Leitor reclama da juízes de Spurs x Thunder; ele tem razão?

Falta ou não? Eis a questão… (Foto: NBAE/Getty Images)

Por Leonardo Pankiewicz*

Gostaria de começar dizendo que essa temporada acabou de maneira frustrante. Não porque fomos derrotados. Mas pela maneira como fomos derrotados. Foi simplesmente ridículo. É lógico que vai parecer coisa de torcedor perdedor com dor de cotovelo, mas digo que não é. Já vi o San Antonio Spurs cair outras vezes, mas de forma honesta, como naquela série espetacular contra o Dallas Mavericks. E saímos de lá dignamente. Não foi o que aconteceu contra Oklahoma City Thunder.

O Spurs poderia ter jogado melhor, sim. Em alguns embates, poderia até ter levado a melhor, mesmo com a falta de vergonha dos juízes. Mas a péssima arbitragem prejudicou o Spurs. Marcar faltas ou não, violações ou não pode mudar completamente o ritmo do jogo. Pode deixar um jogador perigoso carregado de faltas (o que aconteceu diversas vezes com Kevin Durant contra o Miami Heat; que coisa, não?). Pode fazer quem está acertando todas perder a concentração e começar a errar.

Como comprovado naquele filme com o Brad Pitt, O Homem Que Mudou a História do Jogo, a matemática, em especial as teorias de probabilidade e estatística, ajuda muito a ver o panorama de algumas coisas. Por exemplo: o Spurs era o 30º da liga em faltas por jogo, com mais ou menos 17, se não me engano. OKC era o oitavo, com pouco mais de 20. Nos dois primeiros jogos, OKC fez (novamente, se não estou enganado) 24 e 28 faltas em San Antonio. Quando o jogo foi para Oklahoma, os juízes marcaram 16 e 15 nos respectivos jogos 3 e 4, em que o Spurs cometeu mais faltas que o adversário. Quando o jogo voltou para SA, os juízes novamente marcaram as faltas corretamente; que coisa, não? No jogo 6, a coisa estava indo até bem quando veio o intervalo. Aí os juízes se reuniram e falaram, “ah, vamos entregar o jogo pro Thunder de uma vez!”

Quanto às faltas, a principal (e põe principal nisso) questão é que um time carregado não pode defender tão fisicamente quanto o Thunder defendeu o Spurs, o que aconteceu nos dois primeiros jogos. San Antonio teria mais espaço para jogar porque os caras teriam de marcar menos agressivamente. Vimos isso no começo da série. Depois, o excesso de faltas poderia ter colocado no banco jogadores de OKC que estavam quentes.

Eu poderia discutir várias outras coisas, como James Harden e Kendrick Perkins, dois dos jogadores mais SUJOS da história da NBA. Não vou defender Metta World Peace, mas Harden tomou aquela cotovelada porque passou o jogo inteiro batendo e provocando Metta. Eu vi o jogo. Eu tinha o NBA League Pass completo. Poderia comentar também do Russell Westbrook e Serge Ibaka, que não são sujos, mas extremamente inconsequentes em sua fisicalidade (aliás, Serge Ibaka é o principal motivo pelo qual estou escrevendo este texto). A arbitragem não coibiu esses jogadores e o Spurs saiu prejudicado.

Mas, afinal de contas, o que quero discutir aqui, motivo do texto, são as mil violações de cesta, ou de tendência ou de descendência, não sei qual a melhor tradução para as Goaltending Violations que o Ibaka comete. No jogo 3 ou 4 (acho que foi o 4, mas não lembro com precisão), Steve Kerr, comentarista da transmissão norte americana, disse: “já é a quarta vez que o Ibaka faz isso e os juízes não apitam”. Nos jogos 1 e 2, o Ibaka cometeu as mesmas infrações e os juízes marcaram. Após o jogo ter ido para OKC, nunca mais. E é sempre a mesma coisa. Ora a bola BATIA NA TABELA e o Ibaka enfiava a mão nela, ora ele LITERALMENTE PRENSAVA a bola na tabela. Se eu estiver incorreto, por favor me corrijam. Na FIBA isso não vale e tenho quase certeza de que na NBA também não. O Ibaka fez isso em várias oportunidades e os juízes não marcaram. Para mim, isso é Goaltending e pronto (Clique aqui para ver o vídeo e esqueçam do narrador do SporTV).

Nos minutos 0:25 e 2:38, temos duas jogadas em que o Ibaka comete os MESMÍSSIMOS Goaltendings que ele cometeu contra os Spurs. E olha só, os árbitros marcaram!

Essa palhaçada de arbitragem me deixou extremamente desanimado com a NBA. Eu não vou comprar League Pass. Talvez só acompanhe os resultados finais dos jogos e olhe lá… Ah, só pra deixar claro, todo mundo sabia que os juízes ajudariam o Heat, independente de quem fosse para a final (lembrando que o Spurs x Heat com Bosh dando a enterrada de 4 passos, foi o jogo mais ridículo que eu já vi na minha vida em termos de juízes). Bom, deu no que deu, OKC levou ferro. OKC ganhou porque a arbitragem ajudou. Sem ela, não conseguiria fazer nada contra o Heat, ou mesmo o Spurs.

Leonardo Pankiewicz tem 24 anos e é torcedor do San Antonio Spurs desde 2003. Enviou este texto para o e-mail do Spurs Brasil e, pela qualidade, acabou publicado. Suas opiniões não refletem necessariamente a dos blogueiros.

About these ads

Sobre Equipe Spurs Brasil

Seu site de notícias sobre o San Antonio Spurs em português. Ativo desde fevereiro de 2008.

Publicado em 26/07/2012, em Artigos. Adicione o link aos favoritos. 12 Comentários.

  1. Olá Leonardo.
    Olha, eu vi todos os jogos das finais de conferência e da Liga. Realmente houveram momentos em que fiquei na dúvida com alguns lances. Mas de verdade eu prefiro não ficar pensando nisso, porque já foi e não vai voltar.
    A NBA tem alguma ouvidoria de arbitragem, ou algum tipo de recurso pra enviar após os jogos? Porque se o pessoal assiste tanto os jogos pra fazer estatísticas e tudo o mais, podem ter claramente visto os erros de arbitragem. Não conheço bem as regras da NBA (nem as FIBA), então realmente não posso dizer se concordo que sejam falta ou não. Mas se existiram, precisam ser cobradas as medidas, para que não se repitam.

    • Leonardo Pankiewicz

      Olá Danilo.
      Eu sempre tive esse pensamento, de deixar isso pra lá e vamos para a próxima. Mas a arbitragem da NBA vem se deteriorando desde 2009. Na minha opinião, tudo por causa do protecionismo às superestrelas. Os juízes deixam os caras soltos, afinal eles dão show. E o show tem que continuar. O Ibaka não é superestrela, mas é o campeão de bloqueios da temporada e realmente dá uns tocos espetaculares. Mas quando o árbitro “esquece” de aplicar a regra só porque o Ibaka deu toco bonito, ou seja, deixa o show rolar, eu já acho demais. Posso citar um milhão de exemplos desse tipo de falha. Essas coisas me desanimam, principalmente porque não é uma coisa que acontece contra o Spurs, que é um time que sempre jogou o arroz com feijão, mas com qualquer time que vai enfrentar essas estrelas. A NFL, liga de futebol americano, passou por um momento muito parecido. O comissário da liga foi pressionado e teve que fazer uma reforma grande no quadro de juízes para melhorar a arbitragem dos jogos. E melhorou mesmo. No entanto, nos EUA, a política de fazer comentários sobre os árbitros é bastante rígida. Os jogadores e técnicos são proíbidos de falar qualquer coisa sobre os árbitros, sobre pena de multa e até suspensão (Mark Cuban que o diga). Eles não falam absolutamente nada, nem a imprensa. Então fica na mesma.

      • Silas Barboza de Sousa

        Leonardo,

        Acredito que em termos você tem razão,os Spurs foram prejudicados nos jogos finais e também durante alguns jogos da temporada,porém esta máxima vale para todas as equipes com exceção do Miami e do OKC,que verdadeiramente tem recebido um protecionismo “oculto” do comissário da NBA.A própria condução das regras,se você se recorda foi modificada para impedir dos Spurs de prevalecer na NBA…Pois com características de um time com forte defesa…o San Antonio Spurs foi muito criticado após o título de 2005 contra o Detroit Pistons pela baixa pontuação(senão me engano uma das finais com menor pontuação na história depois da instituição dos 3 pontos).A nova orientação da NBA começou em 2008,onde foi advertido aos arbitros menos rigor na falta ofensiva e na dúvida indicar benefício ao ataque,além de não implicar com as grandes estrelas..como Joe Crawford no episódio Tim Duncan…todas estas práticas possibilitaram uma maior pontuação na NBA,,,como também o uso da malandragem por parte de alguns jogadores que são experts em cavar falta exemplo Kobe Bryant e Wade do Miami Heat.Os Erros de arbitragem no plano geral estão sim influenciando diretamente nos resultados,mas com toda franqueza,o que nos derrubou após esta “esquisita” temporada foi a ausência do “brio” de Campeão,fizemos um excelente papel mas na hora de demonstrarmos que somos a “Dinastia Spurs” as estrelas da nossa equipe nos desapontaram(exceção Manu…Jackson) e de forma melancólica jogamos toda uma temporada no ‘Lixo’.(Detalhe após a queda do Lakers e do Bulls nossa cotação estava de 1.060 na Bolsa de apostas…excelente…com Miami com 1.40..OKC..2.80)
        Em sumo,eu também estou desapontado…mas meu foco é a equipe…pois depois de uma temporada apertada(eu virando madrugadas)..onde dos 66 jogos assisti 63..chegando atrasado no trabalho…teve jogo contra o Golden State que terminou 3:42 da manhã….e na hora H(Duncan..Parker..Green) jogam a temporada no Lixo…você fica muito chateado…Vou também minimizar meu assédio a equipe esta temporada…pois pelo que vi o que vale mesmo..é acompanhar os Playoffss…lembra do Dallas de 2011 ficou a temporada toda “agonizando” ou “poupando energia”..mas na hora H..demonstrou o “brio” de campeão.
        Sorte aos Spurs e nesta temporada dos 82 jogos vou acompanhar somente 40 jogos…
        Um abraço,

        Silas Barboza de Sousa

      • Leonardo Pankiewicz

        Bacana o comentário. É bem por aí mesmo. Também achei que faltou vontade de ganhar dos caras. O Parker sumiu mais uma vez nos playoffs, isso complicou a vida do Spurs.

  2. Esse post representa tudo o que pensei após o jogo 6. Foi vergonhoso o que a arbitragem fez.. Vou pensar 2 vezes antes de voltar a acompanhar.

  3. A verdade é que as arbitragens na NBA são extremamente caseiras e no caso do jogo entre Spurs e Thunder em um dos jogos entre os dois em San Antonio o Spurs foi visivelmente garfado dentro de casa. Tem horas que realmente dá nojo assistir determinados jogos da NBA. Sabemos que comercialmente seria muito importante o Lebron conseguir um título. Então acredito que houve uma certa manipulação para que o Miami fosse campeão esse ano. Mas fazer o que? O Spurs também deu espaço para isso. No último jogo por exemplo Parker começou num nível altíssimo e depois simplesmente sumiu do jogo.

  4. Wagner Santos

    A diferença de comportamento dos juízes na série é gritante, realmente foram muitos erros de arbitragem que também foram determinantes para que o Thunder fosse o campeão do Oeste. Mas existe um detalhe, a baixa produção de alguns atletas do San Antonio, também influenciaram no resultado. Danny Green, Matt Bonner, Gary Neal, Tiago Splitter, não jogaram no mesmo nível dos outros confrontos. E além mais a pontaria calibrada dos jogadores do Thunder, quem diria que Serge Ibaka anotasse 26 pontos em um jogo da série, Nick Collison e Thabo Sefolosha, conhecidos pela marcação, também marcassem tantos pontos.

    Concluíndo, o San Antonio perdeu por todos esses motivos e não apenas um detalhe foi marcante na série. Tomara que na próxima temporada, a sorte esteja do nosso lado.

  5. Pessoal que acha que o Parker (ou o Duncan) sumiu nos offs… o que é isso gente?
    Nossos coadjuvantes sentiram a pressão, mas o Thunder sufocou demais. O time é muito forte fisicamente, e tem em ótimos jogadores e uma estrela excepcional. Vejam a diferença nas médias de idade. Foi a idade, a condição física, que decidiu as finais das duas conferências.
    Perdemos porque o Thunder é muito forte. Simples assim. Igual a 2004, quando fizemos 2×0 e perdemos 4 seguidos. Faltou “brio” de campeão àquele time também? O mesmo time campeão em 2003 e 2005? Ou é porque o Lakers era muito forte e acabou não dando pra gente? E, paradoxalmente, aquele Lakers perdeu do Pistons assim como o OKC perdeu do Heat.
    Botar a culpa na arbitragem ou dizer que nossa estrelam negaram fogo é ingenuidade pessoal.

    • Silas Barboza de Sousa

      Primeiro.Ele sumiu na série contra o Thunder,depois assumiu em entrevista.Duncan sumiu também..isto é fato.
      Segundo.Faltou sim Brio de Campeão,fato que S-JAX reconhceu antes mesmo da série terminar.
      Desta forma contra fatos não há argumentos,eu não protejo ídolos,tenho que ser realista e fidedigno com a verdade,indepedente se vai afetar A ou B…Pop pensa da mesma forma pois sabia que a equipe tinha gás para chegar inclusive com idade avançada,mas infelizmente fraquejou psicologicamente,não é a toa que Duncan e Parker ainda levam bronca do comandante.Mas temos que exaltar quem não se escondeu…Valeu Manu,S-JAx(nosso bravo guerreiro),Neal,Diaw,Leonard e principalmente Spliter..que mesmo errando demonstrou uma garra e equlibrio psicologico…O Thunder é bom,mas ficou provado na temporada regular e nos offs que se estivessemos equlibrados na cabeça..eles não teriam chance alguma..como também Miami…Como pode uma equipe tomar virada vencendo por 11 em tres jogos seguidos de uma serie?
      PS.:Danilo,eu não consigo entender sua linha de raciocínio sobre NBA,você sempre busca uma rota distinta da minha..mesmo quando a situação está representada em fatos comprovados…considero muito estranho…

      • Silas, você tem algo contra os meus comentários ou contra a minha pessoa?
        Quer dizer que ninguém tem o direito de discordar de você? Só porque em dois posts apresentamos pontos de vista opostos, não quer dizer que sempre busco uma rota distinta da tua. E se você ler com atenção meus comentários verá que nem sempre discordo.
        O que te incomoda tanto quando alguém discorda? Lamento se você se sente ferido com meus comentários.

        Agora, quanto a fatos comprovados, eu li na época o que disse o Captain Jack. Só que de um atleta que está buscando a vitória numa série apertada, é óbvio que vá cobrar empenho dos colegas mesmo. o cara quer vencer, mas em lugar algum disse que faltou brio da campeão. Disse que precisariam suar e muito, o que é óbvio em qualquer esporte de alto nível.
        Parker e Duncan não sumiram como se tivessem tremido na base ou faltasse “brio”. Foram bem marcados, só isso. O perímetro do Thunder é muito forte e atlético, era normal que o Parker sentisse isso. ele jogou menos do que conseguiria não porque tremeu, mas simplesmente porque é dificílimo jogar contra o perímetro do Thunder.
        E o garrafão do OKC tem uma boa dupla. Se Perkins não é espetacular, pelo menos eu garanto que ele fez a melhor série da vida dele contra o Spurs. E o Ibaka tá voando defensivamente. O Duncan, diga-se de passagem sozinho e nessa idade, não teria chance contra essa dupla. Claro que a cinco anos atrás ele devoraria os dois no café da manhã. Mas não hoje.
        Dizer que dois caras que já foram MVP de final tiveram falta de “brio”, ou que uma das mais vitoriosas franquias da era pós-Jordan teve falta de brio da campeão, se não for exagero, não sei o que é.

        Não acredito que querem diminuir a força do Oklahoma City Thunder por colocar a culpa na arbitragem ou dizer que nossas estrelas sumiram.

  6. Leonardo Pankiewicz

    Bom pessoal, eu acho que o Spurs poderia ter ganhado se alguns dos jogadores citados tivessem jogado melhor, mesmo com os problemas com os juízes. Então não acho que a arbitragem foi o único fator, mas na minha opinião, entendi como sendo o mais importante. Frente ao fato citado, de que a marcação de perímetro do Thunder estava forte demais, separo o matchup Westbrook – Parker e faço as seguintes perguntas: será que Westbrook poderia marcar Parker tão bem com 2 faltas no 1º quarto? E se tivesse 4 no 3º? Se ele tivesse 4 faltas no 3º, nem estaria em quadra. Creio que não seria nenhum absurdo pensar nessa situação. O que Westbrook distribuiu de mãozada no Parker, não tá no mapa. E penso que todo mundo consegue vizualizar que fica muito mais fácil marcar batendo. E se a arbitragem não aponta as faltas, a pancadaria continua e a “pressão defensiva” exercida é muito maior. É ilegal, mas é maior. Assim a defesa funciona muito bem.

    Acredito que no basquete, os limites de falta pessoal e coletiva fazem com que a questão sobre as faltas, por exemplo, sejam de extrema importância, pois elas podem alterar totalmente o fluxo do jogo inteiro, muito mais facil e rapidamente que no futebol. Concordo que o Thunder tem uma excelente equipe e que se alguns dos jogadores do Spurs tivessem momentos melhores, a coisa teria tido um final mais feliz mesmo com a arbitragem. No entanto, sou da opinião de que sem os prejuízos causados pelos árbitros, o Spurs poderia ter saído vitorioso mesmo se esse jogadores “sumidos” continuassem sem aparecer. E digo mais, provavelmente, sem os erros de arbitragem, alguns dos jogadores sumidos fatalmente teriam aparecido. Creio que Parker seja claramente um deles. Ele destruiu o Thunder no 2º jogo da temporada regular (42 pontos), fez um excelente jogo no 3º (25 pontos). Se apresentou muito bem nos 2 primeiros jogos da série (18 e 34 pontos). Ninguém some assim não. É o que eu acho

    • Então, Leonardo, eu não tenho uma opinião tão distinta da sua. Não despercebo que a arbitragem foi sim tendenciosa. Realmente, marcar um cara liso e habilidoso como o Parker carregado de faltas é quase impossível.

      Respeito a opinião de todo mundo que creditou nossa eliminação aos árbitros ou às estrelas não terem desenvolvido seu melhor basquete. Sim, a arbitragem atrapalhou. E sim, Parker e Duncan jogam mais do que aquilo que vimos. Mas estes não foram os fatores decisivos, na minha opinião.

      Para mim, o principal fator que nos eliminou foi a força do OKC. Os caras são bons mesmo, oras. E isso de forma alguma desabona nosso time, porque perder pra alguém que é muito forte é honroso.

      E um fator secundário, por ordem de importância, foi a péssima atuação dos coadjuvantes. Vejamos bem: o Spurs emendou várias sequencias de vitórias na temporada regular. Chegamos aos offs com 10 vitórias seguidas, pra depois ainda varrer o Jazz e o Clippers com 8-0. Principalmente na temporada regular, quem estava por trás da ótima performance do time? Mills, Splitter, Neal, Green e até o Bonner. Eles matinham um ótimo ritmo quando os medalhões estavam no banco. O Pop até poupou nosso Big 3 em alguns jogos. O time confiava neles. Contava com eles. Esperava que eles continuassem o bom jogo, ajudando o time a disparar quando as feras estivessem em quadra, e mantendo o time no jogo quando as estrelas descansavam. Mas não foi isso que aconteceu. Os caras tremeram mesmo, infelizmente. O Jack falou isso quando deu aquela declaração cobrando empenho.
      Uma coisa que ficou muito claro pra mim é que, durante o jogo, principalmente jogos 5 e 6, quando o Spurs tinha os titulares em quadra, podia bater o Thunder. Mas com Duncan, Parker, Jackson, Manu e Leonard no banco, a coisa ficava muito, muito feia.
      E nos 2 minutos finais, surgia alguém que tem tudo pra ser Top 5 de todos os tempos da NBA, e tem tudo pra ser um dos maiores clutch players da história da Liga: Kevin Durant. Deu medo de ver ele jogar. Mesmo marcado pelo Jack, um dos melhores defensores de perímetro da NBA, o Durant não erra uma única bola. O cara tava impossível, bola na mão dele era ponto e acabou. Algo que não aconteceu contra o Heat, por exemplo, em que as características dos jogos eram totalmente distintas.

      Em terceiro lugar, sim, a arbitragem ferrou com a gente em alguns pontos, principalmente invertendo algumas faltas de ataque do estabanado do Westbrick.
      Mas, na humilde opinião deste que vos escreve, esta participação da arbitragem não foi decisiva. Se o Splitter não tivesse apanhado feio do Ibaka e do Perkins, se o Green tivesse mais coragem pra atacar, o Leonard (que foi bem) tivesse sido mais acionado no ataque, se o Bonner errasse menos bola de onde estava arrebentando, a sorte teria sido diferente pro nosso lado.

      Mas eu fiquei muito contente com a performance do time nessa temporada. Nâo esperava que fizessem tão bonito, com longas sequencias de vitórias, inclusive detonando o Lakers em 2 jogos da temporada regular (um deles sem e outro com Kobe). É esse time, a respeito do qual foi dito depois do nosso último campeonato, em 2007, “this is not a championship team anymore”, esse é o Spurs que dá orgulho. Essa é a franquia modelo, que distribui seus talentos por toda a liga na forma de GMs, de coaches, de scouts e de jogadores draftados lá nas últimas posições e que vem pra detonar.
      Nenhuma outra franquia, nem de longe, apresenta tanta influência na Liga de 1998 pra cá quanto o San Antonio Spurs. E isso me dá orgulho.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 51 outros seguidores