Spurs (62-19) @ Rockets (54-27) – Varrido

98×104

O San Antonio Spurs acabou a temporada regular sem ter vencido o Houston Rockets. Na noite de segunda-feira (14), o alvinegro visitou o rival texano no Toyota Center, no quarto clássico do campeonato, e, com a rotação desfigurada por conta da opção de Gregg Popovich de poupar jogadores, sofreu a quarta derrota  seguida para o adversário. Vamos, a seguir, aos destaques da partida.

Spurs não foi páreo para o Rockets (Reprodução/nba.com/rockets)

Diga aonde você vai…

O Spurs perdeu os quatro jogos que fez contra o Rockets na temporada 2013/2014, repetindo o retrospecto ruim que obteve nos duelos com o Oklahoma City Thunder. Claro que o alvinegro de San Antonio é um time experiente, que pratica um basquete diferente nos playoffs e que jogou desfalcado em boa parte desses confrontos. Mas ter sofrido oito das 19 derrotas no campeonato para seus possíveis adversários de semifinal e final de Conferência Oeste deixa uma pulga atrás da orelha.

Parker não foi bem (Bill Baptist/NBAE via Getty Images)

Coadjuvantes fora…

No jogo desta segunda, Pop resolveu dar um descanso para quatro jogadores – três deles titulares. Danny Green, Kawhi Leonard e Tiago Splitter, todos parte do quinteto inicial do time texano, não participaram da partida, assim como o armador reserva Patrick Mills. Com isso, Marco Belinelli e Damion Jones, que acaba de assinar contrato até o fim da temporada, iniciaram o jogo como alas titulares, e Aron Baynes ganhou uma chance no garrafão.

… e coadjuvantes dentro

Nenhum dos membros do Big Three conseguiu se destacar contra o Rockets nesta segunda. Tim Duncan (12 pontos, 4-10 FG e nove rebotes), Tony Parker (10 pontos, 4-9 FG, quatro assistências e duas roubadas de bola) e Manu Ginobili (10 pontos, 4-12 FG e três rebotes) estiveram longe de suas melhores exibições. Com isso, o alvinegro chegou a estar perdendo por 14 pontos de diferença.

Porém, com os três já no banco, os coadjuvantes entraram em cena no quarto período e chegaram a colocar cinco pontos de vantagem no marcador antes de sofrerem a virada. Os destaques do elenco de apoio foram Marco Belinelli (17 pontos), Jeff Ayres (12), Cory Joseph (11) e Boris Diaw (11).

Rivalidade?

Nos últimos anos, o Dallas Mavericks se estabeleceu como grande rival texano do Spurs. Porém, isso parece estar a ponto de mudar. Durante o jogo, Tim Duncan levou uma falta técnica – um pouco exagerada – após se enroscar com Patrick Beverley. Depois, foi a vez de James Harden levar advertência deste tipo ao jogar o ombro na direção de Manu Ginobili. Aparentemente, o clima vai esquentar nessa provável semifinal de conferência…

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Marco Belinelli – 17 pontos e 4 assistências

Tim Duncan – 12 pontos e 9 rebotes

Jeff Ayres – 12 pontos e 3 rebotes

Boris Diaw – 11 pontos, 6 rebotes e 6 assistências

Cory Joseph – 11 pontos, 5 assistências e 3 rebotes

Tony Parker – 10 pontos, 4 assistências e 2 roubos de bola

Manu Ginobili – 10 pontos e 3 rebotes

Houston Rockets

Chandler Parsons – 21 pontos, 7 rebotes e 4 assistências

Dwight Howard – 20 pontos e 17 rebotes

Terrence Jones – 20 pontos, 11 rebotes e 2 roubos de bola

James Harden – 16 pontos e 7 assistências

Patrick Beverley – 12 pontos

Spurs (62-18) @ Rockets (53-27) – Temporada Regular

San Antonio Spurs @ Houston Rockets - Temporada Regular

Data: 14/04/2014

Horário: 21h00 (Horário de Brasília)

Local: Toyota Center

Na TV: SPORTS+

Com que clima o San Antonio Spurs, que jogará como visitante, vai encarar o clássico texano desta segunda-feira, contra o Houston Rockets? Por um lado, uma vitória seria importante para o alvinegro mostrar sua força, já que a equipe saiu derrotada nos três duelos que fez até aqui com o rival local, provável adversário na segunda fase dos playoffs, na temporada. Por outro, com a primeira colocação geral no campeonato já assegurada, e o time pode se dar ao luxo de poupar seus principais jogadores – Manu Ginobili e Tim Duncan, por exemplo, nem sequer entraram em quadra na sexta-feira, durante a vitória sobre o Phoenix Suns. De qualquer modo, se desejar, o técnico Gregg Popovich terá quase todo o elenco à disposição – inclusive Damion James, que acaba de assinar contrato válido até o fim da campanha da franquia. A única baixa deve ser o ala-pivô Matt Bonner, lesionado. Os donos da casa, por sua vez, têm o ala Chandler Parsons, machucado, como a sua única dúvida.

Confrontos na temporada (0-3)

30/11/2013 – Spurs 106 vs 112 Rockets

Jogando em casa, o Spurs perdeu para o Rockets e manteve sua sina de perder para todos os times favoritos ao título que enfrentou até então. Tony Parker, com 27 pontos, oito assistências e seis rebotes, foi o destaque do alvinegro na partida.

25/12/2013 – Spurs 98 vs 111 Rockets

Na rodada de Natal, mais uma vez o Rockets deixou o AT&T Center comemorando uma vitória sobre o Spurs, que ainda encontrava dificuldades contra os melhores times da temporada. Na ocasião, Manu Ginobili, com 22 pontos e três rebotes, se destacou pelo alvinegro.

28/01/2014 – Spurs 90 @ 97 Rockets

No primeiro duelo disputado no Toyota Center, o Spurs não tinha Danny Green, Kawhi Leonard e Tiago Splitter, machucado, e ainda viu Manu Ginobili deixar o jogo no terceiro quarto com dores musculares. Assim, virou presa fácil para o Rockets, que jogou desfalcado de James Harden. Boris Diaw, com 22 pontos e 11 rebotes, foi o principal nome dos visitantes na partida.

PG – Tony Parker

SG – Danny Green

SF – Kawhi Leonard

PF – Tim Duncan/Boris Diaw

C – Tiago Splitter

Fique de Olho - Boris Diaw foi titular no lugar de Tiago Splitter nos três jogos feitos contra o Houston Rockets na temporada regular até aqui – nos primeiros por opção de Pop, por conta das características do oponente, e no último porque o brasileiro estava machucado. Nestes duelos, o francês apresentou médias de 10,3 pontos e seis rebotes em 21,7 minutos por exibição. No campeonato, sustenta 9,2 pontos e 4,1 rebotes em 25,1 minutos por partida.

PG – Patrick Beverley

SG – James Harden

SF – Chandler Parsons

PF – Terrence Jones

C – Dwight Howard

Fique de Olho - James Harden foi o cestinha dos dois jogos que disputou contra o Spurs, apresentando médias de 29,5 pontos, 6,5 rebotes e seis assistências em 39,6 minutos por exibição contra o alvinegro. Na temporada, o ala-armador do Houston Rockets sustenta 25,5 pontos, 6,1 assistências e 4,8 rebotes em 38,1 minutos por partida.

Spurs assina com Damion James pelo resto da temporada

O San Antonio Spurs anunciou, neste domingo (13), a extensão do vínculo de Damion James até o fim da temporada. O ala, a princípio, tinha um contrato de dez dias com a franquia.

Damion James foi contratado até o fim da temporada (EFE)

Desde sua contratação, no dia 3 de abril, o Jones atuou em três partidas com a camisa do Spurs, registrando média de apenas um rebote em 3,2 minutos por partida.

Antes de entrar para o elenco texano, na temporada, o jogador atuou pelas equipes da Liga de Desenvolvimento da NBA (D-League) Texas Legends e Bakersfield Jam. No total, no campeonato, o atleta formado pela Universidade do Texas apresentou médias de 16,4 pontos (46,0% FG, 31,5% 3 PT, 69,3% FT) e 8,3 rebotes em 32,9 minutos por exibição.

Draftado pelo Atlanta Hawks na vigésima quarta posição do Draft de 2010, James foi enviado para o Brooklyn Nets na noite do recrutamento. Em três temporadas pela equipe nova-iorquina, ele apareceu em 34 partidas, com médias de 4,2 pontos, 3,5 rebotes em 16,9 minutos por jogo.

Spurs (62-18) vs Suns (47-32) – Vantagem é nossa

112×104

O San Antonio Spurs enfrentou a promissora equipe do Phoenix Suns, no Texas, nesta sexta-feira (11), e saiu vitorioso. Sem as presenças de Manu Ginobili e Tim Duncan, poupados, a equipe de preto e prata sofreu, mas conseguiu a vitória. Vamos aos destaques:

Green foi o cestinha do jogo e marcou seu carrer high (NBAE/Getty Images)

Mais uma vez na frente

Após longos oitenta jogos, o Spurs carimbou a primeira colocação geral, garantindo assim a vantagem de jogar todas as decisões dos playoffs em seus domínios. Caso a equipe do Texas vença seus dois últimos compromissos, contra Houston Rockets e Los Angeles Lakers, passará sua melhor marca em número de partidas ganhas em uma só temporada. Em 2005/2006, a equipe terminou a fase regular com 63 vitórias.

Damion James atuando durante 4 segundos (NBAE/Getty Images)

Mais uma vez Danny Green

De reserva no Cleveland Cavaliers a titular absoluto em San Antonio. Danny Green vem mostrando porque o treinador Gregg Popovich aposta tanto em seus talentos. Além de ser um ótimo marcador, o ala-armador ainda tem tiros certeiros da linha dos três. Na noite desta sexta=feira, o camisa #4 anotou 33 pontos, alcançando assim a maior pontuação de sua carreira.

Menino Leonard

Eu andava pegando muito no pé de Kawhi Leonard. Lógico, por uma razão simples: eu vejo ele como sendo o grande jogador da franquia quando Tim Duncan, Manu Ginobili e Tony Parker se aposentarem. Após a semana do All-Star Game, o camisa #2 mudou totalmente seu ritmo de jogo e vem mostrando o porque o treinador deposita tanta confiança em seu trabalho. Um dos pilares da equipe, o ala melhorou muito seu basquete depois de ficar afastado por conta de uma fratura no dedo e é uma dos principais armas do time.

Tony Parker de volta

Após ter ficado fora por conta de dores nas costas, Tony Parker esteve em quadra e, mesmo jogando poucos minutos, foi importante na vitória. Mesmo com o francês aparentemente sem sentir dores, Pop resolveu poupá-lo, já que os playoffs estão quase aí.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Danny Green – 33 pontos

Kawhi Leonard – 18 pontos, 5 rebotes, 4 assitências e 3 roubos de bola

Tony Parker - 18 pontos

Marco Belinelli – 12 pontos

Boris Diaw - 11 pontos 8 rebotes e 6 assistências

Phoenix Suns

Eric Bledsoe – 30 pontos, 11 rebotes e 9 assistências

Gerald Green – 27 pontos

Markieff Moris – 20 pontos e 7 rebotes

Channing Frye – 13 pontos e 6 rebotes

Spurs (60-18) @ Mavericks (48-31) – Temporada regular

San Antonio Spurs @ Dallas Mavericks - Temporada Regular

Data: 10/04/2014

Horário: 21h00 (Horário de Brasília)

Local: American Airlines Arena

Na TV: Space

Após surpreendente derrota para o Minnesota Timberwolves, o San Antonio Spurs volta às quadras nesta quinta-feira (10) para enfrentar o Dallas Mavericks em clássico local. Em jogo, estará a chance do alvinegro vencer o adversário pela quarta vez seguida no campeonato, fazendo com que, pelo segundo ano seguido, os comandados de Gregg Popovich passem invictos pelos grandes rivais na temporada regular. Para ajudar, o ala-armador argentino Manu Ginobili deve atuar após sofrer lesão na última partida.

Confrontos na temporada (3-0)

26/12/2013 – Spurs 116 @ 107 Mavericks

Na primeira vez em que os rivais se cruzaram na temporada, grandes atuações de Tim Duncan e Tony Parker deram a vitória ao Spurs. O encontro marcou a primeira aparição de DeJuan Blair, ex-Spurs, pelo adversário no clássico. Ele foi bem, com 14 pontos e 11 rebotes.

08/01/2014 – Spurs 112 vs 90 Dallas

Já neste ano, novamente Parker comandou a vitória do Spurs, bastante tranquila, jogando em casa. O armador anotou 25 pontos e foi decisivo para o triunfo. Vindo do banco, Marco Belinelli aproveitou a fragilidade adversária no duelo e também foi destaque.

02/03/2014 – Spurs 112 vs 106 Mavericks

A terceira vitória na temporada diante do Mavericks foi também a mais difícil. Mesmo sem ter a liderança ameaçada, o Spurs viu o adversário encostar em alguns momentos do duelo e precisou de muito jogo coletivo para vencer – nada menos do que seis atletas fizeram mais de dez pontos. O melhor do time? Ele, claro, Tony Parker.

PG – Tony Parker

SG – Danny Green

SF – Kawhi Leonard

PF – Tim Duncan

C – Tiago Splitter

Fique de Olho - Melhor nos três jogos diante do Mavericks, Tony Parker tem tudo para brilhar novamente. Em ótima fase, o armador é promessa de muitos pontos e comando ofensivo diante do rival se voltar a atuar após sentir dores nas costas.

PG – José Calderón

SG – Monta Ellis

SF – Shawn Marion

PF – Dirk Nowitzki

C – Samuel Dalembert

Fique de Olho - Sempre ele. Independente da fase do Mavericks, Dirk Nowitzki costuma sempre ir bem. Na luta acirrada pelos playoffs, o alemão deverá brilhar se não quiser ficar fora da pós-temporada pelo segundo ano consecutivo.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 42 outros seguidores