Arquivo diário: 21/01/2013

Spurs (32-11) @ Sixers (17-23) – Temporada Regular

San Antonio Spurs @ Philadelphia 76ers – Temporada Regular

Data: 21/01/2013

Horário: 22h00 (Horário de Brasília)

Local: Wells Fargo Center, Philadelphia

Na TV: Canal Space

Cotação no Apostas Online: Spurs 1,38 (favorito) @ Sixers 3,09

Depois da vitória sobre o Atlanta Hawks no último sábado (19), o San Antonio Spurs encara o Philadelphia 76ers fora de casa nesta segunda. O time texano busca sua quinta vitória consecutiva desde a derrota para o Memphis Grizzlies na prorrogação, em jogo em as duas equipes disputavam a liderança da Divisão Sudoeste. Em sua última partida, a equipe da Filadélfia venceu o Toronto Raptors no tempo extra por 108 a 101. Os visitantes voltarão a contar com Tim Duncan, que foi poupado no último jogo, mas continuam sem Manu Ginobili por pelo menos mais uma semana, devido à lesão no tendão do pé esquerdo.

Confrontos na temporada (1-0)

05/01/2013 – Spurs 109 x 86 Sixers

No último confronto entre as equipes, o Spurs recebeu o 76ers e venceu. O time texano tinha 14 vitórias em casa e derrotou os visitantes por 109 a 86. O jogo é lembrado por grandes marcos: o retorno das enterradas clássicas de Manu Ginobili, Tiago Splitter anotando duplo-duplo (12 pontos e dez rebotes) e o recorde histórico de Tim Duncan que, com os 16 pontos anotados, passou Adrian Dantley e se tornou o 24º maior cestinha da história da NBA.

PG – Tony Parker

SG – Danny Green

SF – Kawhi Leonard

PF – Tim Duncan

C – Tiago Splitter

Fique de Olho – É indiscutível a importância de Tony Parker para o San Antonio Spurs nessa temporada. Mesmo com as ausências de Tim Duncan e Manu Ginobili, o francês levou o time à vitória contra o Hawks ao anotar 23 pontos e 12 assistências. Parker tem média de 19 pontos por jogo nesta temporada.

PG – Jrue Holiday

SG – Jason Richardson

SF – Evan Turner

PF – Thaddeus Young

C – Lavoy Allen

Fique de Olho – Jrue Holiday tem sido o principal jogador do Philadelphia 76ers nesta temporada. No último jogo da equipe, vitória sobre os Raptors na prorrogação, o armador conferiu 33 pontos e 12 assistências. Na temporada, Holiday tem média de 19 pontos por jogo.

Pensando no futuro

O que mais chamou a atenção na boa vitória do San Antonio Spurs sobre o Atlanta Hawks no último sábado (19) foi o modo como Tony Parker trouxe para si a responsabilidade de ser o único craque do time em quadra. Sem o poupado Tim Duncan e o lesionado Manu Ginobili, o Spurs teve uma mostra do que deverá ser visto no futuro próximo. Os dois jogadores estão cada vez mais perto da aposentadoria – será esta a última temporada de Timmy? – e a franquia precisa se reinventar para ter vida após os dois. O armador francês, é claro, é a peça-chave para o sucesso do projeto.

Parker fez carreira na NBA com um estilo bastante peculiar. Muito rápido, ele sempre usou e abusou deste atributo para se destacar. Bater para dentro e finalizar suas jogadas com bandejas foi durante muitos anos sua jogada típica. Mas ele está mudando seu estilo de jogo. Muito por conta das iminentes saídas de Duncan e Ginobili. Sinal disso, por exemplo, é a crescente média de assistências do camisa #9, que na última temporada superou pela primeira vez na carreira os sete passes decisivos por noite.

Parker é cada vez mais essencial. E tem correspondido

Com a bola mais na mão, Parker vai descobrindo as funcionalidades de ser um armador mais puro, com mais opção de passe do que de chute. Tudo isso sem prejudicar sua média de pontos, que se mantém próxima aos 20 por duelo, número excelente e que faz do francês o cestinha do Spurs. Isso porque Tony passou a jogar com mais calma, usando sua velocidade apenas em momentos mais críticos, quando o chute de média distância e o passe não são possibilidades tão reais.

A “transformação” de Parker em um armador mais característico, fruto principalmente de seu amadurecimento, é a chave para o Spurs manter as ótimas campanhas após as saídas de Duncan e Manu – ou até mesmo contando com a esperada queda de rendimento pela qual eles podem passar. Mas creio que existem outros três pontos bastante importantes para o desenvolvimento futuro da franquia.

O primeiro deles é a defesa e passa essencialmente por Kawhi Leonard. Enquanto o Spurs teve Bruce Bowen, tinha também a melhor defesa da liga, contando ainda com Duncan no auge. O novo ala da equipe tem características parecidas com a de seu antecessor, contando até com melhoras. Com o passar de mais dois ou três anos, a tendência é que Leonard vire dominante na defesa e melhore significativamente o setor, essencial para a briga por títulos.

Outro fator é Tiago Splitter. O brasileiro faz seu melhor campeonato na NBA e, ufanismo à parte, é um dos candidatos sérios ao prêmio de MIP (Most Improved Player, jogador que mais melhorou de uma temporada para outra) por conta de seu desenvolvimento, principalmente o ofensivo. Cabe ao brasileiro agora se encaixar melhor na defesa. Com o tempo, acredito que a média de rebotes irá crescer à medida que as características do basquete europeu que Tiago possuir sejam cobertas por posicionamentos mais parecidos com as tendências locais.

Por fim, o Spurs terá dinheiro. Ginobili tem um expirante de US$ 14 milhões. Caso renove, deverá fazê-lo por um preço menor. Caso se aposente, abrirá um valor que, se bem trabalhado, poderá render ótimos reforços. Duncan tem mais uma temporada de contrato e pode optar por renovar para 2014/15. Com a bela temporada que faz atualmente, não duvido que ele esteja apto para a próxima. Pensar em 2015, porém, é muito distante para um jogador em fim de carreira. Sem ele, US$ 10 milhões a mais para o salário texano. Isso sem contar o expirante de Stephen Jackson, também de US$ 10 milhões. O gerente R.C. Buford terá dinheiro de sobra para trabalhar, o que é excelente.

Tomados esses pontos, a luz no fim do túnel do Spurs é clara. Não será fácil ver Duncan e Manu se aposentarem. Mas o projeto de manutenção parece cada vez mais sólido.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 47 outros seguidores