Arquivos do Blog

Michael Finley pode voltar à NBA

Se o San Antonio Spurs procura um ala para substituir os lesionados Kawhi Leonard e Stephen Jackson, a solução pode ser “caseira”. De acordo com informações da imprensa norte-americana, o ala Michael Finley, que já está aposentado, está planejando um retorno à NBA ainda nesta temporada.

Divulgação

Será que ele volta?

Aos 39 anos, Finley manifestou em janeiro o desejo de voltar. O retorno do amigo Rasheed Wallace ao New York Knicks nesta temporada aumentou a vontade e pode transformá-la em realidade. Os planos do ex-ala envolvem um retorno para a D-League, liga na qual ficam jogadores sem espaço na NBA, no intuito de chamar a atenção de alguma franquia.

Vindo do Dallas Mavericks na temporada 2005-2006, Finley chegou aos Spurs já veterano e foi parte importante do último título conquistado pela franquia, em 2006-07. Vindo do banco, pontuava com consistência. O ala terminou sua carreira em 2010, atuando pelo Boston Celtics. Nas 17 temporadas em que atuou na NBA o ex-jogador apresentou médias de 15,7 pontos e 4,4 rebotes por exibição.

O que muda com Stephen Jackson

Quase dez anos depois...

Caros leitores do Spurs Brasil,

Hoje é um dia muito feliz para a maioria dos torcedores do San Antonio Spurs. Quem segue o time há mais tempo e teve a felicidade de acompanhar os dourados anos de Stephen Jackson no Texas com certeza está radiante. Mas o que de fato muda com a chegada do Captain Jack? A troca foi mesmo positiva? Vamos analisar!

Para que a franquia texana pudesse contar com o jogador, Gregg Popovich e R.C. Buford prepararam um pequeno pacote. Na bagagem eles colocaram Richard Jefferson, o aposentado T.J. Ford e uma escolha de primeira rodada que já vale para o draft da próxima temporada (o Lucas Pastore explica melhor esse trâmite neste post aqui).

Old, but gold!

Sendo assim, podemos analisar a troca sob duas perspectivas diferentes: a financeira e a esportiva. Vamos começar pelas cifras!

Stephen Jackson tem um contrato atual de US$ 9,2 mi e ganhará US$ 10,06 mi na próxima temporada. É um salário pomposo para um atleta que está prestes a completar 34 anos, mas nada se compara à bomba que era o contrato do Richard Jefferson, que ganha os mesmos US$ 9,2 mi nesta temporada e outros US$ 10,1 mi em 2012-13 e US$ 11,04 mi em 2013-14 (aqui temos uma player option, ou seja, o jogador tem o poder de decidir se mantém o vínculo com a equipe, mas acredito que ele deverá ser anistiado antes de completar esse ciclo na Califórnia).

Financeiramente, o negócio foi extremamente vantajoso para o Spurs, já que os dirigentes conseguiram desfazer a maior cagada (desculpem o baixo nível) recente da história da franquia. O que parece ter incomodado um pouco alguns torcedores, no entanto, foi a escolha de primeira rodada envolvida nessa brincadeira toda. Trata-se de um ponto polêmico, é verdade, mas quem almeja um título tem que abdicar de certas coisas de vez em quando. Isso sem falar que temos uma porrada de atletas promissores atuando no basquete europeu que podem ser muito úteis no futuro. No meu ponto de vista, Popovich e Buford acertaram em cheio novamente, assim como fizeram quando trocaram o queridinho George Hill por Kawhi Leonard.

Se financeiramente fomos bem, esportivamente a coisa foi ainda melhor. O San Antonio Spurs está perdendo um jogador omisso, obsoleto e estático. Em troca, o elenco ganha um pontuador eficiente (se bem comandado), um defensor sólido e um líder nato. Tem como ser melhor? Pior que tem! Stephen Jackson já jogou em San Antonio e criou um laço quase fraternal com o técnico Gregg Popovich. Ele conhece muito bem o estilo do treinador e o esquema tático do time, portanto só terá que fazer pequenos ajustes para se adaptar 100%.

Velhos amigos...

É importante lembrar, contudo, que o Captain Jackson que estamos recebendo nem de longe vai ser aquele jogador que brilhou jogando pelo Indiana Pacers e pelo Golden State Warriors. Como já disse anteriormente, o ala está prestes a completar 34 anos e já entrou na curva descendente de sua carreira. Ainda assim, ele mantém médias de 10,5 pontos, 3,2 rebotes e 3,0 assistências em 27,4 minutos por jogo nesta temporada.

Essas médias poderiam ser melhores se levarmos em conta que Jackson perdeu muito espaço no mês de fevereiro em Milwaukee. Enquanto em janeiro ele registrou média de 13,5 pontos em pouco mais de 33 minutos, no mês seguinte essa estatística caiu para 6,2 pontos em 19 minutos. Ou seja, alguma coisa extra-quadra pode ter acontecido entre o jogador e o técnico Scott Skiles.

E o que muda na prática a partir de agora? Bem, essa é uma pergunta difícil de responder, mas eu aposto que o camisa 3 herdará o posto de titular de Richard Jefferson. O provável quinteto inicial do San Antonio Spurs nos playoffs será: Tony Parker, Manu Ginobili (ou Danny Green, caso Popovich opte por usar o argentino como sexto-homem), Stephen Jackson, DeJuan Blair e Tim Duncan. Em partidas disputadas contra adversários mais fortes, o treinador poderá montar uma verdadeira fortaleza defensiva. Imaginem Ginobili, Leonard, Jackson, Duncan e Tiago Splitter em quadra ao mesmo tempo? Em outro cenário, contra equipes baixas, Popovich terá um small ball pra lá de interessante: Parker, Ginobili (Green), Jackson, Leonard e Duncan (Splitter). Nada mal…

É por essas e por outras (aguardo os comentários na caixinha abaixo) que a vinda de Stephen Jackson me deixou extremamente animado. Me lembrou um pouco quando Michael Finley chegou ao Spurs. Finley tinha 32 anos quando deixou o rival Dallas Mavericks e desembarcou em San Antonio trazendo experiência e capacidade de contribuir igualmente no ataque e na defesa. Sua trajetória com a camisa preto e prata foi belíssima e culminou com um título inédito em sua carreira. Eu, como torcedor, espero que o Captain Jackson construa uma história semelhante – ou melhor, dê continuidade à grande história que ele já pavimentou no Texas.

Saudades? Magina...

Ryan Richards treina com o Spurs

Richards é um dos projetos para o futuro do Spurs

Uma visita inusitada foi tema para os jornalistas no treinamento desta quarta-feira em San Antonio. Durante os trabalhos de arremessos que antecederam a partida contra o Detroit Pistons, o ala-pivô Ryan Richards deu as caras e praticou um pouco com os preparadores do Spurs.

O jogador inglês, de 2,13m de altura, foi draftado pelo Spurs em 2010 na 49ª escolha como uma aposta para o futuro da franquia. Considerado ainda muito cru para integrar o plantel texano, o jovem jogador, que está prestes a completar 20 anos, está sendo trabalhado para fazer parte da equipe dentro de algumas temporadas.

A franquia planeja que Richards continue evoluindo seu jogo na Europa. Depois de uma temporada do CB Gran Canaria, da Espanha, o inglês foi para o BBC Monthey, da Suíça, mas teve tempo de realizar apenas seis partidas antes de um deslocamento do ombro sofrido em fevereiro de 2010, que encerrou prematuramente a sua temporada e obrigou o jogador a sofrer uma cirurgia.

Nas seis partidas disputadas na Suíça, Richards acumulou boas médais de 13,3 pontos, 5,2 rebotes e 0,8 bloqueios, permanecendo em quadra 20 minutos por jogo.

Embora tenha treinado com os preparadores do San Antonio Spurs e esteja recuperado do grave problema, ainda é cedo para vermos Richards com a camisa preto e prata. O jovem inglês deve permanecer na Europa por mais algumas temporadas até ser considerado totalmente pronto para a NBA.

Michael Finley quer voltar a jogar

Segundo o jornalista Marc Stein, da ESPN norte-americana, o ala Michel Finley deseja voltar à NBA. Finley está recuperado de uma cirurgia no tornozelo e quer voltar ainda nesta temporada. “Se um time chamar, eu estarei pronto”, disse o jogador. “Eu ainda acho que posso ajudar um time”, completou.

Finley, hoje com 38 anos, começou a carreira no Phoenix Suns, em 95, e chegou ao Spurs em 2005, após passar nove temporadas no Dallas Mavericks. Com o time de San Antonio, conquistou seu único título na carreira, em 2007. Na NBA, soma médias de 15,7 pontos e 4,4 rebotes por partida.

A última equipe do ala foi o Boston Celtics, na metade final da temporada 2009/2010, após pedir para ser dispensado de seu último ano de contrato com o Spurs por julgar que estava tendo poucas oportunidades na equipe texana.

Finley enfrenta Spurs pela primeira vez de verde e branco

Depois de passar quatro temporadas e meia com o manto preto e prata do San Antonio Spurs, o ala Michael Finley – que se transferiu nesse ano para o Boston Celtics – irá encarar seu ex-time pela primeira vez.

Finley, de 37 anos, pediu para ser dispensado de San Antonio por conta da falta de oportunidades. Em Boston, ele já participou de 11 jogos e vem com média de 5.8 pontos por noite. Além disso, seu aproveitamento nos arremessos é de 55,1%.

Em entrevista ao Boston Herald no começo do mês, o veterano disse ter estranhado a mudança de casa, mas garantiu que foi muito bem recebido. “Achei que ia ser muito mais difícil vir para um time diferente, para uma entidade diferente, mudar de conferência”, disse ele na oportunidade. “Mas esses caras me receberam de braços abertos”, pontuou.

Manu Ginobili, ala do San Antonio Spurs, brincou com a imprensa de San Antonio e disse estar se preparando para um “choque” quando chegar ao TD Banknorth Garden daqui a pouco. “Será estranho vê-lo de verde e branco”, disse. Além disso, o ex-camisa #4 do Spurs agora veste a #40.

Spurs (43-28) @ Celtics (47-25) – Temporada Regular

San Antonio Spurs @ Boston Celtics – Temporada Regular

Data: 28/03/2010

Horário: 21:00 (Horário de Brasília)

Local: TD Garden

Situação do Jogo

O San Antonio Spurs visita o Boston Celtics para colocar fim a uma série de pedreiras nas últimas semanas. Depois de perder para o Atlanta Hawks, vencer o Oklahoma City Thunder, ser derrotado pelo Los Angeles Lakers, bater o Cleveland Cavaliers e encarar hoje o Celtics, a equipe texana tem amanhã um duelo teoricamente mais fácil: o New Jersey Nets, equipe de pior campanha nesta temporada da NBA. Tony Parker continua sendo o desfalque do Spurs na partida. Do lado dos mandantes, Marquis Daniels e Kendrick Perkins, se recuperando de contusões, são dúvida.

Série na temporada (0-1)

03/12/2009 – Spurs 83 vs. 90 Celtics

Depois de abrir dez pontos de vantagem no primeiro quarto, o Celtics mostrou experiência para administrar a vantagem e vencer, mesmo jogando no AT%T Center. Kevin Garnett foi o destaque dos visitantes naquela partida, com 20 pontos, sete rebotes, cinco assistências e duas roubadas de bola. Do lado texano, quem fez boa partida foi o novato DeJuan Blair: 18 pontos, 11 rebotes e dois tocos para o ala-pivô.
.

PG – George Hill

SG – Manu Ginobili

SF – Richard Jefferson

PF – Tim Duncan

C –  Antonio McDyess

Fique de olho – Ainda sem renovar o contrato e já na mira do Real Madrid, Ginobili foi o cestinha do Spurs nas últimas duas partidas da equipe, diante de ninguém menos do que Los Angeles Lakers e Cleveland Cavaliers. Alguém tem dúvidas de que ele deveria renovar?
.

PG – Rajon Rondo

SG –Ray Allen

SF – Paul Pierce/Michael Finley

PF – Kevin Garnett

C – Kendrick Perkins/Rasheed Wallace

Fique de olho – Michael Finley pediu para ser dispensado do San Antonio Spurs, pois alegou ter pouco espaço na rotação da equipe. Desde que chegou ao Boston Celtics, atuou em 11 partidas, e obteve médias de 5,8 pontos, 1,7 rebotes e 1,3 assistências em 13,7 minutos por jogo.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 47 outros seguidores