Arquivo diário: 15/04/2008

Pré-Jogo – Jazz @ Spurs

Pré-Jogo – Jazz @ Spurs

Local: At&T Center

Horário: 21:00 (Horário de Brasília)

Data: 16/04/2008

Situação do jogo

No último dia da temporada regular, o jogo serve para os Spurs confirmarem a provável 3ª colocação no lado Oeste. A rivalidade entre as duas equipes será posta em quadra de maneira mais tranquila, já que uma contusão nessa altura da temporada pode custar caro nos Playoffs. A equipe de Utah vem em melhor fase, porém os Spurs querem encerrar com uma vitória diante de seus torcedores. Se vencerem, consolidam o 3º lugar na conferência. Se perderem, podem até mesmo perder o mando de quadra já na 1ª rodada dos Playoffs. Logo, podemos deduzir que o jogo tem realmente importância.

Série na temporada (1-2)

07/12/2007 – Jazz 98 @ 104 Spurs

No primeiro jogo da série de quatro que seriam disputados ao longo da temporada, o Spurs fez valer sua força no AT&T Center e bateu o Utah Jazz, mesmo sem sua maior estrela, Tim Duncan, que se encontrava lesionado. Pelo lado texano, destaque para o ala-armador Manu Ginóbili, que anotou 37 pontos, e para o armador Tony Parker, detentor de 16 pontos e 7 assistências. Pelo time do Noroeste, destacaram-se a dupla Carlos Boozer e Deron Williams, com com 28 pontos e 17 rebotes e 28 pontos e 10 assistências, respctivamente.

28/01/2008 – Spurs 91 @ 98 Jazz

Se no primeiro jogo o San Antonio Spurs fez valer sua força jogando em casa, no segundo duelo entre as equipes, foi a vez do Utah Jazz demonstrar sua força atuando em seus domínios. Com ambos os times completos, o jogo foi novamente bem equilibrado e definido nos últimos momentos. Destaque para Tim Duncan e Manu Ginóbili pelo lado do Spurs, com 26 pontos e 11 rebotes e 29 pontos, respectivamente. Já pelo time de Salt Lake City, novo destaque para Carlos Boozer, autor de 23 tentos.

04/04/2008 – Spurs 64 @ 90 Jazz

Num jogo amarrado, novamente os mandantes se saíram melhor. Depois de um primeiro tempo bem equilibrado, a equipe Texana simplesmente fez uma de suas piores atuações na segunda etapa, virando presa fácil para a equipe de melhor campanha em casa na NBA. O destaque do jogo foi o pivô Okur, com 17 pontos e 16 rebotes. Pelo time de San Antonio, destaque para Tim Duncan, com 15 pontos e 10 rebotes.

Fique de olho

Mehmet Okur

O pivô vem subindo muito de produção nos últimos jogos, e, junto com Carlos Boozer, vem formando um ótimo garrafão. Mas Okur se destaca em algo inusitado para um pivô: o arremesso de 3 pontos, em que tem sido mortal. Suas médias na temporada são de 14,6 pontos e 7,8 rebotes. Mas esses números não espelham o que o jogador turco vem fazendo nos últimos jogos. Olho nele Spurs!

Notícias – Recordar é viver…

Na próxima quarta-feira, dia 16, o San Antonio Spurs encerra a temporada regular recebendo em casa o já campeão da divisão Noroeste Utah Jazz. O confronto entre as duas equipes pode se repetir mais rápido do que pensam os torcedores, ainda na primeira rodada dos playoffs.

Para que o duelo entre as franquias se repita já no first round da pós-temporada, seria necessária a seguinte combinação: vitória do Jazz fora de casa contra o Spurs e vitórias do Phoenix Suns e do Houston Rockets em seus jogos derradeiros, contra Blazers e Clippers, respectivamente. Essa comninação faria com que os quatro times terminassem a temporada regular empatados em seus recordes, o que faria com que fosse utilizado o critério de desempate. Para tal, somariam-se todos os jogos dessas equipes entre elas mesmas, o que derrubaria o Spurs para a 6ª colocação do lado Oeste.

Ficando com a 6ª posição, a equipe texana teria pela frente o 3º colocado, que seria justamente a equipe de Salt Lake. E é nesse momento que a temporada 2006/2007 volta à tona para os mais supersticiosos. Para os que não entendem o porquê, mirem a seguinte análise e lembrem-se:

No último jogo da temporada regular de 2006/2007, o Spurs recebeu o Denver Nuggets, rival de divisão do Utah Jazz, no AT&T Center. O resultado foi uma estrondosa derrota por 100 a 77, que fez com que o time texano terminasse a temporada na 3ª colocação da Oeste. O adversário nos playoffs após aquela derrota foi… isso mesmo, o Denver Nuggets! E após perder em casa o primeiro jogo da série, a equipe comandada por Gregg Popovich encerrou a série em 4×1 e se classificou, embalando para a campanha de seu 4º título.

Pode parecer muita “teoria do caos”, mas um resultado negativo no encerramento da temporada regular pode significar um encontro com nossos algozes. E como diz o ditado, a vingança é um prato que se come frio…

Spurs @ Kings – Apesar dos pesares…

101X98

Ainda sem Ginóbili e com Barry de volta, os Spurs foram até Sacramento e conseguiram uma importante vitória nessa reta final da temporada da NBA.

Parker, Finley, Bowen, Duncan e Oberto foram os escolhidos por Gregg Popovich para começar a partida representando o San Antonio Spurs. Com as lesões de Ginóbili e Horry, DerMarr Johnson e Ian Mahinmi ganharam espaço para serem integrados ao banco de reservas. Bobby Jones aparentemente não agradou e não foi relacionado para o jogo.

O pivô argentino Oberto começou a partida muito bem, com 5 pontos e 1 roubada de bola, ajudando a equipe texana a logo abrir 11×4 no placar. Com menos de 5 minutos jogados, Duncan já colocava 10 pontos na sua conta. Porém, logo a dupla de garrafão titular, com duas faltas cometidas cada, foi poupada, dando lugar a Bonner e Thomas. Mesmo assim, a boa atuação de Parker (7 asssistências até então) e a pontaria certeira dos alas Finley e Udoka deram a vitória parcial para os Spurs por 36 x 26 no primeiro quarto.

Com suas principais estrelas, Parker e Duncan, no banco, os Spurs começaram o segundo período um pouco pior do que o adeversário. Vaughn não entrou bem, e, em três posses de bola, teve-a duas vezes roubada e errou um arremesso de 3 pontos. Barry, após 17 minutos jogados, entrou no jogo e reestreou com a camisa 17 do time de San Antonio. Mesmo com o retorno do veterano, a diferença ia caindo, e, faltando 5:20 para o fim do quarto, os Kings viraram o jogo e forçaram Pop a pedir tempo. Depois disso, a diferença chegou a ser de 5 pontos a favor do time de Sacramento, mas, com uma corrida de 11×0 no final do período, os Spurs fecharam-no em vantagem de 6 pontos.

Na volta dos vestiários, a diferença foi aos poucos crescendo, com boas atuações de Parker, Duncan e Oberto. A vantagem chegou a estar em 11 pontos, mas, com o tempo pedido faltando 3:59 para o fim do terceiro quarto, os Kings retornaram ao jogo.

O período decisivo começou com o costumeiro apagão da equipe de San Antonio; nos primeiros 6 minutos, o time marcou apenas 4 pontos, contra 17 dos Kings. Porém, na hora da decisão, Parker mostrou serviço, convertendo uma bola de 3 e, na posse seguinte, roubando a bola para, de bandeja, empatar novamente o jogo, em 93, faltando 5:31 pro fim da partida. A partir daí, o embate se mateve equilibrado até faltar menos de um minuto, quando Oberto converteu uma bandeja para os Spurs, Salmons errou o aremesso pelos Kings e Parker converteu o seu pela equipe texana, colocando-a 5 pontos na frente. O técnico do time de Sacramento ainda tentou pedir tempo para tentar o empate, mas a partida terminou 101 x 98 para os Spurs.

Ausência de Manu, apagão no quarto quarto… problemas que, talvez, só não foram mais sentidos porque o Sacramento Kings já não almeja nada na temporada. Mesmo assim, os Spurs conseguiram complicar um jogo que parecia fácil ao fim do terceiro período. De qualquer jeito, uma importante vitória na briga pelas primeiras colocações da Conferência Oeste.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Tony Parker – 32 pts, 11 ast, 2 stl

Tim Duncan – 19 pts, 5 reb, 3 ast, 2 stl

Michael Finley – 19 pts, 3 reb, 3 ast

Fabrício Oberto – 17 pts, 8 reb, 3 ast

Ime Udoka – 9 pts, 75% dos arremessos de 3 pontos (3/4)

Sacramento Kings

John Salmons – 29 pts, 10 reb, 3 asr, 2 stl

Spencer Hawes – 17 pts, 3 reb, 3 ast, 2 blk

Beno Udrih – 16 pts, 3 ast

Francisco Garcia – 15 pts, 6 reb, 3 ast, 5 stl, 2 blk