Quinta rodada cheia de surpresas

A última rodada da fase eliminatória do basquete masculino das Olimpíadas de Londres, que aconteceu nesta segunda-feira (6), reservou algumas surpresas envolvendo jogadores do San Antonio Spurs. Patrick Mills, por exemplo, acertou uma cesta incrível nos segundos finais, e o Brasil, de Tiago Splitter, ganhou um jogo que ninguém queria ganhar.

Tiago fez 11 pontos contra a Espanha. Foto: Inovafoto

A rodada começou com uma atuação não muito convincente de Patrick Mills, da seleção australiana, contra a até então imbatível Rússia. O armador reserva do Spurs, que havia feito 38 pontos em sua última partida, acertou apenas cinco arremessos que tentou, errando outros 11. No entanto, nos segundos finais do jogo, com a Austrália perdendo por um ponto, Patty se redimiu e acertou um arremesso de três no estouro do cronômetro.

A zebra, então, foi consumada com o placar de 82 a 80 para os australianos, com seu armador terminando a partida com 13 pontos. Como o resultado não fez nenhuma diferença no posicionamento dos dois times (Austrália em quarto e Rússia em primeiro), a seleção de Mills encara os Estados Unidos nas quartas de final.

Spurs francês

Já a França, de Tony Parker, Nando De Colo e Boris Diaw, teve dificuldades para bater a Nigéria. O camisa 9 teve uma fraca apresentação, marcando apenas três pontos e acertando apenas 16% do seus arremessos. Para compensar a mão descalibrada, o armador conseguiu distribuir sete assistências.

Mills foi o grande responsável pela zebra na quinta rodada |Fotos:Getty Images.

De Colo, por sua vez, contribuiu bem com o time com seus oito pontos, quatro assistências e quatro roubos de bola. Diaw, que chegou a ficar zerado no jogo passado, dessa vez alcançou uma pontuação de dois dígitos. O ala-armador fez dez pontos, além ter coletado seis rebotes e, com sua ótima visão de jogo, conseguido quatro assistências. O placar final foi 79 a 73. Os franceses encaram a Espanha nas quartas de final. 

Vitória amarga

O jogo entre Brasil e Espanha era uma franca disputa para definir o segundo e terceiro  lugares do Grupo B. No entanto, como os Estados Unidos já estava praticamente definido como primeiro colocado do Grupo A, quem ficasse em segundo do B teria, na teoria, os americanos pela frente nas semifinais.

Dito isso, seria óbvio que nenhum dos dois times tivesse muito interesse na vitória. Mas não foi o que pareceu nos primeiros minutos. Os irmãos Pau e Marc Gasol, da Espanha, pontuaram muito bem, dificultando a vida de Tiago Splitter, pivô do San Antonio Spurs, que tentava marcar a dupla.

Porém, no decorrer do jogo, ambos os times passaram a usar mais os seus suplentes. O Brasil, que já não tinha o poupado Nenê, passou a utilizar jogadores do elenco que não ficam tanto tempo em quadra, como Caio Torres e Raulzinho. No placar, nenhum dos dois países conseguia se distanciar do outro, deixando a definição para o último quarto.

Como Caio estourou o limite de cinco faltas, Tiago teve de passar praticamente todo o período final em quadra. O pivô contabilizou 11 pontos, seis rebotes e três assistências. Com uma sequência de bolas de três pontos, a seleção brasileira conseguiu abrir certa diferença, o que fez com que ambos os times convocassem seus titulares de volta à quadra, ou pelo menos parte deles. A Espanha não conseguiu tirar a diferença, perdendo a última etapa do jogo por 31 a 16 e a partida por 88 a 82. Como ficaram na segunda posição, os brasileiros enfrentam os argentinos na próxima fase.

Por último, duelaram os últimos dois campeões olímpicos, Estados Unidos e Argentina. Manu Ginobili foi o cestinha da seleção sul-americana com 16 pontos, além de ter distribuído seis assistências e coletado cinco rebotes. Nada disso foi suficiente para parar os medalhistas de ouro em Pequim-2008. Três jogadores americanos conseguiram superar a marca de pontos do ala-armador (Kevin Durant, LeBron James e James Harden).

Durante os dois primeiros quartos, os dois times disputaram ponto a ponto. Mas, a partir da segunda metade do jogo, os americanos, liderados por Kevin Durant, se distanciaram no placar. O técnico Júlio Lamas percebeu que a derrota seria inevitável e poupou seus astros para o duelo com os brasileiros, e a Argentina acabou perdendo por 126 a 97.

About these ads

Sobre Juliano Medeiros

Jornalista em formação, estagiário do Caderno Jogada, do Diário do Nordeste, fã do San Antonio Spurs e apaixonado por basquete.

Publicado em 07/08/2012, em Notícias e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 47 outros seguidores