Arquivos do Blog

Sem mágoas, Jefferson segue carreira longe de San Antonio

Casa nova...

Richard Jefferson foi embora de San Antonio sem deixar saudades. Foi contratado a peso de ouro e como salvador da pátria, mas sucumbiu. Na primeira oportunidade vantajosa que teve, a diretoria do San Antonio Spurs o “dispensou” e se desfez um dos maiores erros de sua história recente.

Jefferson é um cara experiente e está bem próximo de completar 32 anos. Em sua 11ª temporada, ele sabe que a NBA é um grande negócio, por isso lidou bem com a troca que o levou para o Golden State Warriors. “É inviável ser sensível estando há tanto tempo num trabalho como esses. Você tem de estar mentalmente preparado para jogar em outro time e tem de saber lidar bem com isso, pois pode ter seu desempenho afetado se for sensível”, disse o jogador recentemente.

O camisa 24 lembrou-se de quando estava em New Jersey e era uma das estrelas daquele Nets que dominou a Conferência Leste por alguns anos. “Joguei em New Jersey por sete anos e fui o nono maior cestinha da liga. Fui trocado mesmo depois de fazer minha melhor temporada estatisticamente e mesmo tendo me dedicado. Num primeiro momento doeu, mas depois você tem que entender que isso tudo é um negócio”, completou.

Em sua nova casa, Richard Jefferson tem médias de 10,6 pontos e quatro rebotes em quase 31 minutos por noite.

E mais…

Duncan e Cousins trocam elogios

Duelo de gigantes...

Após a partida entre San Antonio Spurs e Sacramento Kings, os pivôs Tim Duncan e DeMarcus Cousins trocaram elogios. “Ele é um jogador incrível”, disse Cousins, 15 anos mais novo que o astro texano. “Sempre observo seu jogo completo, postura e liderança. Estava tomando nota do que ele fazia enquanto tentava pará-lo”, concluiu.

Timmy, por sua vez, retribuiu as gentilezas do rival. “DeMarcus está melhor a cada vez que o enfrento. Está mais confortável com seu papel, desenvolveu suas habilidades e sempre joga duro”, avaliou.

Dentro de quadra, Duncan foi numericamente superado pelo adversário. Cousins anotou 25 pontos e pegou 11 rebotes, enquanto o camisa 21 fez 18 tentos e coletou oito ressaltos.

O que muda com Stephen Jackson

Quase dez anos depois...

Caros leitores do Spurs Brasil,

Hoje é um dia muito feliz para a maioria dos torcedores do San Antonio Spurs. Quem segue o time há mais tempo e teve a felicidade de acompanhar os dourados anos de Stephen Jackson no Texas com certeza está radiante. Mas o que de fato muda com a chegada do Captain Jack? A troca foi mesmo positiva? Vamos analisar!

Para que a franquia texana pudesse contar com o jogador, Gregg Popovich e R.C. Buford prepararam um pequeno pacote. Na bagagem eles colocaram Richard Jefferson, o aposentado T.J. Ford e uma escolha de primeira rodada que já vale para o draft da próxima temporada (o Lucas Pastore explica melhor esse trâmite neste post aqui).

Old, but gold!

Sendo assim, podemos analisar a troca sob duas perspectivas diferentes: a financeira e a esportiva. Vamos começar pelas cifras!

Stephen Jackson tem um contrato atual de US$ 9,2 mi e ganhará US$ 10,06 mi na próxima temporada. É um salário pomposo para um atleta que está prestes a completar 34 anos, mas nada se compara à bomba que era o contrato do Richard Jefferson, que ganha os mesmos US$ 9,2 mi nesta temporada e outros US$ 10,1 mi em 2012-13 e US$ 11,04 mi em 2013-14 (aqui temos uma player option, ou seja, o jogador tem o poder de decidir se mantém o vínculo com a equipe, mas acredito que ele deverá ser anistiado antes de completar esse ciclo na Califórnia).

Financeiramente, o negócio foi extremamente vantajoso para o Spurs, já que os dirigentes conseguiram desfazer a maior cagada (desculpem o baixo nível) recente da história da franquia. O que parece ter incomodado um pouco alguns torcedores, no entanto, foi a escolha de primeira rodada envolvida nessa brincadeira toda. Trata-se de um ponto polêmico, é verdade, mas quem almeja um título tem que abdicar de certas coisas de vez em quando. Isso sem falar que temos uma porrada de atletas promissores atuando no basquete europeu que podem ser muito úteis no futuro. No meu ponto de vista, Popovich e Buford acertaram em cheio novamente, assim como fizeram quando trocaram o queridinho George Hill por Kawhi Leonard.

Se financeiramente fomos bem, esportivamente a coisa foi ainda melhor. O San Antonio Spurs está perdendo um jogador omisso, obsoleto e estático. Em troca, o elenco ganha um pontuador eficiente (se bem comandado), um defensor sólido e um líder nato. Tem como ser melhor? Pior que tem! Stephen Jackson já jogou em San Antonio e criou um laço quase fraternal com o técnico Gregg Popovich. Ele conhece muito bem o estilo do treinador e o esquema tático do time, portanto só terá que fazer pequenos ajustes para se adaptar 100%.

Velhos amigos...

É importante lembrar, contudo, que o Captain Jackson que estamos recebendo nem de longe vai ser aquele jogador que brilhou jogando pelo Indiana Pacers e pelo Golden State Warriors. Como já disse anteriormente, o ala está prestes a completar 34 anos e já entrou na curva descendente de sua carreira. Ainda assim, ele mantém médias de 10,5 pontos, 3,2 rebotes e 3,0 assistências em 27,4 minutos por jogo nesta temporada.

Essas médias poderiam ser melhores se levarmos em conta que Jackson perdeu muito espaço no mês de fevereiro em Milwaukee. Enquanto em janeiro ele registrou média de 13,5 pontos em pouco mais de 33 minutos, no mês seguinte essa estatística caiu para 6,2 pontos em 19 minutos. Ou seja, alguma coisa extra-quadra pode ter acontecido entre o jogador e o técnico Scott Skiles.

E o que muda na prática a partir de agora? Bem, essa é uma pergunta difícil de responder, mas eu aposto que o camisa 3 herdará o posto de titular de Richard Jefferson. O provável quinteto inicial do San Antonio Spurs nos playoffs será: Tony Parker, Manu Ginobili (ou Danny Green, caso Popovich opte por usar o argentino como sexto-homem), Stephen Jackson, DeJuan Blair e Tim Duncan. Em partidas disputadas contra adversários mais fortes, o treinador poderá montar uma verdadeira fortaleza defensiva. Imaginem Ginobili, Leonard, Jackson, Duncan e Tiago Splitter em quadra ao mesmo tempo? Em outro cenário, contra equipes baixas, Popovich terá um small ball pra lá de interessante: Parker, Ginobili (Green), Jackson, Leonard e Duncan (Splitter). Nada mal…

É por essas e por outras (aguardo os comentários na caixinha abaixo) que a vinda de Stephen Jackson me deixou extremamente animado. Me lembrou um pouco quando Michael Finley chegou ao Spurs. Finley tinha 32 anos quando deixou o rival Dallas Mavericks e desembarcou em San Antonio trazendo experiência e capacidade de contribuir igualmente no ataque e na defesa. Sua trajetória com a camisa preto e prata foi belíssima e culminou com um título inédito em sua carreira. Eu, como torcedor, espero que o Captain Jackson construa uma história semelhante – ou melhor, dê continuidade à grande história que ele já pavimentou no Texas.

Saudades? Magina...

“Trocar Jefferson foi muito difícil”, diz Buford

"Você está demitido!"

General Manager do San Antonio Spurs, R.C. Buford disse, logo após a troca que trouxe Stephen Jackson de volta ao Texas após quase dez anos, que foi muito difícil optar pela saída de Richard Jefferson.

O camisa 24, que estava em San Antonio desde 2009, foi enviado nesta quinta-feira (15) junto com o aposentado T.J. Ford e uma escolha de primeira rodada de draft para o Golden State Warriors em troca do veterano Jackson.

“É sempre complicado quando você esteve nas trincheiras com alguém durante tanto tempo e obveteve o sucesso que nós tivemos com Richard. Além disso, ele construiu um relacionamento especial com os companheiros e a comunidade. Trata-se de uma pessoa muito positiva e nunca é fácil quando mudanças acabam sendo feitas desta maneira”, declarou o manda-chuva taxano.

“Apreciamos o grande trabalho que Richard fez enquanto esteve em San Antonio. Ganhamos muitos jogos ao lado dele e estamos buscando novas oportunidades com a chegada de Stephen ao nosso time”, pontuou Buford.

E mais…

Stephen Jackson só na próxima semana

Stephen Jackson - San Antonio SpursQuem está ansioso pela chegada do Captain Jack terá que esperar mais alguns dias para vê-lo em ação. O jogador está fora dos jogos contra Oklahoma City Thunder (hoje) e Dallas Mavericks (sábado). Sua reestreia deverá ser na quarta, quando o Spurs recebe o Minnesota Timeberwolves – data em que Bruce Bowen terá sua camisa aposentada no AT&T Center. Imperdível, hein!?

Spurs (26-12) vs Clippers (22-15) – Temporada Regular

San Antonio Spurs (26-12) vs Clippers (22-15) – Temporada Regular

Data: 09/03/2012

Hora: 22h30 (Horário de Brasília)

Local: AT&T Center

Na TV: ESPN

O San Antonio Spurs faz nesta sexta-feira seu terceiro jogo contra o Los Angeles Clippers na temporada regular. Nas partidas anteriores, a franquia texana foi superior e conseguiu sair de quadra vitoriosa. Os comandados de Gregg Popovich devem ter um reforço logo mais: o armador Cory Joseph foi chamado da D-League e ficará no banco de reservas. Esse é um sinal de que T.J. Ford, que levou uma pancada nas costas contra o New York Knicks, poderá ficar de fora.

Confrontos na Temporada (2-0)

28/12/2011 – San Antonio Spurs 115 vs 90 Los Angeles Clippers

No segundo jogo da temporada, o San Antonio Spurs passou fácil por Blake Griffin e companhia. Com 24 pontos, Manu Ginobili foi o cestinha do time texano na oportunidade.

17/02/2012 – San Antonio Spurs 103 @ 100 Los Angeles Clippers

Em partida 100% eletrizante, o San Antonio Spurs contou com 30 pontos de Tony Parker e 17 de Gary Neal para sair do Staples Center com um grande triunfo.

San Antonio Spurs

PG – Tony Parker

SG – Danny Green

SF – Richard Jefferson

PF – DeJuan Blair

C – Tim Duncan

Fique de Olho - Richard Jefferson precisa jogar melhor do que está jogando nas últimas partidas. O camisa 24 tem seu arsenal cada vez mais limitado a bolas de três pontos da zona morta – o que é muito pouco para um atleta caro como ele.

Los Angeles Clippers

PG – Chris Paul

SG – Randy Foye

SF – Caron Butler

PF – Blake Griffin

C – DeAndre Jordan

Fique de Olho - Randy Foye ganhou mais destaque desde que o veterano Chauncey Billups se machucou. Na temporada, o ala-armador tem médias de 9,0 pontos e 2,3 assistências por noite.

Spurs (23-9) @ Jazz (15-16) – 11 e contando…

San Antonio Spurs106X102Utah Jazz

O San Antonio Spurs viajou até Salt Lake City e conquistou sua 11ª vitória na temporada. O triunfo sobre o Utah Jazz por 106 a 102, conquistado na madrugada de segunda para terça-feira (21), foi sofrido e só aconteceu graças ao bom quarto período feito pela equipe texana. Vamos aos destaques da noite.

Raça! (Reparem no Bonner ao fundo)

Richard Jefferson

Olhando o scout do jogo, podemos pensar que Richard Jefferson fez uma péssima partida. Ele jogou mal, é verdade, mas foi decisivo para a vitória. Após passar os três primeiros quartos em branco, o camisa 24 ganhou um voto de confiança de Gregg Popovich e voltou para o jogo na metade do período final. Com dois tiros certeiros, tendo um deles sacramentado o triunfo, e um roubo de bola importantíssimo, Jefferson se tornou o heroi improvável da noite.

Matt Bonner

Sei que muitos de vocês detestam o Matt Bonner e querem que ele vá embora do Spurs o quanto antes. Juro que entendo essa postura anti-Bonner e concordo com ela na maioria das vezes. Acontece que o Red Rocket vem jogando bem ultimamente. Além da tradicional pontaria afiada, ele está se esforçando na defesa (milagre!) – por mais que ainda seja um marcador fácil de ser batido. Ontem, contra o Jazz, Bonner anotou 20 pontos – 15 deles de longa distância.

Duncan também é adepto do jogo sujo...

Big 2

Tim Duncan e Tony Parker voltaram a jogar muito bem. Timmy continua mostrando um impressionante vigor físico – ontem foram mais 38 minutos em quadra. O camisa 21 fez 20 pontos (7-14), pegou sete rebotes e distribuiu três assistências. Parker, por sua vez, conquistou mais um double-double (dois dígitos em dois fundamentos): 23 pontos e 11 assistências (além de seis rebotes) para o francês.

Mais uma chance, please!

Quem mostrou que merece mais uma chance foi James Anderson. O ala jogou parte do último período e fez cestas importantes. Em sete minutos, Anderson marcou cinco pontos e mostrou muita vontade. Sei que temos alternativas de sobra para as alas, mas acho que Gregg Popovich poderia olhar com um pouco mais de carinho para esse jogador.

Back-to-back

O San Antonio Spurs volta à quadra já nesta terça-feira. O adversário da vez será o Portland Trail Blazers – penúltimo jogo da Rodeo Road Trip. 

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Tony Parker – 23 pontos, 11 assistências e seis rebotes

Tim Duncan – 20 pontos e sete rebotes

Matt Bonner – 20 pontos

DeJuan Blair – 15 pontos e quatro rebotes

Gary Neal – 14 pontos

Utah Jazz

Al Jefferson – 20 pontos e 11 rebotes

Paul Millsap – 16 pontos e 11 rebotes

Devin Harris – 15 pontos e quatro assistências

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 50 outros seguidores