vujacic, ambos com 4 faltas. 1:32 por jogar, e Manu faz seus dois primeiros pontos nos lances-livres, fazendo a diferença cair para 1 pontinho apenas. Mas uma enterrada de Kobe e uma bola de 3 de Vujacic mais lance livre de bonificação fazem os Lakers abrirem de novo. O quarto quarto começaria com os Spurs perdendo de 77 x 70.

A torcida texana se enche de esperança quando Duncan começa o quarto pontuando e fazendo a diferença cair. Em seguida, Barry de 3 faz a vantagem dos Lakers cair pra apenas uma posse de bola. Phil Jackson, vendo sua equipe começar o quarto com 0x5, para o jogo para esfriar os ânimos da equipe de San Antonio. A partir daí, o jogo se equilibra e a diferença se mantém por um bom tempo, até que, faltando 3:51, com enterrada mais lance livre de bonificação de Lamar Odom, os Lakers abriram 7 pontos de vantagem. Em seguida, Kobe rouba a bola de Oberto e, na enterrada, faz a diferença subir mais ainda. 3;26 por jogar, e os Spurs pedem tempo para avaliar o tamanho do estrago. Na volta, de novo Barry para 3, fazendo a diferença cair para 6 e colocando os Spurs de novo no jogo. Faltando 1:16, Parker coloca lá dentro e diminui pra 5 a vantagem californiana. Odom então converte seus dois lances livres, após tentativa ilegal de rebote de Barry, e, 7 pontos atrás, Pop pede tempo. Apenas 56 segundos por jogar. Na volta, Barry erra seu arremesso de 3, e Oberto para o jogo com falta em cima de Gasol. O pivô espanhol erra seus dois arremessos e Ginobili converte de 3; Lakers na frente por 4. Kobe Bryant erra a bandeja e Parker coloca lá dentro; 2 pontos atrás, os Spurs têm 28 segundos para correr atrás do prejuízo. Faltando 7 segundos, Fisher erra seu arremesso e os Lakers pedem tempo. Faltando 5 segundos, Kobe erra seu arremesso, e, com apenas 2 por correr, os Spurs pedem tempo para armar sua jogada. Barry arremessa para 3 e… erra. Fim de jogo, Lakers 93 x 91.

Os Spurs perderam os três primeiros quartos (28 x 23, 25 x 24 e 24 x 23). Ficaram a partida inteira sem conseguirem uma única liderança no placar. Pegaram apenas 37 rebotes, contra 47 do Lakers. Tiveram jogadores importantes até agora nos playoffs com atuações muito aquém do esperado, como Finley (0 pts, 0 ast, 0 reb), Udoka (0 pts, 1 ast, 1 reb) e, principalmente, Manu Ginobili (7 pts, 6 ast, 1 reb). Agora, terão que correr atrás de uma heróica reação, ganhando 3 jogos seguidos, sendo 2 em Los Angeles, se quiserem disputar a grande final da NBA.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

T. Duncan – 29 pts, 17 reb, 3 ast, 3 blk, 3 stl

T. Parker – 23 pts, 9 ast

B. Barry – 23 pts, 5 reb, 5 arremessos de 3 convertidos (marca mais alta de sua carreira em playoffs)

Los Angeles Lakers

K. Bryant – 28 pts, 10 reb

L. Odom – 16 pts, 9 reb

V. Radmanovic – 11 pts, 6 reb

P. Gasol – 10 pts, 10 reb, 6 ast