Arquivo diário: 25/03/2008

San Antonio Spurs @ Orlando Magic – Spurs “mágico”

107 x 97

O jogo começou muito equilibrado, com Tim Duncan tendo muitas dificuldades em parar Dwight Howard. O Spurs começou com o já conhecido quinteto titular Parker-Finley-Bowen-Duncan-Oberto, com Manu Ginobili começando novamente no banco, mas diferente das últimas partidas, Finley começou muito bem, e marcou 10 pontos só no primeiro quarto. O Orlando Magic igualava a partida, alternando jogadas no garrafão com Howard e arremessos precisos, tanto de 2 quanto de 3 pontos, de Dooling (substituindo Jameer Nelson que saiu lesionado) e Lewis. Os ataques superavam as defesas, e o primeiro período acabou com vitória dos donos da casa por 28-29.

O segundo período começou equilibrado da mesma forma, mas com o Magic se sustentando a frente no placar com magra vantagem. No decorrer do quarto, o Spurs ficou por um período de aproximadente 2 minutos sem pontuar, e cedeu uma vantagem de cerca de 8 pontos para o Orlando, mas, depois desse pequeno apagão, os texanos buscaram a virada e, nos segundos finais, venciam por 2 pontos. Restando apenas sete segundos, Arroyo converteu uma bola de 3 pontos, mas ainda houve tempo para Bowen responder na mesma moeda e também converter de 3, e o Spurs foi para os vestiários vencendo por 58-56.

O time texano voltou na marcha lenta do intervalo, permitindo que o Magic abrisse uma razoável vantagem. Mas voltou a imprimir um ritmo forte na defesa; Duncan acertou a marcação em Howard, e a equipe virou novamente a partida e abriu vantagem de 7 pontos, graças principalmente à arremessos de 3 pontos de Bowen e Udoka e também à boa atuação de Finley. Final de terceiro período, 80–73 a favor dos visitantes.

O último e derradeiro período foi o mais tranqüilo para o San Antonio Spurs, que em momento algum perdeu a liderança, controlando o jogo e se mantendo à frente sempre com uma pequena vantagem. Quando restavam cerca de 1:30 minutos para o final, o Spurs ostentava uma vantagem de 11 pontos. Aí foi só administrar.

Vale destacar a ótima partida de Finley, se recuperando de suas péssimas atuações nas últimas partidas. Outro fator a ser destacado foi o esquema utilizado por Popovich, jogando com quatro “homens leves” e apenas Duncan no garrafão. Foi um esquema que funcionou muito bem contra o Orlando, que joga parecido, com Lewis jogando mais fora do que dentro do garrafão.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Manu Ginobili: 28 pts, 2 rbs, 5 ast

Tim Duncan: 19 pts, 15 rebs, 4 bloqueios

Michael Finley: 24 pts, 3 rebs, 1 ast

Orlando Magic

D. Howard: 24 pts, 21 rebs, 2 bloqueios

R.Lewis: 24 pts, 7 rebs

K. Dooling: 19 pts, 3 ast, 4 roubos de bola

Anúncios

Notícias – O melhor sexto homem da década

Por que raios Manu Ginóbili começa seus jogos vindos do banco de reservas? Essa é uma pergunta que só pode ser respondida por uma pessoa: o responsável por manter o argentino nessa posição, Gregg Popvich. Enquanto isso, a hipótese (e somente hipótese) que ganha cada vez mais força é a de que o ala-armador e sua equipe almejam uma vitória individual no já famoso Prêmio de Melhor Sexto Homem da NBA.

Se esse é ou não o objetivo nós, reles espectadores, nunca saberemos. Mas, se for, está sendo, e como, muito bem cumprido. Afinal, o jogador atinge hoje médias superiores aos 20 pontos por partida, feito que não acontece desde 1991 para o “sixth man” da NBA. Sendo assim (e com a vertiginosa queda de produção de Leandro Barbosa) Manu se torna favorito ao prêmio nessa temporada.

Mas que ele é titular e que tudo isso é… “jogo de cena”, ninguém discorda.