Arquivo diário: 04/03/2008

Notícia – Bowen não será punido

O porta-voz da NBA, Tim Frank, disse hoje que a liga não punirá o ala Bruce Bowen, mesmo após rever o vídeo da partida da quinta-feira passada (dia 28/03).

Durante a partida, Bruce Bowen se envolveu em uma confusão com o ala-armador Jason Terry do Dallas Mavericks, e Terry foi punido com uma falta técnica, o que acabou gerando polêmica e revolta pelo lado da equipe de Dallas. Mas mesmo após rever o lance polêmico a liga entendeu que Bowen não deveria ser punido.

Por Victor Moraes

Artigo – Popovich, um dos maiores da história

Gregg Popovich, um dos 5 técnicos a ter 4 ou mais títulos na história da NBA. Isso já faz dele um dos maiores de todos os tempos. Mas agora, falaremos um pouco mais de toda a carreira do atual técnico dos Spurs, o que o torna uma figura ainda mais importante na história do basquete.

Leia o resto deste post

Artigo – A grande promessa francesa

O único novato do time esse ano, Ian Mahinmi, chegou sem muitos holofotes no time, mas o francês é apontado como umas das grandes promessas do futuro no Spurs.

Mahinmi impressionou pela primeira vez os olheiros internacionais no Campeonato Europeu Sub-18 em Zaragoza, Espanha. Entre esses olheiros estava Sam Presti, que trabalha para o San Antonio Spurs. Depois de jogar com a seleção francesa, ele assinou seu primeiro contrato com STB Le Havre, time francês, onde jogou três temporadas até 2005-2006, com médias de 7,6 pontos, 4,5 rebotes e 56,9% dos arremessos de quadra por jogo, em 18 minutos na quadra. Leia o resto deste post

Artigo – Tim Duncan, um divisor de águas.

Tim Duncan é considerado por muitos o maior jogador da história do San Antonio Spurs. E não é a toa; a partir de sua chegada ao Texas, Duncan levou o Spurs a uma escalada vitoriosa. Com sua eficiência e poder de decisão, Duncan levou a equipe a 4 títulos de campeão da NBA, foi eleito por 2 duas vezes MVP da liga e por 3 vezes foi escolhido MVP das finais.

Ao contrário do que muitos pensam Tim Duncan não nasceu nos Estados Unidos, e sim nas Ilhas Virgens, no distrito de St. Croix. Seu esporte era a natação, e o jovem Duncan treinava forte, chegando a nadar de 5.000 a 8.000 metros por dia, e aos 12 anos já quebrava recordes nas Ilhas Virgens. Tudo se encaminhava para que Duncan se tornasse um profissional de natação, mas um acontecimento trágico mudou o rumo de sua vida para sempre.

Em setembro de 1989, o furacão Hugo, o pior da história de St. Croix, devastou toda a região e destruiu a piscina onde ele treinava. Sem seu local de treino e sem competições para disputar, Duncan procurou outro esporte. Na sétima série, incentivado por amigos, abraçou o basquete. Mesmo tendo dificuldades, ele não desistiu, treinava forte e estava disposto a se aprimorar cada vez mais. Então outro acontecimento trágico marcaria sua vida.

Na véspera de seu aniversário de 14 anos, a mãe de Duncan faleceu, vítima de câncer de mama. Após o ocorrido, o jovem passou a se dedicar ainda mais ao basquete, abandonando de vez a natação. Começou a participar de competições locais até ser chamado para estudar na Universidade Wake Forest nos Estados Unidos, e rapidamente se tornou um dos principais jogadores do basquete universitário americano, e já em seu segundo ano na faculdade foi convido a entrar para o draft, mas prometera a sua mãe que terminaria os estudos, chegando à NBA apenas dois anos depois, após se formar. Em 1997 foi escolhido o melhor jogador da liga universitária e no mesmo ano foi a primeira escolha do draft, sendo selecionado pelo San Antonio Spurs e começando sua trajetória vitoriosa na NBA.

O San Antonio Spurs, antes da chegada de Tim Duncan, tinha como seu principal jogador o Almirante David Robinson, e sempre chegava aos playoffs, mas faltava um algo mais para que fossem campeões. Em 96/97 o Spurs teve uma temporada desastrosa, devido a lesões de seus principais jogadores como David Robinson e Sean Elliot, e conseguiu apenas 20 vitórias na temporada, ficando de fora dos playoffs pela primeira vez desde a temporada 88/89. A péssima temporada rendeu no draft seguinte a primeira escolha para a equipe de San Antonio, e esta primeira escolha foi Tim Duncan.

Já em seu primeiro ano como profissional Duncan causou impacto imediato e obteve médias de 21,1 pontos de 11,9 rebotes por partida, sendo escolhido o rookie of the year. Já em sua segunda temporada sagrou-se campeão da NBA e foi escolhido o MVP das finais com médias de 23,2 pontos e 11,5 rebotes por partida nos playoffs.

Tim Duncan sagrou-se campeão da NBA em quatro oportunidades, em 99, 03, 05 e 07 sendo MVP das finais por três vezes: em 99, 03 e 05. Foi escolhido como MVP da temporada regular em duas ocasiões, na temporada 01/02 e na temporada 02/03. Foi chamado para o All Star Game por dez vezes, sendo nove como titular; foi escolhido 10 vezes para o All-NBA Team, sendo nove nomeações para o primeiro time, e foi escolhido por 10 vezes para o All-Denfensive team, sendo sete nomeações para o primeiro time. Desde a chegada de Tim Duncan, o San Antonio Spurs jamais esteve ausente nos playoffs e Duncan esteve ausente apenas nos playoffs da temporada 99/00, devido a uma lesão que sofreu no final da temporada regular.

Médias na carreira (por partida):

Temporada Regular:

Pontos: 21,7

Rebotes: 11,9

Assistências: 3,2

Tocos: 2,4

FG: 50,9 %

Playoffs:

Pontos: 23,8

Rebotes: 12,5

Assistências: 3,5

Tocos: 2,8

FG: 50,7 %

All Star Game:

Pontos: 12,5

Rebotes: 11,4

Assistências: 2,5

Tocos: 0,7

FG: 58,3 %