Arquivo diário: 06/11/2012

Começando com tudo

Faz uma exata semana que a temporada 2012/2013 da NBA começou, e de maneira espetacular. Durante esses sete primeiros dias, tivemos várias surpresas, proporcionadas por equipes ou por jogadores. Os principais pontos positivos desse começo de temporada, entre os times, foram New York Knicks, Milwalkee Bucks, Orlando Magic e San Antonio Spurs.

Melo na primeira vitória do Knicks, sobre o Heat (NBA Photos)

Apesar de ter feito um estrago em Nova Iorque, parece que o furacão Sandy não abalou muito o time do Madison Square Garden, que largou com tudo. Três vitórias em três jogos, começando com uma espetacular sobre o atual campeão, o Miami Heat. Um fato curioso é que o Knicks jamais, por toda sua história, tinha começado uma temporada com três vitórias seguidas, todas por dígitos duplos, como nesse campeonato. O asilo de NY pode até ser um cavalo paraguaio, mas que está dando um ponto de alegria para os nova-iorquinos que passam por um momento difícil, está.

A cidade de Milwalkee não está passando por apuros no sentido de desastres naturais, mas, da mesma maneira, sua equipe está lhe dando alegrias. Apontado por todos como candidato às duas últimas vagas para os playoffs da Conferencia Leste, o Bucks decidiu mostrar que pode ir muito bem nessa temporada. Com um quinteto sólido titular e um banco contribuinte, a equipe conseguiu duas vitórias em dois jogos.

Orlando sofreu com a saída de Dwight Howard, mas os jogadores do Magic deixaram a ausência do Superman para lá e resolveram jogar. Resultado de duas vitórias e nenhuma derrota. Apesar desse começo empolgante, o time da Floórida não deve manter esse ritmo por muito tempo, pois tem um elenco muito limitado. Mas não podemos afirmar nada, afinal, a cidade é onde os sonhos se tornam realidade.

O principal destaque do Oeste foi o Spurs. Mantendo a base do time que fez uma campanha excepcional na temporada passada, parando apenas na final de Conferencia, o time de Gregg Popovich já possui quatro vitórias e está invicto. Liderados por Duncan e Parker, conseguiram vitórias expressivas, como contra o time de Oklahoma, o jovem e talentoso elenco de Nova Orleans e o encardido Indiana Pacers, além de vencer o Utah Jazz.

Como tudo tem seu lado bom e seu lado ruim, um time se sobressaiu ao decepcionar não só seus fãs, mas todos do basquete. O Los Angeles Lakers montou uma equipe que é, se não favorita ao titulo, ao menos digna de uma campanha com muitas vitórias. Mas não foi isso que aconteceu nesse começo. Com quatro jogos e apenas uma vitória, hoje, o “Primo Rico” de LA, se vê na penúltima colocação no Oeste. Muitos jogam toda a culpa no técnico, Mike Brown, e já pedem Phil Jackson de volta, mas será que é só esse o problema?

Lin e Harden (NBA Photos)

Além desses destaques em equipe, alguns jogadores se sobressaíram neste início de campeonato. Na última semana, comentei sobre a troca na qual James Harden esteve envolvido, e no final perguntei quem você achava que tinha se saído bem com essa troca. Nessa primeira semana, pelo menos, o time de Houston se deu melhor. James Harden chegou e estreou com 37 pontos e 12 assistências, e no jogo seguinte fez 45 pontos e sete rebotes. Chegou com tudo o barbudo, e deu esperanças para os texanos fãs do Rockets terem um novo ídolo.

Mas não foi só o ala-armador que teve uma semana espetacular. Kyrie Irving e Anderson Varejão estão fazendo uma dupla em Cleveland que está dando o que falar. O brasileiro está com uma média de 14 pontos e 15 rebotes por exibição durante os quatro jogos disputados essa temporada, incluindo uma partida em que teve 23 rebotes. Já o armador segundo-anista está com medias de 24 pontos e seis assistências por jogo.

Assim como suas equipes, Carmelo Anthony, Brendon Jennings e Tim Duncan começaram muito bem a temporada. Os três estão com medias, respectivamente, de 26 pontos e sete rebotes, 17 pontos e 13 assistências e 19 pontos e dez rebotes por jogo, e assim deixaram suas equipes invictas, tendo a liderança de suas conferencias.

Essa foi uma semana muito boa para todos amantes de basquete, que tiveram a melhor liga do mundo de volta a ativa, e com grande estilo.

Ryan Richards disputará a Euroliga por clube polonês

De acordo com reportagem do site americano Project Spurs, Ryan Richards, ligado ao San Antonio Spurs desde o Draft de 2010, acertou para disputar a temporada pelo Asseco Prokom, da Polônia. O ala-pivô atuou na Summer League deste ano pela franquia texana.

Richards (à direita, com a número 19) na Summer League (Shep McAllister/Spurs.com)

Segundo o site Sportando, Richards assinou contrato com seu novo time nesta terça-feira, e terá a oportunidade de disputar a Euroliga com a equipe. O britânico estava inativo desde o fim de sua apresentação na Liga de Verão.

Richards terminou a última temporada jogando pelo Sokhumi Tbilsi, da Georgia, clube em que apresentou médias de 12,2 pontos e 5,8 rebotes por exibição. Na Summer League, o ala-pivô obteve, em média, 3,3 pontos e 2,8 rebotes em 11 minutos por jogo.

Com time novo, Richards, selecionado pelo Spurs na 49ª escolha do Draft de 2010, será o sétimo jogador ligado ao Spurs atuando no Velho Continente nesta temporada. Além dele, também jogam no basquete europeu os alas-armadores Marcus Denmon e Adam Hanga, os alas Davis Bertans e Viktor Sanikidze, o ala-pivô Erazem Lorbek e o pivô Robertas Javtokas.

Spurs (4-0) vs Pacers (2-2) – História no Texas

101×79

Nesta segunda-feira (5), o San Antonio Spurs recebeu o Indiana Pacers no AT&T Center e venceu o adversário com facilidade pelo placar de 101 a 79. Com o resultado, a equipe texana chegou a quatro vitórias nas quatro primeiras partidas da temporada, algo inédito na história da franquia. Veja a seguir como foi o jogo.

Não deu pra você, George Hill… (D. Clarke Evans/NBAE/Getty)

Big Three descalibrado

O Spurs se manteve à frente do placar durante toda a partida e mal chegou a ser ameaçado. O melhor momento do Pacers foi no fim do segundo quarto, quando os visitantes cortaram a vantagem texana para nove pontos. No entanto, por incrível que pareça, os principais jogadores do time de San Antonio não se apresentaram bem no jogo.

Tony Parker acertou apenas três dos 13 arremessos que tentou e deixou a quadra com seis pontos, sete assistências e quatro rebotes em pouco mais de 25 minutos. Manu Ginobili acertou apenas um de seus quatro tiros de quadra e terminou com quatro pontos e quatro desperdícios de posse – ao menos, compensou com sete assistências. Tim Duncan conseguiu um duplo-duplo com 14 pontos e 11 rebotes, além de três assistências e três roubadas, mas saiu do jogo com 7-16 FG.

Boa, Blair! (D. Clarke Evans/NBAE/Getty)

Coadjuvantes inspirados

Se o Big Three não estava em noite feliz, outros jogadores do Spurs compensaram na partida. O principal nome do time de San Antonio na partida foi Gary Neal. Atuando como armador reserva, o jogador estava calibrado: acertou oito dos dez arremessos que tentou e deixou a quadra com 17 pontos, sendo o cestinha do jogo, além de três rebotes.

Com 12 pontos, Stephen Jackson também se destacou no duelo. Além dele e de Neal, o Spurs teve um outro destaque improvável na noite de segunda…

Brilha, DeJuan Blair

Depois de xingar muito no Twitter por não ter jogado na primeira partida do Spurs na temporada – vitória sobre o New Orleans Hornets – DeJuan Blair recebeu de Gregg Popovich a chance de mostrar serviço contra o Pacers. E ele não decepcionou: passou mais de 29 minutos em quadra, maior tempo entre os jogadores do time texano, e anotou 14 pontos, 11 rebotes e quatro assistências.

A notícia não é boa para o pivô Tiago Splitter, que ficou “esquecido” no banco de reservas e jogou apenas os seis minutos finais, conseguindo cinco pontos, quatro rebotes e um toco. Na quarta-feira, no jogo contra o Los Angeles Clippers, será que Pop vai preferir usar o brasileiro ou Blair?

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Gary Neal – 17 pontos e três rebotes

DeJuan Blair – 14 pontos, 11 rebotes, quatro assistências e duas roubadas de bola

Tim Duncan – 14 pontos, 11 rebotes, três assistências e três roubadas de bola

Stephen Jackson – 12 pontos

Indiana Pacers

George Hill – 15 pontos, seis assistências e quatro rebotes

Paul George – 14 pontos, três rebotes e dois tocos

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 47 outros seguidores