Arquivo diário: 14/03/2008

Spurs @ Pistons – Decidido nos últimos segundos

80 X 84

Sempre um dos jogos mais disputados e defensivos da NBA, Spurs @ Pistons começou com as 2 equipes pontuando razoavelmente bem, e com San Antonio à frente, com boa atuação de Parker, e Tim Duncan pegando os seus tradicionais rebotes, fazendo com que a equipe terminasse o primeiro período com vantagem de 26 x 20.

No 2º quarto, os Pistons se recuperaram com ótima atuação de Tayshaun Prince, que terminaria a primeira metade do jogo com 13 pontos. Hamilton também jogava bem, e ajudava muito a equipe na pontuação. Pelos Spurs, novamente só quem aparecia para a partida era o armador Tony Parker, que mantinha a equipe na frente do placar. Final de 1º tempo, Spurs 44 x 43 Pistons.

O 3º período começou com as 2 equipes mais preocupadas com a defesa. Porém, o Detroit se saiu muito melhor naquele momento do jogo. Os Spurs utilizaram em grande parte do período uma formação diferente, com Stoudamire, Parker, Finley ou Ginobili, Duncan e Oberto. Um tanto quanto curiosa uma formação com Stoudamire e Parker na armação, o que não deu certo, e fez com que a equipe perdesse o período por 22 x 11, e a vantagem dos Pistons chegava à 65 x 55, com grandes atuações de Prince e Hamilton, enquanto pelo San Antonio, Ginobili estava irreconhecível, e se sobressaía apenas Tony Parker, com 18 pontos.

No último quarto, a diferença caiu rapidamente de 12 para apenas 7 pontos, o que fez com que Flip Saunders pedisse um tempo. Na volta à quadra, o domínio do time do Texas continuou, a vantagem caiu, os rebotes eram dominados pelos visitantes, e nada caía para a equipe de Detroit. Com uma jogada de 3 pontos da maneira mais antiga da NBA, com falta e cesta, Tim Duncan teve a chance de empatar a partida, porém, ele errou o lance livre, e nesse momento o jogo estava 69 x 68 para o time da casa. Porém, novamente com um grande arremesso de Parker, os Spurs finalmente conseguiram recuperar a liderança perdida no 3º quarto; 70 x 69, e outro timeout para os Pistons, com 15 x 4 para os Spurs no período, faltando pouco mais de 4 minutos para o fim da partida.

Os 4 minutos finais continuaram amarrados, as defesas se dando melhor sobre os ataques, como era esperado, com os times se alternando na liderança. Equilíbrio que foi se mantendo até o fim, quando Rasheed começou a aparecer no jogo. Billups e sua experiência comandavam o Detroit e Prince colocava 77 x 74 com 1:24 para o fim do jogo. Popovich pedia tempo para armar a jogada que poderia colocar San Antonio novamente junto no placar. De Parker para Duncan, e 77 x 76. Na defesa, toco de Duncan em Prince. No ataque senguinte, Duncan desperdiça um arremesso, e a bola voltava para Detroit. Num lance sensacional, Rip Hamilton acerta um lindo arremesso e ainda sofre a falta. Com o lance livre, 80 x 76 para os Pistons. O lance seguinte poderia ser decisivo, Popovich prepara a jogada, Ginobili faz uma bandeja rapidamente, e logo depois nova falta em Hamilton, que converte os lances livres. Novo ataque rápido do San Antonio, e mais 2 pontos de Duncan, que chegava aos seus costumeiros 20 pontos e 10 rebotes. Faltavam 5 segundos, 82 x 80 para o time da casa. Hamilton converte mais 2 lances livres, põe fim a partida com 84 x 80 para o time do Palace of Auburn Hills.

Mais uma derrota sofrida, e a liderança do Oeste cada vez mais difícil de ser retomada. Em uma conferência disputada como essa, cada derrota é muito sentida.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Tony Parker: 26 pontos, 7 assistências, 4 rebotes e 3 roubos de bola

Tim Duncan: 20 pontos e 10 rebotes

Detroit Pistons

Rip Hamilton: 25 pontos, 4 rebotes e 4 assistências.

Taushaun Prince: 17 pontos, 5 rebotes e 6 assistências.

Anúncios

Notícia – Bowen é suspenso por uma partida

O ala Bruce Bowen está suspenso por uma partida devido a uma agressão ao armador Chris Paul, do New Orleans Hornets. (Veja o vídeo)

No lance, Chris Paul perdeu o domínio da bola e entrou em uma disputa com Bruce Bowen para recuperá-la. Com Paul caído, Bowen o agrediu com um chute e agora estará suspenso na próxima partida, terminando assim com uma sequência de 500 jogos seguidos sem se ausentar.

A suspensão de Bowen pode causar sérios problemas ao Spurs, já que seu substituto natural seria Ime Udoka, que também não estará a disposição devido a uma lesão. Problemas a vista para Popovich.

Artigo – Santo Asilo Spurs

Introdução

Em primeiro lugar, gostaríamos de agradecer presença tão ilustre em nosso site. Colunista do NBA Jumper e ótima escritora, Line dá as caras pela primeira vez aqui no Spurs Brasil. E vem com um texto que é a sua cara: análise (muito) bem humorada sobre o San Antonio Spurs. E é isso que nós da Equipe do Site e a Line gostaríamos de deixar bem claro: o texto é apenas humorístico, nada sério. Ela é torcedora fanática do Sacramento Kings, time que não tem nenhuma rivalidade enorme com o Spurs. Inclusive seu primeiro texto deste tipo foi sobre um tal de… Sofrimento Queens, como ela nomeou. Ou seja, ninguém aqui quer desmerecer nenhum time, apenas arrancar algumas risadas com esse ótimo texto que segue abaixo. Obrigado Line, seja bem vinda, as portas estarão sempre abertas aqui no Spurs Brasil. Divirtam-se,

Equipe Spurs Brasil

Uma análise bem humorada sobre os atuais campeões da Liga. Com vocês, San Antonio Spurs.

É inegável que fazer um jogo baseado na defesa é uma excelente fórmula para se chegar ao título, afinal, troféus e anéis não faltam em San Antonio. No entanto, é sofrível tentar assistir um jogo desse time até o final. Nunca tem enterradas fantásticas, contra ataques rápidos ou qualquer tipo de jogada que torna o basquete tão divertido e prazeroso.

Mas também, não se pode esperar um jogo muito rápido do time que tem a maior média de idade da Liga, 30,64 anos. Se eles começarem a fazer um jogo corrido é capaz dos jogadores irem parar na enfermaria com dores nas costas ou ossos quebrados por causa de osteoporose. Comparando o tempo de vida real ao tempo de vida que atletas geralmente têm, o Spurs é praticamente um asilo. A data limite de trocas dessa temporada já passou, mas não será surpresa nenhuma se durante a off season eles anunciarem Matusalém como novo reforço.

O Duncan pode ser o melhor Power Foward da Liga. Mas duvido que você assista uma partida do Spurs e lembre de alguma jogada dele. Nada é mais irritante do que você não lembrar de uma cesta que um jogador converteu e olhar o boxscore no final e ver que ele fez mais de 20 pontos. Ou você acha que é louca, ou que dormiu durante parte do jogo (o que não é difícil de acontecer quando o time em quadra é o Spurs). Mas é isso que acontece com o Duncan. As jogadas dele parecem sempre replay do lance anterior, ou melhor, replay da época que ele era calouro ainda. Ele tem no máximo umas três formas de finalizar um lance: ou é um gancho, ou uma bandeja ou uma enterrada. E vamos combinar que as enterradas do Duncan são as mais sem vontade possíveis. Até o chinês banana do Rockets faz coisa melhor. O estilo de jogo de fato combina com o jeito de ser dele. Se eu fosse citar uma lista de objetos inanimados que possuem mais expressão que o Duncan, com certeza iria exceder o limite de caracteres desse artigo. Não é de se espantar que ele tenha ganhado um carinhoso apelido da minha parte: Soneca.

De armadores esse time não está nada bem servido. Ou ficam com o Tony –fominha- quero- jogar- na- posição- dois- overrated- Parker ou de consolação no banco tem o Jacque Vaughn. Incrivelmente o recorde de assistências dos dois é o mesmo (15). Até o mortinho e quebrado do Jason Williams tem na carreira um recorde maior que esse. Hoje em dia o Spurs deve assistir o Beno Udrih dando show em Sacramento e chorar de tristeza. Devem fazer o mesmo ao ver Hedo Turkoglu roubando a cena no Orlando Magic.

Falando em Tony Parker, ou como eu o chamo Overrated (superestimado). Porque ele recebeu esse apelido, você deve estar se perguntando. Simples, porque cansei de ver pessoas, comentaristas e outros tipos do ramo do basquete colocando ele num Top cinco de Point Guards da liga. Não venham me dizer que isso está certo, porque o dia que o Parker for top cinco qualquer coisa na Liga eu sou capaz de desistir da NBA. Armador que prioriza os pontos e não as assistências não merece jogar na posição 1. Quer arremessar feito louco? Vai ser Shooting Guard, o próprio nome já diz shooting (arremessador). Além do mais, overrated desmerece totalmente a classe. Armador quando quer enterrar tem que fazer bonito. Mas não, o Overrated consegue errar feio uma enterrada (veja aqui) e ainda sai fingindo que tava com dor nas costas. Ele devia era ter cavado um buraco para o centro da terra, mergulhado nele e não ter retornado nunca mais. Parker também tem um grande complexo de pano de chão, sério, nunca vi um jogador gostar tanto de se jogar no chão como ele. Toma toco, cai no chão, acerta a bandeja, cai no chão, sopra um vento mais forte, cai no chão. Será que os estádios da NBA são tão sujos assim que o pessoal da limpeza não dá conta e o Overrated tem que dar uma forcinha? Esse ai aprendeu direitinho, quando o time vai mal, inventa uma contusão louca e fica um tempo fora. Tudo bem, serei justa, calo ósseo é horrível, no tornozelo então dói muito mesmo, mas se ele já estava sentindo dores desde dezembro, porque demorou tanto tempo para tratar decentemente do problema? E pior, ainda teve que ser quase obrigado pelo técnico a parar de jogar. Para encerrar as pérolas de Parker, ele é mais um daqueles jogadores da NBA com complexo de cantor. Alguém já teve a coragem de assistir o “vídeo” musical que ele fez? Francês cantando rap é o que há. O que há de pior no mundo.

O que comentar de Bruce (Lee) Bowen? Nossa, como esse gosta de bater. Ele no mínimo escolheu o esporte errado, alguém tem que avisar para ele que o esporte que ele procura é disputado num ringue, só tem um competidor do outro lado e que golpes abaixo da linha da cintura não valem. Já foi joelhada no Nash, voadora no Szczerbiak, chute nas costas do Ray Allen, chute no Stoudemire, uma rasteira no Iverson, chute no CP3 e fora o pezinho maldoso que ele adora colocar embaixo do jogador que está aterrisando após um jump shot. Com essa carreira de quebrador é no mínimo irônico que ele faça o comercial do Where Caring Happens do Spurs. Se fosse um Where Spanking Happens eu até entenderia.

E o Robert Horry. Esse é o cara mais sortudo da NBA! Parece que ele sempre está no time certo na temporada certa. Mas se o objetivo dele era se aposentar com mais um anel, ele deveria arrumar as malas e cair fora do Texas. É, tem que cair fora do estado mesmo porque vamos combinar que San Antonio, Dallas e Houston não vão ganhar o título dessa temporada.

O grande cavador de faltas do time é o Manu Ginobili, ou também conhecido como Narigudo Dupé. Chega a ser hilário as vezes vê-lo se jogar para cima de um jogador, não receber a falta e ficar lá no chão com cara de criança que deixou o sorvete cair. Falando no argentino, o melhor era essa dele não ser titular. Para alguém estar jogando o que ele está e não ser titular, só podia ser de propósito para ele ganhar o prêmio de sexto homem da temporada. Mas essa contusão do Overrated foi boa, não só por eu não ter que assistí-lo por um bom tempo, mas também porque restaurou a ordem no universo ao colocar o Ginobili de titular.

Para completar o elenco, o técnico, Greg Popovich, ou Pop para os digitadores preguiçosos de plantão. Seu talento como treinador é inegável, mas as caras que ele faz dependendo da jogada mal executada do seu time, ou quando ele perde uma partida, são absolutamente memoráveis. Sempre que o Spurs está prestes a perder um jogo e eu não estou assistindo eu coloco lá bem no finalzinho só para me divertir um pouco com a cara do Pop (ou quando eu estou assistindo ao jogo me lembro de colocar um despertador para tocar perto da hora do final).

O único time que tem um mascote sem nome criativo é o Spurs. O nome é simplesmente “O coiote”. E por favor, que coiote mais sem graça, nunca vi ele fazer nada que animasse a torcida nos intervalos. Devia ter umas aulinhas com o Rocky do Denver ou o Stuff do Magic. Esses sim fazem jus ao papel de entreter e divertir a torcida. O nosso brasileiro Leandrinho (também conhecido pelos americanos como papa léguas), podia reviver aquele desenho clássico dos Looney Tunes e usar algumas bugigangas da ACME para explodir esse coiote para bem longe.

A mais nova contratação, Kurt Thomas é daquela famosa lista do: ‘Ué, esse cara ainda não se aposentou?’ Acho q o GM do Spurs parou no tempo. Na época q Thomas ainda era um jogador decente e o Damon Stoudamire arrebentava lá pelo Toronto Raptors. Quem sabe também RC Buford não olhou a lista dos jogadores e, assim como muitos adoram fazer, confundiu o Stoudamire com o Amare Stoudemire, o grande ala-pivô do Phoenix Suns.

No elenco do Spurs ainda tem jogadores como Matt Bonner, Jack Vaughn, Ime Udoka e Fabrício Oberto. Mas sério mesmo, além dos torcedores, quem sabe que eles existem? Num time que tem o trio Soneca, Overrated, Narigudo, alguém dá alguma bola para quem mais está em quadra? Aposto que muita gente assiste ao jogo e fala, ‘Ah é aquele carinha da camisa tal’. Ou então vê apenas fantasmas com camisetas pretas se movimentando para lá e para cá.

Ou seja, o Spurs pode ser a dinastia da NBA, o time a ser batido, ou como você queira chamá-lo. No entanto, até por trás de uma grande franquia existe um pouco de circo.

O mês mais cruel

O ala-armador do Spurs Manu Ginobili disse que já consegue sentir o peso do mês de março – em suas pernas doloridas, suas costas machucadas e seu quadril contundido.

“Eu estou sentindo esse mês no meu corpo,” disse Ginobili.

A resposta de Manu para esse março totalmente louco? Apenas aguentar até abril.

“Nós temos de fazer o melhor que pudermos, e esperar até março chegar ao fim,” disse o ala-armador argentino.