Arquivo da categoria: Europeu Sub-20 B 2011

E aí, o que achou deles?

Se você sair perguntando qual é o ponto fraco do elenco do San Antonio Spurs, 11 entre dez pessoas que acompanham a equipe vão dizer que é a ala e o garrafão. Ou, ao menos, uma dessas respostas. O pior é que são posições importantíssimas no esquema de Gregg Popovich – desde as saídas de Bruce Bowen e David Robinson, Tim Duncan não encontrou parceiros confiáveis na frountcourt. No máximo, um Robert Horry. E, nesses primeiros dias de offseason, pudemos acompanhar de perto duas apostas da franquia para o futuro: Ryan Richards e Davis Bertans.

A montagem está ruim porque eu que fiz

Richards esteve na Divisão B do Europeu Sub-20 com a Grã-Bretanha. O ala-pivô era o principal jogador de sua seleção, e, em sete jogos – contando partidas por posições menores, já que o time do Reino Unido ainda joga na disputa pelo 13º lugar – apresentou médias de 22,3 pontos (46,7% FG, 37,9% 3 PT, 76,3% FT) e 8,1 rebotes em 28,1 minutos por exibição. São números animadores – ainda mais se levarmos em conta que foi o primeiro torneio oficial do big man no ano, já que o atleta ficou afastado por um bom tempo recuperando-se de uma contusão no ombro.

Richards tem 2,13m e poderia ajudar a solucionar um problema do Spurs que ficou evidente na série contra o Memphis Grizzlies – a altura do garrafão. Além disso, o jogador me passou uma boa impressão também por outras qualidades, como sua velocidade, seu jogo de costas para a cesta e seu arremesso de média e longa distância. Mas vamos com calma: este era um torneio amador, e de nível baixo – vale ressaltar, é a segunda divisão do europeu. Richards tem sim potencial – tanto que a franquia texana já tenta trazê-lo para a próxima temporada. Mas ele ainda tem um longo caminho a percorrer antes de ganhar uma fatia relevante de minutos na rotação. Se contratado, seria um dos principais prejudicados pelo cancelamento da Summer League, e poderia até mesmo passar alguns meses no Austin Toros para se adaptar ao basquete americano.

Se a contratação de Richards é questão de tempo – imagino que ele se junte ao elenco do Spurs no máximo durante a temporada 2012/2013 – o casso de Bertans exige ainda mais paciência. O ala, draftado por sua precisão no arremesso de três pontos, parece ter sentido a pressão de ser a estrela do time da casa no Mundial Sub-19. Em oito partidas – novamente, contando as disputas por posições menores – o letão apresentou médias de 15,2 pontos (36,7% FG, 26,7% 3 PT, 75% FT) e 6,4 rebotes em 31,1 minutos por exibição.

A princípio, seu baixo aproveitamento assusta. Mas vale lembrar que Bertans é ainda mais jovem do que Richards – e, proporcionalmente, jogou um campeonato de nível maior. Além disso, tinha a pressão por desempenho que o big man britânico não tinha por ser a estrela do time da casa. E, para piorar, jogou improvisado no garrafão por ser um dos mais altos da equipe nacional. Ou seja: foi difícil basearmos qualquer tipo de conclusão sobre seu jogo por conta deste torneio.

Ainda é cedo para sabermos se Bertans e Richards podem ser, um dia, os jogadores que o Spurs precisa para a posição 3 e para o garrafão, respectivamente. Talento para isso eles têm: precisão nos arremessos, no caso do ala, e altura e facilidade para pegar rebotes, no caso do ala-pivô. Se os olheiros do Spurs acham que sim, quem sou eu para falar que não?

Nos próximos meses, teremos mais jogadores do Spurs em atividade por suas seleções durante a offseason. Velhos conhecidos, como Tony Parker, Manu Ginobili e Tiago Splitter, e novas faces, como Cory Joseph e Adam Hanga. Não perca a cobertura completa no Spurs Brasil!

Richards dá adeus com outro belo desempenho

Valeu, campeão!

Nesta segunda-feira (18), a Grã-Bretanha já entrou em quadra eliminada da Divisão B do Europeu Sub-20 graças às vitórias de Portugal e Finlândia. Porém, isso não impediu que a equipe do Reino Unido desse adeus à competição com vitória, diante da República Tcheca, no último jogo do Grupo C: 85 a 74.

Diante da equipe de melhor campanha na chave, Ryan Richads conseguiu mais uma boa exibição. O ala-pivô deixou a partida com 27 pontos (8-19 FG, 3-5 3 PT, 8-10 FT), sete rebotes e uma roubada de bola em 32 minutos de quadra.

Com isso, após cinco jogos, Richards encerra sua participação com médias de 21,4 pontos (47,9% FG, 33,3% 3 PT, 73,3% FT), 7,6 rebotes, 1,4 assistências, um toco e 0,2 roubadas de bola em 28,6 minutos por embate.

E mais…

Cory Joseph é convocado para a Seleção Canadense

Recentemente draftado pelo San Antonio Spurs, Cory Joseph pode defender o Canadá na Copa América, classificatória para os Jogos de Londres-2012. A federação canadense tenta acertar um seguro para que Joseph possa integrar o elenco da equipe nacional, que já treina em Toronto. Além do armador, o elenco conta com mais dois jogadores da NBA: o ala-armador Andy Rautins, do New York Knicks, e o pivô Joel Anthony, do Miami Heat. O Canadá está no Grupo A da Copa América, que conta ainda com Brasil, Cuba, República Dominicana e Venezuela. A competição começa no dia 30 de agosto.

Richards brilha e mantém britânicos com chances

http://i689.photobucket.com/albums/vv251/peskinha/barras/glauber-noticias.jpg

Foto em gameongb.com

Depois das derrotas diante de Portugal e Finlândia, a Grã-Bretanha bateu Luxembuergo neste sábado (16) por 85 a 56, e se manteve viva na busca pela classificação para a próxima fase da Divisão B do Europeu Sub-20.

Novamente, foi Ryan Richards o grande destaque do selecionado britânico. O ala-pivô conseguiu seu primeiro duplo-duplo na competição, com 20 pontos e 11 rebotes. Luxemburgo bem que tentou endurecer a partida, perdendo por um ponto ao final do primeiro quarto e ficando em vantagem no início do segundo, mas, com Richards e Devon Van Oostrum, a equipe britânica obteve uma larga vantagem até o intervalo, e depois só foi mantendo tal distância até chegar ao final da partida com a vitória. Luxemburgo teve como destaque Max Schmit, com 20 pontos.

Neste domingo (17), a Grã-Bretanha enfrenta a Noruega, às 10h (horário de Brasília), tendo a obrigação de vencer para poder ainda lutar na última rodada pela classificação no grupo C, já que só se classificam os dois primeiros colocados.

Richards joga bem, mas britânicos perdem

Richards não conseguiu evitar a derrota

A trajetória da Grã-Bretanha na Divisão B do Europeu Sub-20 não vem sendo como o esperado. Os britâncios enfrentaram a Finlândia, nesta sexta-feira (15),  e conheceram a segunda derrota seguida na competição, dessa vez por 72 a 68. Nem mesmo o bom desempenho de Ryan Richards foi suficiente para evitar o mau resultado.

Depois de uma atuação apagada na estreia contra Portugal, Richards “despertou” e anotou 28 pontos, pegou nove rebotes e distribuiu seis assistências, além de bloquear quatro arremessos, sendo o principal destaque da Grã-Bretanha na partida. O cestinha do jogo, no entanto, foi o armador finlandês Antto Nikkarinen, com 31 pontos.

Os britânicos voltam a entrar em quadra neste sábado, às 13h30 (horário de Brasília) contra Luxemburgo, precisando da vitória para continuar sonhando com a classificação. A Grã-Bretanha está no Gruipo C da competição, com Portugual, Finlândia, Luxemburgo, Noruega e República Tcheca. Os dois primeiros do grupo avançam para a próxima fase. A Divisão B do Europeu Sub-20 é realizada na cidade de Sarajevo, na Bósnia.

Richards estreia mal na Bósnia

Nesta quinta-feira (14), Ryan Richards estreou defendendo as cores da Grã-Bretanha na Divisão B do Europeu Sub-20 de basquete. E, assim como aconteceu com Davis Bertans no Mundial Sub-19, o Spurs Brasil vai acompanhar todas as partidas do prospecto da equipe texana.

Richards foi selecionado pelo Spurs na 49ª do Draft de 2010. Porém, o ala-pivô teve sua promissora trajetória interrompida por uma contusão no ombro. Por isso, o jogador ficou sem atuar deste o recrutamento – em seu período de recuperação, ele chegou a treinar com a equipe de San Antonio. Agora, na Divisão B do Europeu Sub-20 – disputada na Bósnia -  o big man tenta recuperar seu ritmo de jogo, já que ele pode se tornar o primeiro reforço do time texano para a próxima temporada.

Em seu primeiro jogo oficial, no entanto, Richards não foi bem. A Grã-Bretanha perdeu para Portugal por 60 a 57, e o ala-pivô deixou a quadra com 12 pontos (4-11 FG, 0-4 3 PT, 4-8 FT), oito rebotes, um toco, quatro turnovers e uma falta em 33 minutos de partida.

Richards tenta a recuperação já nesta sexta-feira, às 15h (de Brasília), contra a Finlândia.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 47 outros seguidores