Efeito placebo

O bom filho à casa torna. Depois de um longo e tenebroso inverno, volto a preencher linhas aqui no Spurs Brasil, blog do qual sou idealizador e, confesso, tenho como maior orgulho de minha carreira jornalística até o momento. Sai desempregado e em formação; volto como integrante da redação do Yahoo! Esportes e quase formado. Mas como o assunto aqui é basquete, vamos direto ao ponto.

Decisivos. Mas até quando? (NBAE/Getty Images)

Volto ao blog com a sensação de que muita coisa mudou na NBA, mas poucas mudaram efetivamente em San Antonio. Nos últimos anos, o Spurs teve boas – para não dizer ótimas – campanhas na temporada regular, mas pecou na hora de disputar os playoffs. Primeiro a eliminação para o Memphis Grizzlies; depois, na temporada que acabou, queda diante do Oklahoma City Thunder.

Não foram poucos os torcedores que se acostumaram a ver no Spurs um time de chegada, desses que cresce na hora do vamos ver. A situação, hoje, inverteu. E nem falo por questões de falta de jogadores para decidir. Apenas aceito que o tempo passa para todos, e tem passado cada vez mais para os ainda ótimos Tim Duncan e Manu Ginobili. A lenha dos dois continua queimando, mas a dependência do time em ambos para vencer tem atrasado – e muito – qualquer projeto de renovação.

Afinal, nos últimos dois anos, muito se falou que a presença de alguns jogadores mais jovens já dava indícios de que Gregg Popovich executava um projeto de renovação ao mesmo tempo em que mantinha Manu, Duncan e Tony Parker na condução da equipe. Enquanto o terceiro chega perto de seu ápice técnico e é cada vez mais protagonista, os dois outros jogadores já não são os mesmos de outrora. Não que estajam mal. Mas não estão mais em nível de competição com os astros que surgiram nesse meio tempo. A juventude do time do Thunder, por exemplo, torna quase impossível uma vitória texana em outra eventual série.

Deixando de lado o Big Three, questiono mais do que a presença dos três – que é indiscutível –, a falta de jovens que possam realmente fazer a diferença no futuro. Com quantos jogadores o Spurs conta hoje para se manter entre os maiores daqui cinco anos? Vejo Parker e o ótimo segundoanista Kawhi Leonardo como únicas opções confiáveis para o futuro. É pouco para daqui alguns anos e muito pouco para hoje. Duncan e Manu precisam de reservas que possam, se não manter o nível, disputar com outros times em pé de igualdade. Falta isso ao Spurs hoje.

Para o presente, confio em playoffs. Título? Acho improvável – para não dizer impossível – com dois times muito melhores no próprio Oeste e o atual campeão vindo do Leste. Se o planejamento do Spurs não envolve trocas miraculosas como a que levou Dwight Howard ao Los Angeles Lakers, continuemos nos armando aos poucos. Mas sem achar que boas temporadas regulares servem para algo além de funcionar como placebo. O Spurs precisa de mais. Tony Parker, cada vez mais sozinho, não fará tantos verões como se imagina.

3 pontos

- Parece que só sei cornetar o time. Não é. As campanhas recentes me surpreenderam positivamente, apenas acho que não podemos considerá-las parte do processo de renovação do elenco.

- Espero ver Patrick Mills mais ativo nessa temporada que começará. Pouco usado nos playoffs, ele chegou à NBA como promessa que não vingou. Na última temporada regular, quando teve chances, foi bem.

- Steve Nash, Kobe Bryant, Metta World Peace, Pau Gasol e Dwight Howard. O Oeste, ao que parece, terá novo dono nessa temporada.

About these ads

Sobre Leonardo Sacco

É jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero. Cravou a opção pelo jornalismo no estouro do cronômetro, quando criou o Spurs Brasil em uma madrugada de domingo para segunda. Escreve para o Yahoo! Esportes e dá seus pitacos no @leosacco.

Publicado em 27/08/2012, em Zona Morta. Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Olá Leonardo. Comecei a participar no blog depois de sua ausência, ao que parece.
    Concordo com algumas opiniões suas, com outras nem tanto.

    O Spurs é um time que valoriza seus jogadores. Nossas estrelas, em sua grande maioria, vieram do Draft e permaneceram a carreira toda conosco. Ou então são jogadores que vieram de outras franquias e acabaram fazendo história conosco, mesmo não tendo feito sua carreira inteira em San Antonio.

    Analisando o perfil dos nossos jogadores, percebe-se que o Spurs valoriza muito jogadores que trabalham duro, jogam pelo time, cumprem dedicadamente sua função e são disciplinados.
    Talento puro não é o principal argumento do time. Claro, parece estranho quem tem Manu Ginóbili, Tony Parker e Tim Duncan falar que o talento não é o principal. Está certo, só ganhamos nossos campeonatos porque tínhamos feras de talento absurdo no time, mas isso não é o único fator.
    Veja Bruce Bowen, por exemplo. Alguém pode dizer que ele é um cara talentoso? Não, jamais. Mas era fundamental para a franquia, pelo pura vontade de vencer, raça e extrema obediência tática. O fato de ter sua camisa aposentada nos ensina que é isto que se valoriza no time.

    Digo isto pra informar que nossos times sempre tiveram sim estrelas, mas também estávamos recheados de coadjuvantes de luxo. Jogadores que foram imprescindíveis nas suas funções. Pra mim fica claro que nenhuma outra franquia da NBA consegue jogar tão bem com menos “estrelas”. Concordo que temporada regular não quer dizer muito, mas fizemos uma temporada brilhante. E tivemos um 10-0 nos offs antes de cair frente ao fortíssimo Thunder.

    Acredito que vamos ir aos playoffs com cada vez menos chances nos próximos anos. Nesta temporada ainda acredito, mas depois, 12-13 e 13-14 acho que não. Até acabar o contrato do Timmy e do Manu.
    Depois disso, com cap livre, podemos ter condições de atrair um bom FA. Senão, iremos para uma temporada trevosa, onde pela primeira vez depois de muitos anos ficaremos fora dos playoffs e teremos boas condições de subtrair um bom talento no Draft. Até lá vamos desenvolvendo Kawhi, Cory, Denmon e outros valores que poderemos ir pegando no caminho para talvez termos um elenco contender.

    Pelo menos é assim que enxergo a renovação do Spurs.

    E não acredito que o Lakers seja a principal força do Oeste no momento e talvez este elenco, apesar de muito forte, nem chegue a ser. Aposto muito mais no Thunder, especialmente se conseguirem manter James Harden.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 47 outros seguidores