Arquivos do Blog

Para Pop, “traseiro gordo” atrapalhava Mills

assinatura SA Br

Em sua terceira temporada no San Antonio Spurs, Patty Mills se tornou mais uma arma vinda do banco do time texano. Para o técnico Gregg Popovich, sempre direto nas respostas, a explicação é bem simples: os quilinhos a menos do australiano, em relação aos campeonatos anteriores, foram determinantes para ele melhorar seu rendimento e se tornar o reserva imediato de Tony Parker na armação.

Em boa forma, Mills vem sendo importante na campanha do Spurs (US Today Sports/ Russ Isabella)

“Ele (Mills) estava com o traseiro um pouco gordo. Ele tinha muito lixo no seu corpo. Sua tomada de decisão não era grande e ele não estava em boa forma”, explicou Pop.

“Ele voltou ‘fino’ e bem, entendendo que tinha que tomar melhores decisões, decisões que um armador deve ter. Ele fez tudo isso e ganhou (espaço no time). Ele tem sido muito importante para nós”, elogiou o treinador, ao seu estilo, completando a fala sobre o camisa #8.

O cabelo e a barba não foram as únicas coisas que sumiram em Mills (Reprodução/www.grizlr.com/san-antonio-spurs)

O cabelo e a barba não foram as únicas coisas que sumiram em Patty (Reprodução/www.grizlr.com)

A diferença da versão 2013/2014 de Mills é notável, levando em conta as duas temporada anteriores, nas quais o jogador era mais conhecido por sacudir a toalha em suas comemorações no banco de reservas do que pelo pouco que fazia em quadra. Porém, desde o início do atual campeonato, como reserva imediato de Tony Parker, o camisa #8 se tornou mais um fator de desequílibrio no forte elenco do Spurs. O australiano vem mostrando mais agilidade e eficiência, principalmente nos tiros do perímetro, fundamento em que registra um notável aproveitamento de 40,8% de acertos.

Além disso, Mills vem somando 9,8 pontos por confronto, atuando em média por 18,5 minutos, maior marca de sua carreira de quatro anos na NBA.

O contrato do australiano com o alvinegro termina ao final desta temporada, mas, com esses bons números, o jogador tem motivos de sobra para sonhar com a renovação.

Pop diz que Parker só volta a jogar quando estiver 100%

assinatura SA Br

As lesões vêm atrapalhando Tony Parker. Os problemas na costela, na virilha e, mais recentemente, nas costas, já tiraram o armador de sete partidas do San Antonio Spurs na temporada 2013/2014. A última ausência aconteceu na noite de terça-feira (18), na vitória diante do Los Angeles Clippers, após o armador ter atuado por apenas 11 minutos no All-Star Game, no último domingo (16). Pensando  em um “futuro próximo” – leia-se playoffs -, o técnico Gregg Popovich optou por deixar o camisa #9 de fora das partidas do time por tempo indeterminado, até que o jogador esteja completamente recuperado.

Parker desfalcará o Spurs por tempo indeterminado (NBAE/Getty Images)

“Ele não tem um tendão puxado ou qualquer coisa mais séria, mas ele tem um monte de pequenos problemas. Basicamente, é muito tempo jogando basquete nos últimos três anos… durante toda a temporada (da NBA) e todo o verão”, disse Pop, à reportagem do jornal americano San Antonio Express-News, se referindo às constantes atuações de Parker pela seleção francesa, que sempre acontecem durante as férias da liga americana.

Parker, por sua vez, disse que concordou com a decisão de Popovich. “Com 50% (das condições físicas), eu não estou realmente ajudando a equipe”, reconheceu o armador francês, que prometeu “muita disciplina” no tratamento junto com os médicos e preparadores físicos de San Antonio, visando se reabilitar das lesões e se manter saudável.

Na atual temporada da NBA, Tony Parker possui médias de 17,7 pontos, 6,2 assistências e 2,3 por jogo. O francês é desfalque quase certo para mais um duelo da Rodeo Road Trip, nesta quarta-feira (19), diante do Portland Trail Blazers. Em contrapartida, existe a chance de Tiago Splitter (problema na panturrilha) e Kawhi Leonard (lesão no dedo) retornarem à equipe e se juntarem a Manu Ginobili, que voltou na terça após curar lesão no tendão da perna esquerda.

Spurs é multado pela NBA em 250 mil dólares

A decisão do técnico Gregg Popovich de poupar seus principais jogadores na derrota por 105 a 100 para o Miami Heat não agradou à alta cúpula da NBA. Antes mesmo do início da partida, o comissário geral David Stern havia prometido “sanções severas” à franquia pela atitude. E, nesta sexta-feira (30), um dia após a partida, cumpriu a promessa e multou o time texano em 250 mil dólares.

“Mas que p**** é essa, Stern?”

Segundo o mandatário, o Spurs violou uma das políticas da liga agindo de maneira contrária aos melhores interesses da NBA. O jogo diante dos atuais campeões era a principal atração da noite e foi transmitido ao vivo para todo o território americano pela rede de televisão TNT, uma das principais parceiras na liga norte-americana.

“O resultado aqui é ditado totalmente pelos fatos neste caso. O Spurs decidiu retirar quatro de seus melhores jogadores para uma partida de começo de temporada que era a única da temporada regular em Miami. O time também fez isso sem informar ao Heat, a imprensa, ou o escritório da liga em tempo hábil. Sob essas circunstâncias  eu conclui que o Spurs prestou um desserviço à liga e aos nossos fãs”, declarou David Stern.

Entenda o caso

Enfrentado uma série de seis jogos fora de casa, sendo quatro em cinco dias, Gregg Popovich, que já não contava com Kawhi Leonard e Stephen Jackson, lesionados, decidiu poupar suas estrelas, mandando Tony Parker, Manu Ginobili, Tim Duncan e Danny Green direto para San Antonio após a vitória sobre o Orlando Magic, na quarta-feira. A justificativa do treinador foi reduzir o desgaste de seus principais jogadores, já de olho no confronto direto pelo topo do Oeste contra o Memphis Grizzlies, no sábado (1).

Vale destacar que, ao contrário do Spurs, o Miami Heat vinha de um grande período de descanso, sem jogos oficiais, e não atuava desde o sábado anterior (24).

A decisão irritou David Stern, que ao saber da notícia esbravejou: “Eu peço desculpas à todos os fãs da NBA. Esta foi uma decisão inaceitável do San Antonio Spurs”.

Spurs não procurou Mickael Pietrus

Diferente do que foi noticiado pela mídia norte-americana, o San Antonio Spurs não chegou a fazer uma proposta para o ala francês Mickael Pietrus, agente livre que defendeu o Boston Celtics na última temporada. De olho no mercado por conta das lesões dos alas Kawhi Leonard e Stephen Jackson, o  time tem sido centro de diversas especulações nos últimos dias.

Fica para a próxima? (David Dow/NBAE/Getty Images)

As especulações eram de que o Spurs teria oferecido um contrato mínimo para o atleta, que prontamente havia negado a proposta por esperar um salário maior. O jornal francês Le Parisien, porém, informa nesta quinta-feira que sequer foi feito qualquer tipo de contato entre a franquia e Pietrus. A falta de confirmação do interesse aconteceu por conta da aposta do Spurs em jogadores que já haviam feito parte do elenco, mas que estavam na D-League: Cory Joseph e James Anderson.

Os dois jogadores estiveram presentes no banco durante a vitória sobre o Boston Celtics, mas não foram acionados por Gregg Popovich. Sem Jackson e Leonard, o treinador optou por colocar Gary Neal como titular e deu mais minutos para os jogadores do banco. O novato armador Nando De Colo e o pivô brasileiro Tiago Splitter estiveram entre os maiores beneficiados pela nova rotação montada pelo técnico.

Corte deixou Neal fora contra o Knicks

(AP Photo/Don Ryan)

Corte no dedo afastou Neal de jogo contra o Knicks (AP Photo/Don Ryan)

Surpreendeu o fato do técnico Gregg Popovich ter deixado o ala-armador Gary Neal fora da rotação duirante a derrota do San Antonio Spurs para o New York Knicks. Com a ausência, o australiano Patrick Mills teve mais minutos de quadra e acabou não tendo o mesmo efeito que o companheiro na segunda unidade enviada à quadra pelo treinador. Mas a ausência de Neal não foi uma opção, e sim uma necessidade. Com um corte no dedo em sua mão de arremesso, a direita, ele não estava apto para jogar.

O corte não é novidade para Neal e quase o tirou da vitória sobre o Los Angeles Lakers na partida anterior à contra o Knicks, em informação transmitida pelo jornalista Andrew McNeill, que cobre o Spurs para o blog 48 Minutes of Hell. No duelo contra os californianos, ele atuou por só sete minutos e errou os três arremessos que tentou.

Apesar do jogo ruim diante do Lakers e da ausência contra o Knicks, Neal vem fazendo um bom começo de temporada. Vindo do banco, participou de oito partidas e colabora até o momento com médias de 10,1 pontos e 31,6% de aproveitamento quando arremessa na linha dos três. Para o duelo contra o Denver Nuggets, no sábado, o ala-armador já deverá estar apto para atuar.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 47 outros seguidores