Brasil tem boa atuação, mas perde para Estados Unidos

A seleção brasileira enfrentou o favoritíssimo time norte-americano nesta segunda-feira (16) e, apesar da derrota por 80 a 69, não decepcionou. O Brasil começou arrasador, e abriu uma vantagem de 27 a 17 no primeiro quarto. No segundo período, a equipe americana acertou sua defesa, forçando o Brasil a cometer expressivos doze desperdícios, e conseguiu reverter o placar, indo para o intervalo vencendo por 37 a 32.

(Nathaniel S. Butler/NBAE/Getty Images)

O Brasil sentiu a superioridade física dos americanos nos dois últimos quartos, e teve sérias dificuldades quando Marcelinho Huertas não esteve em quadra. O armador teve uma atuação de alto nível e terminou a partida com 13 assistências, além de ter anotado 11 pontos. E para completar, o astro Lebron James estava inspiradíssimo e saiu de quadra com 30 pontos, sendo o cestinha do embate.

Tiago Splitter, pivô do San Antonio Spurs, teve uma atuação modesta, sendo pouco ativado no ataque e marcando seis pontos. Na defesa, o jogador encontrou algumas dificuldades quando teve que marcar Kevin Durant, mas em geral realizou um bom trabalho e conseguiu coletar seis rebotes.

About these ads

Sobre Bruno Lorscheiter Alves

Jornalista amador, apaixonado por esportes, basquete e lógico, San Antonio Spurs.

Publicado em 16/07/2012, em Londres 2012 e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. 17 Comentários.

  1. Bruno, discordo quanto ao Splitter. Ele foi muito bem. Mandou umas bolas difíceis no ataque, e na defesa nem Carmelo nem Chandler nem Love (em seus poucos minutos) foram bem contra ele. Carmelo, aliás, tomou um banho do Tiago e do Nenê.
    Huertas jogou melhor que Deron Willians e de igual pra igual com CP3.
    Sem um garrafão decente os EUA vão penar muito nessas Olimpíadas.

    • Bruno Lorscheiter Alves

      Opa, também não achei que ele foi mal, só achei que ele foi pouco ativado no ataque, recebeu a bola poucas vezes, mas quando recebeu foi bem. Na defesa também achei que ele foi razoável, só se complicou quando ficou de matchup com o Durant.

  2. Bom jogo!! eu gostei, e o Splitter esteve bem sim. Na realidade a maioria dos brasileiros esteve bem, com algumas exceções. Mas é isto mesmo: nem todo jogo encaixa tudo.

  3. Silas Barboza de Sousa

    Jogaram como nunca mas perderam como sempre!Os EUA ao meu ver jogaram em seu pior nível,ontem sem dúvida foi a atuação mais medíocre que eu vi da seleção americana desde as Olímpiadas de Atenas…Com erros individuais formidáveis,acabou se intimidando com a boa apresentação do Brasil no primeiro quarto.Não creio que o Brasil fará frente a EUA,França,Espanha,Lituânia e Rússia,simplesmente por um detalhe que no basquete é fundamental,equilíbrio emocional…Basta ver o que aquele Raulzinho na pressão tentou fazer no time……Agora os EUA que se cuide faça isto com a Espanha que os irmão Gasol não vão perdoar mesmo..pode ter certeza…Quanto ao Spitler foi o mesmo de sempre,apesar de não conseguir mudar minha opnião sobre o cara…apesar de Spurs tenho que ser realista..ele é muito esforçado…muito mesmo…mas muito fraco para estar na NBA..muito fraco mesmo..talvez no auge da NBA nos anos 80 e 90,ele nunca entraria na Liga…pois naquele época jogadores fracos só entravam se fossem aberrações como Manute Bol(2.31) e Gheorghe Muresan(2.31).
    Acho legal vocês elogiarem o Thiago,mas galera precisamos ser mais realistas…pois não é um conto metafísico…e sim as Olimpíadas….

    • concordo contigo quanto ao tiago splitter.
      não sou brasileiro, sou português, mas acho que o tiago splitter nunca vai ser um bom jogador na nba.
      acho que é um razoavel suplente mas parece que não vive o jogo, precisa de ter mais raça e oxalá na proxima época esteja assim e ajude os SPURS a serem campeões.

    • Cara, não fala besteira. Gente que fica de historinha com clichê tá cheia por aí. Sabe por quê os EUA jogaram mal no começo? Porque o Brasil ferrou a marcação.
      Basquete é defesa cara. Jogar sem a bola é muito mais importante do que jogar com ela. Quando um cara está com a bola, os outros 9 que estão sem ela precisam saber o que fazer. E o Tiago sabe muito bem.
      Meu, o Raulzinho tem 19 anos, e estava em Washington enfrentando Chris Paul e o trator do Russel Westbrook. Ele sentiu a pressão, obviamente.
      Só que Nenê, Varejão e Splitter acabaram com Chandler e Carmelo dentro do garrafão. Aliás, Carmelo quem? Na 4 ele foi uma piada, graças ao ferrolho que foi o garrafão. Se o Carmelo tivesse ficado mais uns minutos em quadra o Brasil poderia ter vencido. O coach K colocar ele de titular ao invés de Durant obviamente é esconder o jogo. Até o Alex foi bem na marcação, embora seja quase um palmo menor do que ninguém menos que James, a quem ele marcou em boa parte do jogo.
      Aliás, LeBron ainda é imarcável por um jogo inteiro, mas nos momentos em que ele sobrou com Nenê em cima dele, ele suou a camisa. Acho que Nenê é um dos melhores marcadores do LeBron na NBA. Varejão colocou o Tyson Chandler no bolso.
      E o Leandrinho travou um grande duelo com Kobe. KB correu pra caramba pra marcar ele, por isso ele não teve uma grande participação no ataque. Só que o mesmo ele fez com o Kobe, a fera também não atacou nada bem com Leandrinho nos calcanhares dele.
      E, finalmente, Huertas. Detonou com o Deron Willians, e jogou de igual pra igual com Chris Paul. Westbrook nem conto, já que ele não é um armador de verdade. Nosso Huertas deu show ontem, a mídia americana ficou doida de ver ele jogar.
      Só nos faltou um pontuador mesmo, aquele me pudesse meter umas bolas no momento certo, quando os EUA queriam estilingar no placar. Marcelinho tremeu na base de novo contra um time de ponta.
      E seria bom que tivéssemos um armador cerebral para a reserva de Huertas, porque está claro que o garoto Raulzinho ainda está cru para este tipo de jogo.

      Então, antes de falar besteira, assista de novo o jogo e vê se pensa um pouco.
      Você diz que os irmãos Gasol vão ser um problema para os EUA? E em quê o garrafão espanhol é tãããoo melhor assim que o do Brasil? Sim, eles são um tiquinho melhores, mas bem pouco mesmo. E os dois tem um garrafão melhor que os EUA, que sem Howard é um time comum lá dentro.

      • Silas Barboza de Sousa

        danilovboas,eu respeito você cara.Não precisa baixar o nível.Compreendo sua opinião,discordo da mesma.mas nem por isto vou apelar na volúpia desta verborragia que se propôs a escrever.O problema é que sua opInião além de ser uma visão de “atleta” ,é uma visão contaminada pelo sentimento patriótico.Compreendo esta “balela” de adorador da patria,mas não esqueça que o basquete é universal,independente da pátria,a realidade e a verdade são as mesmas.Os EUA como disse realizou uma apresentação medíocre,que não foi por marcação de X,Y ou Z..e sim por deficiência técnica de seus jogadores cometendo muitos turnovers não forçados…erros incríveis de enterrada e marcação frouxa demais…Acho que Kobe falou muito quando comparou esta equipe com o Dream Team de 92…esta equipe tem muitas deficiências…Lebron realmente não é esta máquina que todos pintam…Mas temos que concordar com uma coisa…pelo talento…esta seleção com todos os atletas jogando 65% do que sabem era para simplesmente mandar 20,30,40 pontos com facilidade no Brasil…Não sou eu apenas que digo,mas sim analistas da NBA e da ABC americana…pois não vemos com olhos “viciados” de atletas como você e sim com “amplitude analítica”.
        Deixando claro não sou melhor que ninguém,mas já tenho experiência de 15 anos analisando basquete,assistindo inúmeros jogos…independente da liga..até mesmo liga menores como da Geórgia…e costumo fundamentar minhas opiniões em visão de mercado…e deixando claro também ganho dinheiro com basquete…mas sou imparcial no meu conceptismo…

      • Antes de qualquer coisa, também respeito você. Estou falando do seu comentário, e não da sua pessoa. Cara, baixar o nível? Porque eu falei pra você não dizer besteira, isso é baixar o nível?
        Além de usar um monte de clichê você ainda me vem com essas palavras do arco da velha? Pra quê? Pra provar que é capaz de discutir?

        Sentimento patriótico? Tenha dó! Camarada, vou ter que repetir: abandone esses clichês infantis e pense por você mesmo. Meus comentários estão por todos os blogs de basquete na internet com esse mesmo nick ou como Danilo apenas, e todos podem encontrá-los facilmente nos posts sobre a seleção brasileira. Já falei em todos eles que o Brasil lutará pra ficar entre os 7, e que os EUA são francos favoritos. Já falei inúmeras vezes que os EUA precisam de uma zebra terrível pra perder o ouro.

        Você fundamenta suas críticas em analistas americanos? Então cite suas fontes para todos conferirmos, porque o que eu li no site da seleção americana, dos jogadores e do coach K é que eles penaram, e muito, ontem. Li que eles sabem que o Brasil é bom, e respeitam muito esse time.
        E se uma análise positiva de um brasileiro sobre a seleção de seu país, segundo o seu raciocínio, está carregado de patriotismo, então por quê a suposta opinião de um um analista americano estaria isenta?

        LeBron não é essa máquina que todos pintam? Nisso tenho de concordar. Mas ele está essa máquina. No momento ele é com sobras o melhor dos melhores do mundo. Tecnicamente, fisicamente e em especial mentalmente, hoje ele é o dono do jogo. E mesmo com ele fazendo seus 30 pontos que viraram costume nesta temporada o time dele sofreu.

        Outra fera, Kobe, sabe que Leandro Barbosa é um de seus melhores marcadores. ele sempre fala com muito respeito do Leandrinho. aliás, não me admira se ele não influenciar uma possível contratação do Leandrinho pra jogar com ele e o Nash no Lakers.
        Carmelo fala muito. Seu basquete vai na contramão de suas últimas declarações.
        Chandler é grosso. Defende bem mas é grosso. O Brasil detonou no garrafão. Somente com Durant o garrafão deles melhorou, mas isso sacrificou boa parte do jogo dele no ataque.

        E se você achou incrível os erros de bandeja e enterrada no jogo de ontem, então não sabe nada sobre Russel Westbrick e Tyson Chandler. Até LeBron amassou o aro em dunks em plenas finais da NBA.

        Será que você, analista de basquete há 15 anos, conhece bem o trabalho de Rubén Magnano? Sabe que ele bateu o time principal dos EUA duas vezes em campeonatos oficiais? Viu o jogo que ele fez contra os EUA no campeonato mundial na Turquia em 2010? Os EUA estavam com o time misto (mas a maioria desse time atual estava lá), mas o Brasil também não estava com força total.
        Entende que o Brasil se classificou para as Olimpíadas por vencer a Argentina dentro da casa deles no pré-olímpico sulamericano? E que não foi campeão do mesmo na final contra a própria Argentina por muito pouco?

        E uma dica final: palavras estranhas não melhoram a argumentação de ninguém. E pesquise sobre o uso de aspas.

      • Silas Barboza de Sousa

        danilovboas se você considera estranho o meu vocabulário,só prova o qual limitado é o conhecimento de muitos brasileiros,como você,em relação ao seu próprio idioma.Não tenho culpa que me preparei na condição de uma formação mínima intelectualmente,que deveria ser obrigação de todos.Quanto a quem é melhor disso ou daquilo não vale a pena ficar discutindo aqui…Quanto a fontes não precisa ir muito longe..vá no site da NBA(nba.com) ou assista a ABC ou ESPN Americana…pois daqui não aprenderá muita coisa…como dizem os americanos o que acontece aqui no Brasil fica no Brasil,por nossa visão limitada…Tão limitada que nos veiculos nacionais deram mais importância ao beijo do Obama do que a partida.Quanto as “aspas” não se preocupe mando alguns excertos corretos para você…no fórum é rápida a escrita…
        Apenas saiba que conheço muito bem o Ruben e admiro seu trabalho pela competência e demasiada exigência…Afirmar que nossa seleção não briga por medalha nem de bronze não é demérito algum é ser fiel a realidade..Daqui um mês me dará toda razão…Sou fã do Basquete americano..mas nem os americanos acham isto que você conidera do Lebron….uma máquina…não é a toa que sua popularidade é baixíssima entre o público e alguns especialistas da NBA…A única máquina desta equipe se chama Kobe Bryant e como promessa Kevin Durant…eu conheço pelo menos 800 formas de marcar Lebron James….Quanto aos posts pela Internet isto não te levará a lugar algum..apenas a dar audiência ao medíocre nível que temos no Brasil em relação a Basquete…procure ganhar dinheiro com isto será mais útil…

      • Cara, olha por onde você viaja ao escrever: “Não tenho culpa que me preparei na condição de uma formação mínima intelectualmente,que deveria ser obrigação de todos.” O fato de eu conhecer o significado das palavras não as torna menos estranhas.
        Ficarei repetitivo, mas aqui vale a pena: abandone esses clichês e essa mania de querer aparentar humildade ao mesmo tempo em que tenta pisar nos outros.
        E não tenta revertar o negócio pra me repreender que a coisa fica pior ainda. Conhecer o idioma traz a reponsabilidade de usá-lo para acrescentar algo, não para papagaiar um monte de baboseiras por aí.

        Somente assisto jogos da NBA na ESPN americana. Quanto ao Obama, bem, os brasileiros da transmissão foram tolos aos dar mais importância ao beijo dele do que ao jogo, mas quem foi que atrasou o jogo esperando o bonito chegar? Os brasileiros? Quem foi que celebrou e gritou muito mais com o beijo do presidente do que com as jogadas do time? A torcida brasileira ou a americana?

        Sobre o James, o que tem a ver popularidade com qualidade? O San Antonio Spurs é um dos times menos populares dentre os mais relevantes na Liga, mas isso não muda o fato de eles serem tão dominantes na era pós-Jordan.
        Sua popularidade é baixa devido à decisão de ‘levar os talentos para South Beach’, passando por cima do Cavs. Mas me admira que seja ao mesmo tempo tão baixa e que ele tenha recebido o título de King James. Não sou defensor do basquete do LeBron James. Não porque ele não precisa disso. Ele é fera técnica e agora mentalmente, quer o povo goste dele quer não.
        E puxa vida, você poderia ter feito fortuna, se é que já não fez, aconselhando o péssimo defensor Kevin Garnett a como defender LeBron James, já que ele não parece conhecer nenhuma de suas 800 maneiras de marcar LeBron James.
        Escreve um livro, cara.

        Se você ganha dinheiro com basquete, que bom pra você, espero sinceramente que ganhe cada vez mais.
        Mas o que aparenta é que você simplesmente pega o que a imprensa americana escreve e reproduz aqui.

        Sabe cara, acho engraçado você investir seu tempo em responder a uma discussão em um medíocre veículo nacional, que obviamente está muito aquém do seu talento como analista de basquete.
        E pra finalizar, acho que você deve desculpas, não a mim que não me ofendi com os teus comentários, mas ao blog Spurs Brasil, a quem você chamou de medíocre, embora faça tanta questão de comentar por aqui.
        Basquete é minha diversão há 14 anos, não preciso nem quero ganhar dinheiro com ele.

  4. Bruno Pongas

    Relaxa aí galera :)

    Eu concordo com o Danilo quanto ao LeBron James. O cara tem popularidade baixa porque é mala, mas que joga muito isso é indiscutível. Eu também tô pra ver essas 800 formas de marcar o LeBron. Se elas existem, nosso Gregg Popovich não as conhece, pois no jogo entre Spurs e Heat na última temporada regular o LeBron fez o que quis na defesa do Spurs.

    Quanto ao beijo do Obama, isso é fanfarra, faz parte do entretenimento, sinceramente não vejo nada demais.

    • Silas Barboza de Sousa

      Bruno,
      Lebron James é um jogador ótimo jogador com lampejos de excelência.Mas o que quis expressar é que além da sua baixa popularidade,ele não é este formidável jogador que a mídia expõe aos fãs..ele é cheio de defeitos…mas as artimanhas e plasticidade dele escondem as suas mediocridades…por exemplo na temporada regular ele cansou de amassar o aro em várias partidas..inclusive contra o Boston Celtics…se quer saber das 800 formas..pergunte ao Doc Rivers..que cansou de bater no Lebron este ano…só não deu nos playoffs por a carga do Boston não sustentava mais. Muitos vão dizer que até o MJ amassava o aro,sim é verdade,mas não tantas vezes…mas nunca verão isto pois infelizmente os números são mais reverenciados do que o jogo disputado…Por exemplo o Heat marca 90 pontos…pela má distribuição da equipe..Lebron fez 45 pontos…mas isto não significa que o cara jogou bem….aí está a diferença e o angulo que analiso as partidas…

      • Bruno Pongas

        Eu entendo seu ponto, mas não acho que dá pra comparar LeBron James com Michael Jordan, ainda é muito cedo. Ele amassa o aro muitas vezes, é verdade, mas o Kobe também. Basta pegar um final de jogo do Lakers em que ele não esteja inspirado que você vai ver o Kobe amassando o aro. Isso faz parte do basquete, sobretudo para jogadores que decidem, como é o caso dos nomes citados.

        E eu acho difícil um jogador marcar 45 pontos e jogar mal, sinceramente. Marcar mais de 40 pontos num nível profissional como é o da NBA não é pra qualquer um, ainda mais dividindo o tempo de quadra com outras duas estrelas.

      • Vejam só pessoal: na temporada de calouro deles, 2003/2004, Carmelo e LeBron disputaram palmo a palmo pelo prêmio de calouro do ano. Na minha opinião Anthony jogou mais naquela temporada e merecia o prêmio. Tanto é que o James não levou o Cleveland naquele ano aos playoffs e Carmelo conseguiu com o Denver, embora tenha caído na primeira rodada.
        Passadas algumas temporadas, o Denver continuou caindo na primeira rodada, enquanto o Cavs chegou a fazer final em 2007, para a nossa alegria (que torcedor do Spurs não lembra daquela varrida?).
        Claro que não podemos atribuir somente aos dois isoladamente o resultado final das campanhas dos times, mas é óbvio que os dois tem a maior parcela da responsabilidade.
        O que podemos ver disso? No começo muito parelho, embora de posições diferentes, a diferença entre o basquete dos dois só aumenta. 9 temporadas atrás era difícil dizer quem dos dois seria melhor. Hoje isso é evidente. Carmelo continua patinando em posições intermediárias de tabela, não importa o elenco que tenha ao seu redor. James, por outro lado, já fez três finais de NBA e ganhou sua primeira. Quantas vezes Carmelo chegou perto de ser MVP? Quantas vezes James foi MVP?
        O objetivo desta comparação é mostrar que o basquete de James está em constante evolução.
        No começo o negócio dele era a descomunal vantagem do físico absurdo que possuía. Hoje ele é muito mais do que isso. Ele é inteligente, não como um Jason Kidd, é óbvio, mas é inteligente. Ainda tem um físico avantajado, embora tenha sentido a temporada passada. Seu jogo de post up melhorou 400%. Ele definitivamente não sabia jogar de costas pra cesta, mas hoje já pode fazer essa função. Ele teve aulas com ninguém menos do que Olajwuon pra isso.
        Sua habilidade no controle da bola continua a mesma e seus arremessos também. Ele não é um grande arremessador não, mas também não é ruim. Para alguém que pode jogar de 2 a 4, seu arremesso precisa melhorar sim.
        Mas a melhora absurda do LeBron, aquilo que realmente fez diferença no seu jogo, que o transformou de Amarelon James em Campeão James foi mental. Vejam como ele controlou o jogo na série final. Ele sabia que tinha superioridade em experiência e percebeu que poderia fazer isso jogar a seu favor contra o Thunder. Tenho certeza absoluta que tem a mão de Pat Riley nisso tudo.
        Resumindo: LeBron James reúne hoje os atributos necessários para ser o melhor jogador da NBA. Tem um fisico que ainda sobra, é bom tecnicamente, tem um arremesso de média e longa distâncias aceitável, infiltra muito bem, está mental e emocionalmente controlado e agora tirou um peso das costas.

        Não, LeBron James não é mágico nem nunca vai ser. É um jogador que desequilibra, mas jamais será um Michael Jordan. Mesmo ao nível do Tim Duncan duvido que ele chegue. James não é um clutch player e mesmo chegando ao patamar em que está hoje vemos que ele nunca vai ser. Ele rende mesmo durante as partidas, nos últimos minutos ele ainda prefere passar do que chutar.

        Doc Rivers, junto com o Gregg, são os dois melhores treinadores da Liga. Mas também tem os elencos mais envelhecidos, e isso pesa e muito ao enfrentar LeBron. É claro que eles sabem o que fazer para defender o James (eu realmente acho que o Spurs teria sido campeão se passasse pelo OKC). O duro é ter as peças certas pra isso, na condição certa.

  5. Silas Barboza de Sousa

    Amigos,resumindo e finalizando aqui.Eu infelizmente não consigo identificar estas qualidades todas descritas no jogo do Lebron,acho que ele ao contrário do Antony,um jogador que evoluiu muito na questão mental,técnica e física de seu jogo,mesmo assim sua exuberância esta mais no marketing do que na reprodução de um jogo fundamental…Ganhou o premio de MVP merecido sim.Quanto a MJ apenas relatei o que a cabeça do Lebron pensa em ter como referência o melhor..a mesma coisa o Kobe pensa em passar ou igualar ao MJ…Kobe é muito mais jogador que o LEBRON e assista um jogo do Lakers que verá que Kobe amassa o aro mais não como Lebron..que exagera…
    Quanto ao Miami,um título por sorte por acaso…junto com o Lakers de 2010..um título imerecido péla campanha..pelo elenco…pela organização da equipe..pelo técnico…Miami foi uma bagunça a temporada toda….Se os Spurs passasse fatalmente seria campeao..pois nos não temos amareloes como Durant e Russell…
    Finalizando sobre o Lebron,este é seu auge,teremos jogadores futuramente muito mais completos do que o mesmo…que até hoje caracterizo como uma eterna promessa…pois quando surgiu ele proprio se intitulou para a ESPN como o novo “King”..melhor que MJ..Isto não significa que não goste do Lebron,mas analiso o jogo em si..alias vale a torcida para o mesmo levar mais uma medalha de ouro para USA…QUE PODE SER A ULTIMA DOS PROFISSIONAIS ACIMA DE 23 ANOS…

    • Concordo em duas coisas: o Heat realmente ganhou o título numa feliz série de coincidências para eles. Eram os piores dos 4 finalistas de conferência. Battier, Miller e Chalmer fizeram a série da vida deles, duvido que venham a repetir isso.
      Quanto a LeBron, realmente este é seu auge. Chegou onde tinha que chegar. Perceberam no final do All Star Game 2012 ele chorando de dor? E na série contra o OKC, no jogo 4? Aquelas cãimbras são puro desgaste. Seu físico foi ao limite nessa temporada, ele deu o seu máximo e o corpo cobrou o tributo. Ele ainda é um touro, mas um touro que começa a sentir o cansaço. Pode até fazer mais uma ou duas temporadas neste nível, mas logo começará uma curva descendente, pouco inclinada no início, mas contínua. Igual a Dwyane Wade, que já inicou aos poucos a decadência.

  1. Pingback: Tá chegando… | Spurs Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 50 outros seguidores