Tá chegando…

Depois de 16 anos, está chegando a hora! Restam apenas dois dias de uma longa espera para vermos nossos doze guerreiros entrarem em quadra contra os australianos, às 7h15 (horário de Brasília), na estreia da seleção brasileira nas Olimpíadas de Londres-2012.

Em preparação desde o dia 10 de junho, a equipe comandada pelo técnico argentino Rubén Magnano está mais pronta do que nunca para voltar a ser uma potência mundial no esporte. Depois de boas exibições em amistosos contra equipes de nível muito forte, como Estados Unidos, Argentina e França, os atletas brasileiros estão confiantes de que essa medalha pode chegar.

Jogamos contra os argentinos duas vezes, em finais de Super Four’s — um disputado em Buenos Aires e outro em Foz do Iguaçu — com uma derrota fora de casa e uma vitória em território nacional. Manu Ginóbili, do San Antonio Spurs, jogou só o primeiro jogo, marcando 33 pontos. No segundo, ficou fora por conta de uma leve contusão, assim como Leandrinho, do Indiana Pacers.

Depois, tivemos um amistoso contra os estadunidenses, os favoritos ao ouro olímpico. Aos olhares de Barack Obama, chegamos a abrir 27 a 17 no final do primeiro quarto, mas, sem condições de mantermos o mesmo ritmo ao longo dos quatro quartos, fomos derrotados por 80 a 69. Ao final do jogo, o técnico americano Mike Krzyzewski profetizou: “O Brasil irá disputar o ouro em Londres”.

Ainda enfrentamos a França, comandada por dois jogadores do Spurs, Tony Parker e Nando De Colo. O jogo foi disputado durante os 40 minutos, com os brasileiros chegando a abrir uma vantagem de dez pontos no terceiro quarto. No entanto, devido à boa atuação de De Colo no fim, os europeus viraram o jogo e o fecharam por 78 a 74.

Fizemos também outros amistosos contra equipes mais fracas, mas sempre complicados, como Chile, Espanha B e Austrália (nossa primeira adversária em Londres). Chegamos a boas vitórias em todos eles.

Nossa seleção mostrou muitos pontos fortes que podem nos dar esperanças na busca dessa medalha. Uma defesa sólida, que permitiu apenas 80 pontos dos estadunidenses e 78 dos franceses; um garrafão muito forte (Anderson Varejão, do Cleveland Cavaliers, Nenê Hilário, do Washington Wizards, e Tiago Splitter, do San Antonio Spurs), que poderá proporcionar uma rotação muito útil em Londres; um dos melhores armadores do mundo (Marcelinho Huertas, do Barcelona); e Rubén Magnano, um técnico muito inteligente e experiente, que já conquistou um ouro olímpico em 2004 com a Argentina de Manu Ginóbili, Pablo Prigioni, Luis Scola e companhia.

Eu acredito. E você?

Elenco brasileiro:

4 – Marcelinho Machado
5 – Raul Neto (Raulzinho)
6 – Caio Torres
7 – Larry Taylor
8 – Alex  Garcia
9 – Marcelinho Huertas
10 – Leandro Barbosa (Leandrinho)
11 – Anderson Varejão
12 – Guilherme Giovannoni
13 – Nenê Hilário
14 – Marcus Vinicius (Marquinhos)
15 – Tiago Splitter

Jogos da seleção brasileira masculina na primeira fase*:

29/07 – 07h15 – Brasil x Austrália
31/07 – 12h45 – Brasil x Grã-Bretanha
02/08 – 12h45 – Brasil x Rússia
04/08 – 12h45 – Brasil x China
06/08 – 16h00 – Brasil x Espanha

* Horários de Brasília

About these ads

Publicado em 27/07/2012, em Brasil, Londres 2012, Um outro olhar. Adicione o link aos favoritos. 5 Comentários.

  1. Ihh… um sofredor na parada… Knicks, véio? Hahahaha… brincadeira, bem vindo Pedro!

    Olha… eu acredito em um torneio muito bem jogado pelo time. Se eu acredito em medalha? Acredito, mas não espero. Ou melhor, não exijo. Esse time, ao meu ver, já cumpriu o seu papel, que foi o de voltar a nos dar alegria em ver a seleção de basquete jogando.
    Magnano é um gênio do basquete, sabe tudo, e transformou um grupo desacreditato, perdedor pra ser sincero, em uma equipe de verdade. Uma equipe que vai até os EUA e não passa vergonha. Que fez o Obama ter que explicar pra mulher dele que o placar não estava com defeito não.
    Que enfrenta times recheados de jogadores na NBA (com os nossos próprios jogadores da NBA) e não treme na base.
    Acredito que há 7 times jogando de verdade por medalha. Contando que os EUA já estão com a medalha de ouro nas mãos, restam 6 times extremamente equilibrados jogando por mais duas medalhas. Não acredito que a Espanha esteja num patamar acima, como alguns dizem.
    O Brasil está bonito de se ver, e se ficar em qualquer posição a partir de 7º já vou ficar muito contente.

  2. Acredito que se eles jogarem unidos, teremos chances de ir bem longe!! mas como sabemos: pequenos detalhes podem fazer uma diferença entre 4-12 lugar!! Espero mais que isto, e com pés no chão, humildade, muito trabalho e muita garra, podemos incomodar!!!

  3. Acho que o Brasil tem chances… Tomara traga uma medalha.

  4. Tenho certeza que desde a seleção campeã do Pan de 1987, esse é o melhor grupo que temos para uma Olimpíada. Espero que o padrão de jogo, a qualidade técnica individual e a vontade dos jogadores aliados a experiência do técnico Rubén Magnano possam resultar em uma tão sonhada medalha para o Basquete brasileiro.
    Esse esporte precisa ser resgatado e voltar a circular entre os principais esportes de nosso país, como já foi em décadas atrás, acho que esse é o momento!!

  1. Pingback: A confiança de Patrick Mills | Spurs Brasil

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 42 outros seguidores