Arquivos do Blog

Spurs (37-6) vs. Knicks (22-20) – Perseguindo outro recorde

101X92

O San Antonio Spurs chegou à oitava vitória consecutiva  ao superar, na sexta-feira, o New York Knicks por 101 a 92. Jogando em casa, esta foi a 17ª vitória consecutiva, a maior sequência desse tipo desde a temporada 1989/90, quando a equipe venceu 20 jogos seguidos como mandante. Na oportunidade, David Robinson e Sean Elliot estavam em suas primeiras temporadas na NBA.

Aprende essa, garoto! (D. Clarke Evans/NBAE via Getty Images)

A equipe titular foi a mesma dos outros 42 jogos: Parker, Ginobili, Jefferson, Duncan e Blair. A diferença estava no banco de reservas, que não contava com duas importantes peças. O ala-pivô Matt Bonner e o armador George Hill, lesionados, estavam de fora.

Desta vez, Amar'e não teve vida fácil (D. Clarke Evans/NBAE via Getty Images)

A novidade foi a presença do ala James Anderson uniformizado no banco de reservas pela primeira vez desde o dia 10 de novembro, quando se machucou em partida contra o Los Angeles Clippers. Embora estivesse pronto para pisar em quadra, o treinador Gregg Popovich, antes do jogo, já havia explicado que dificilmente o novato teria alguns minutos.

Quando a bola subiu, o que pudemos ver foi uma bela noite da dupla de “gigantes” do Spurs. Tim Duncan e DeJuan Blair limitaram Amar’e Stoudemire a apenas 32% de aproveitamento nos arremessos de quadra. Além disso, juntos, somaram 29 rebotes e oito tocos.

Apesar da noite inspirada da dupla, o San Antonio Spurs pareceu sentir um pouco as ausências de Hill e Bonner e acertou apenas quatro das 17 tentativas de bolas de três pontos. O mau desempenho de longa distância permitiu que o New York Knicks se mantivesse vivo no jogo, mesmo com sua maior estrela sofrendo para pontuar.

Embora o adversário se mantivesse próximo no placar, em nenhum momento o time de Nova Iorque passou à frente no segundo tempo. Administrando a vantagem, os texanos apertaram na defesa e seguraram o Knicks a apenas 92 pontos, 12 abaixo da média da equipe da Big Apple na temporada, e bem diferente dos 128 pontos sofridos no dia 04 de janeiro, no Madison Square Garden.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Tim Duncan – 21 pontos, 16 rebotes, oito assistências e cinco bloqueios

Tony Parker – 21 pontos e 13 assistências

DeJuan Blair – 18 pontos, 13 rebotes, quatro roubos de bola e três bloqueios

Manu Ginobili – 16 pontos e seis assistências

New York Knicks

Raymond Felton – 23 pontos e sete assitências

Amar’e Stoudemire – 18 pontos, 15 rebotes e quatro roubos de bola

Danilo Gallinari – 16 pontos

Ronny Turiaf – Dez pontos e dez rebotes

Spurs (36-6) vs. Knicks (22-19) – Temporada Regular

San Antonio Spurs vs. New York Knicks – Temporada Regular

Data: 21/01/2011

Horário: 23h00 (Horário de Brasília)

Local: AT&T Center

Situação do Jogo

Com sete vitórias seguidas, o San Antonio Spurs chega embalado para encarar o New York Knicks, de Amar’e Stoudemire e companhia, que atravessa momento oposto aos texanos. O time da Big Apple vem de quatro derrotas consecutivas. Apesar dos maus resultados recentes, a equipe ainda figura em 6º lugar na Conferência Leste, e é um adversário perigoso jogando em velocidade.

Confrontos na temporada (0-1)

04/01/2011 San Antonio Spurs 115 vs. 128 New York Knicks

Muito mal na defesa, o Spurs cedeu o maior número de pontos a um adversário em uma partida sem tempo-extra da “Era Duncan”. Os texanos entraram na correria do adversário e acabaram levando a pior. Parker anotou 26 pontos, mas o cestinha foi Wilson Chandler, com 31.

PG – Tony Parker

SG – Manu Ginobili

SF – Richard Jefferson

PF – Tim Duncan

C – DeJuan Blair

Fique de Olho – O jovem jogador do Spurs vem oscilando boas e más partidas em sua segunda temporada na NBA. No último jogo, noite de gala contra o Raptors: 22 pontos e 11 rebotes. Mas a grande dúvida fica por conta de sua contestada defesa, que terá papel fundamental sobre o atlético Wilson Chandler e, eventualmente, sobre Stoudemire.

PG – Raymond Felton

SG – Landry Fields

SF – Danilo Gallinari

PF –Wilson Chandler

C – Amar’e Stoudemire

Fique de Olho – Amar’e Stoudemire vem fazendo grande temporada pelo Knicks. Com médias de 26,4 pontos, 8,8 rebotes e 2,6 assitências, o pivô lidera a equipe de New York em sua melhor campanha dos últimos anos. Stoudemire também é nome sempre presente nas discussões sobre MVP da temporada.

Stoudemire no Spurs?

Foto em phoenix.fanster.com

Por mais absurda que essa notícia pode parecer, segundo reportagem de um especialista em NBA do Yahoo! Sports, Adrian Wojnarowski, o San Antonio Spurs seria uma possibilidade para o ala-pivô Amaré Stoudemire no caso de uma sign-and-trade. Além da equipe texana, Wojnarowski também incluiu nesta lista Orlando Magic, Portland Trail Blazers e Dallas Mavericks.

O Phoenix Suns deve tentar negociar um novo contrato com Stoudemire assim que abrir-se o mercado de agentes-livres, no dia 1º de julho. A não ser que o Suns ofereça um contrato no valor máximo, Amaré deve optar por desistir do último ano de seu contrato de U$17,6 milhões. Assim que o ala-pivô opte por não continuar com o Phoenix, Miami Heat e New York Knicks devem ser os grandes adversários na disputa pelo jogador.

Numa possibilidade de sign-and-trade com o Spurs, a grande moeda de troca seria o ala Richard Jefferson, que em seu último ano de contrato receberá U$15,2 milhões. Para Suns, Tony Parker não seria interessante pois o time já tem o experiente canadense Steve Nash e o promissor esloveno Goran Dragic, adquirido em troca com o San Antonio.

Essa não é a primeira vez que o San Antonio é citado em uma possível troca por Stoudemire. No final do período de trocas da temporada 2009/10, foi cogitada a possibilidade do jogador ir para o alvinegro texano.

Spurs (0) @ Suns (2) – Faltou a defesa…

  

102X110  

San Antonio Spurs e Phoenix Suns fizeram, ontem, o jogo 2 da série e, embora o placar final tenha sido muito parecido, o que vimos foi uma partida com trajetória bem diferente da primeira. Dessa vez foram os texanos que lideraram durante quase todo o tempo e perderam a vantagem apenas nos momentos finais. 

Derrota no jogo 2 acende sinal de alerta em San Antonio (Foto por Jesse D. Garrabrant/NBAE via Getty Images)

Quem olha apenas as estatísticas da partida pode não entender o porquê da derrota. O Aproveitamento do Spurs nos arremessos foi bom, acima dos 50%, contra 42% do adversário. Foram 28 assistências contra 19, oito roubos de bola contra seis, oito bloqueios contra apenas um e 12 erros de ataque contra 14. 

Amar'e deu muito trabalho para Tim Duncan...

Então por que os texanos saíram derrotados? A explicação vem quando analisamos outras duas estatísticas. Faltas e rebotes ofensivos. O Spurs cometeu 31 faltas e possibilitou que o adversário cobrasse 37 lances livres e convertesse 29. Do lado texano, foram apenas 22 cobrados e 15 convertidos. 

Já nos rebotes ofensivos, um verdadeiro baile. Foram apenas sete para o time de San Antonio contra 18 do time do Arizona. Ou seja, somente nos rebotes de ataque o Suns teve 11 posses de bola a mais que o Spurs.

Embora o ataque tenha tido um bom desempenho e cinco jogadores texanos deixaram a quadra com mais de dez pontos, a defesa não foi bem. Além das muitas faltas e da baixa nos rebotes, foram seis jogadores adversários que fizeram ao menos dez pontos. 

Parar as jogadas entre Amar’e Stoudemire e Steve Nash continuou sendo um desafio. George Hill sofreu novamente com o canadense, atuou por 31 minutos e deixou a quadra eliminado com seis faltas. 

Agora a série vai para San Antonio para mais dois jogos, os quais o Spurs precisa vencer para continuar sonhando com a classificação. As duas primeiras partidas no Arizona deixaram algumas lições a serem aprendidas; a principal delas é que a equipe precisa se focar mais na defesa se quiser parar o Suns. Foi assim que os vencemos as outras vezes e não será diferente agora. Uma outra é que George Hill precisa encaixar a marcação em Nash. Com o canadense bem marcado será “meio caminho andado” para frear os rivais. 

Veja os melhores momentos do jogo 

Destaques da Partida 

San Antonio Spurs 

Tim Duncan – 29 pontos e dez rebotes 

Tony Parker – 20 pontos e sete assistências 

Richard Jefferson – 18 pontos e dez rebotes 

George Hill – 14 pontos 

Manu Ginobili – 11 pontos e 11 assistências 

Phoenix Suns 

Amar’e Stoudemire – 23 pontos e 11 rebotes 

Steve Nash – 19 pontos e seis assistências 

Jason Richardson – 19 pontos e cinco rebotes 

Grant Hill – 18 pontos e seis rebotes 

Channing – 15 pontos e quatro rebotes 

Jared Dudley – 11 pontos e seis rebotes 

Spurs (0) @ Suns (0) – Semifinal de conferência

San Antonio Spurs @ Phoenix Suns – Semifinal de conferência

Data: 03/05/2010

Horário: 23:30 (Horário de Brasília)

Local: US Airways Center

Situação do Jogo

San Antonio Spurs e Phoenix Suns chegam para o duelo desta segunda-feira em suas melhores fases na temporada. O Suns, tradicional freguês dos texanos, vem com tudo para tentar provar que tem, nesse ano, um dos melhores times da liga. Os comandados de Gregg Popovich, por sua vez, querem mostrar que ainda podem ganhar um título mesmo com suas estrelas envelhecidas.

PG – George Hill

SG – Manu Ginobili

SF – Richard Jefferson

PF – Tim Duncan

C – Antonio McDyess

Fique de Olho – O armador George Hill brilhou na série contra o Dallas Mavericks. Diante do Suns, ele deverá ser encarregado de parar o também armador Steve Nash, que vem com alguns problemas no quadril e pode entrar em quadra “baleado”.

Phoenix Suns

PG – Steve Nash

SG – Jason Richardson

SF – Grant Hill

PF – Amar’e Stoudemire

C – Jarron Collins

Fique de Olho – Amar’e Stoudemire é mais um daqueles que tem bastante facilidade contra o Spurs. Muito bom jogador na tábua ofensiva, Stat deverá causar estragos na defesa texana.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 47 outros seguidores