Arquivo diário: 04/05/2008

Interativo – Spurs @ Hornets – Playoffs 2008 (Jogo 1)

NBA TV – Top 10  – 03/05/2008 – Rodada de Spurs @ Hornets (Jogo 1)

NBA TV – Jogada de Tony Parker

Melhores momentos – Spurs @ Hornets (Jogo 1)

Entrevista com Robert Horry (aúdio em inglês, sem legendas)

Estatísticas do jogo

Top Performers

Team Stat Comparison

Game Leaders

Spurs @ Hornets – Jogo 1 – Alerta aceso em San Antonio

82X101

Hornets lideram a série (1-0)

Com má atuação de Tim Duncan, o San Antonio Spurs perdeu por 101 x 82 para o New Orleans Hornets. Dominando os rebotes o tempo inteiro, o time da casa definiu o jogo no segundo tempo, depois de uma primeira metade de jogo equilibrada.

Após boas atuações, principalmente defensivas, na série contra o Phoenix, Kurt Thomas roubou a vaga de titular de Oberto, completando o time inicial formado também por Parker, Finley, Bowen e Duncan.

Os Spurs não começaram bem o jogo. Com duas cestas de 3 pontos, uma de Peterson e outra de Stojakovic, os Hornets logo abriram 8-0. Pop então pediu tempo e voltou com Ginobili e Oberto nos lugares de Finley e Thomas. As alterações deram certo, e o time de San Antonio entrou no jogo, que chegou a estar empatado em 10. Bowen mandou sua segunda bola de 3 no jogo, e logo em seguida foi copiado por Manu; 16-15, faltando 3:53, a primeira liderança dos Spurs no jogo. O argentino ainda tinha outra bomba para mandar no ataque seguinte; nossos alas começaram a partida quentes. O principal problema do time de San Antonio eram os rebotes; no tempo pedido pelo técnico de Nova Orleans, faltando 2:27, a equipe da casa liderava o quesito em 13-7. Na volta do tempo, mais duas de 3, com Bowen e Manu em forma; parece que Byron Scott não foi ouvido por seus comandados. Fim do período com os dois primeiros pontos de Chris Paul no jogo; Spurs na frente por 27-23.

O começo do segundo quarto foi bastante atrasado por um curioso incidente. Após o mascote do Hornets tentar pular por dentro de um anel de fogo para enterrar a bola, as chamas não conseguiram ser apagadas normalmente e extintores tiverem que ser usados. O ocorrido deixou a quadra escorregadia por um bom tempo.

Enfim, 19 minutos depois, bola em jogo. Os Hornets começaram o quarto descansando 4 dos seus titulares. Assim, Stojakovic chamava a resposabilidade, mantendo o jogo equilibrado. Pop resolveu pedir tempo com 8:46 por jogar. Faltando 6:45, jogo empatado novamente, em 33. Com a volta dos titulares do time da casa para a quadra, Bowen e Finley resolveram converter mais aremessos de fora do perímetro, e devolverem a liderança para seu time, forçando Wells a pedir outro tempo. E adivinhem o que aconteceu na volta à quadra? Bowen de 3, mais lance livre de bonificação após contato ilegal de Paul, que jogou pouco no primeiro tempo por problemas com faltas. Spurs 9 pontos na frente, justamente o número de bombas convertidas até então, recorde da franquia em um primeiro tempo de jogo de playoff. No finalzinho, os Hornets conseguiram empatar o período, indo para os vestiários com 49 x 45 contra no placar.

Na volta do intervalo, Chris Paul tinha que tomar cuidado com o número de faltas; já acumulava 3. Aproveitando isso, Parker também guardou a sua cesta de fora. A vantagem subia para 6 pontos. A partir daí, os Hornets, liderados por West, impuseram uma corrida 10-0 e viraram o jogo, forçando Pop a pedir tempo. Na volta, Stojakovic, com uma cesta de 3, aumentou a diferença para 7 pontos em favor da equipe de Nova Orleans. Liderados por Parker e Manu, os Spurs se mantinham no jogo. Assim, o último quarto começaria 74 x 66 para o time da casa.

O derradeiro período começou com esperanças para os torcedores do Spurs com a bola de 3 de Finley. Porém, o tempo ia passando e a diferença não sofria alterações relevantes. Com o tempo pedido pelo time da casa, com 5:09 por jogar, a diferença era de 8 pontos. Os Spurs, faltando 2:33, também pararam o jogo para tentar achar um jeito de correr atrás da diferença, que já era de 12 naquela altura. As duas perdas de bola seguidas de Parker depois disso mataram definitivamente o time de San Antonio. A partir daí, Chris Paul comandou o show de sua equipe, que saiu vencedora por 101 x 82.

Primeito tempo equilibrado, segundo tempo catastrófico. Com 33 rebotes contra 48 dos Hornets, os Spurs terão que melhorar em muito o jogo de garrafão para o próximo jogo; isso passa, em muito, por uma melhor atuação de Duncan. A principal jogada de ataque da equipe foi o aremesso de longe; quem sabe, aliando isso ao jogo que o camisa 21 pode executar, não tenhamos chances de empatar a série ainda em Nova Orleans.

DESTAQUES DA PARTIDA

San Antonio Spurs

Tony Parker – 23 pts, 5 ast, 5 reb

Manu Ginobili – 19 pts, 7 ast, 6 reb

Bruce Bowen – 17 pts, 5 ast, 5 reb

Michael Finley – 13 pts, 3 reb

New Orleans Hornets

David West – 30 pts, 9 reb, 2 ast, 2 stl

Peja Stojakovic – 22 pts, 4 reb

Chris Paul – 17 pts, 13 ast, 4 reb, 4 stl

Tyson Chandler – 10 pts, 15 reb, 3 blk

Notícias – Splitter é escolhido para o First Team da Euroleague

Tiago SplitterNesse sábado, em uma cerimônia no Circo Price, no centro da capital espanhola Madrid, Tiago Splitter, jogador do TAU Cerámica, foi escolhido o pivô do All-Euroleague First Team. Ele teve médias de 22 minutos, com 14 pontos, 63,5% de aproveitamento dos arremessos em quadra, 5,1 rebotes, 1 roubo de bola, 0,8 bloqueios e 1,1 assistências por jogo.

Foram escolhidos também para o All-Euroleague First Team o armador Terrel McIntyre, do Montepaschi Siena, o ala-armador Trajan Langdon e o ala Ramunas Siskaukas, do CSKA, e o ala-pivô Terrence Morris, do Maccabi Elite. Ramunas Siskauskas também foi escolhido o MVP da temporada, ele recebeu o troféu do três vezes MVP da Euroleague e ex-jogador de Bulls, 76ers, Hawks e Bucks, Toni Kukoc.

O All-Euroleague Second Team teve o armador Theo Papaloukas, do CSKA, o ala-armador Bootsy Thornton, do Montepaschi, o ala Yotam Halperin, do Maccabi, o ala-pivô Ksistof Lavrinovic, do Montepaschi, e o pivô Nikola Pekovic, do Partizan Igokea. Outros prêmios entregues foram o cestinha da Euroleague, para o ala Marc Salyers, do Choral Roanne; o ala Danilo Gallinary, do Armani Jeans Milano, recebeu o trófeu Rising Star,  similar ao novato do ano na NBA; e o troféu para o melhor defensor foi para o armador Dimitris Diamantidis, do Panathinaikos.