Cards e um pouco de história

Para quem não sabe, me formei em jornalismo no fim do ano passado. Desde então, trabalho na Mob36, uma agência de produção de conteúdo. Entre outros trabalhos, somos responsáveis pela página de automobilismo do iG – projeto em que estou inserido desde que consegui meu diploma. Um dos donos da empresa, Mauricio Teixeira está prestes a virar pai e dar um novo passo em sua vida pessoal. Por isso, está abrindo mão de alguns pertences – entre eles, uma coleção de 120 cards da NBA, recebida por o blogueiro que escreve esta coluna. As cartas são todas da década de 1990.

Por isso, resolvi usar este espaço de hoje para fazer uma brincadeira. Entre os cards que recebi, oito são do San Antonio Spurs, todos da temporada 1989/1990 – a primeira de David Robinson na equipe texana. Por isso, hoje teremos um pouco de história aqui na coluna: vou usar as cartas para ajudar a contar a trajetória do time nesta campanha.

Naquela tempotada, o Spurs, comandado por Larry Brown, chegou às semifinais da Conferência Oeste apenas pela terceira vez em sua história. Na temporada regular, a equipe terminou com o recorde de 56-26, terceiro melhor de toda a NBA – só ficou atrás de Los Angeles Lakers (63-19) e Detroit Pistons (59-23). Nos playoffs, no entanto, a equipe não foi páreo para o Portland TrailBlazers de Clyde Drexler e Drazen Petrovic, que acabou vencendo a série por 4 a 3.

Vamos então ver os cards de alguns jogadores que fizeram parte daquela campanha:

David Robinson

Meu scanner cortou um pouco os cards, mas tá valendo. Esse é da coleção Sky Box...

... e este, da NBA Hoops

Não é preciso dizer que o pivô causou impacto imediato no Spurs. O Almirante, que até hoje é um dos maiores ídolos da franquia, disputou todos os 82 jogos de sua primeira temporada na NBA – 81 deles como titular – e terminou-a com médias de 24,3 pontos (53,1% FG, 73,2% FT), 12 rebotes, 3,9 tocos, duas assistências e 1,7 roubadas de bola em 36,6 minutos por exibição. Não à toa, foi eleito o novato do ano, e ainda participou do All-Star Game daquela temporada, deixando a quadra com expressivos 15 pontos (58,3% FG, 50% FT) e dez rebotes em 25 minutos. Nos playoffs, seus números foram quase iguais aos da regular: em dez jogos, apresentou médias de 24,3 pontos (53,3% FG, 67,7% FT), 12 rebotes e 2,3 assistências em 37,5 minutos por jogo. Acima, você pôde ver dois cards de Robinson, das coleções Sky Box e NBA Hoops.

Terry Cummings

Companheiro de David Robinson no garrafão, o ala-pivô foi, talvez, o segundo jogador mais importante daquela campanha. Prova disso são seus números: Cummings disputou 81 jogos na temporada – 78 como titular – e anotou, em média, 22,4 pontos (47,5% FG, 32,2% 3 PT, 78% FT), 8,4 rebotes, 2,7 assistências e 1,4 roubadas de bola em 34,8 minutos por exibição. Nos playoffs, se tornou ainda mais importante e, após jogar as dez partidas da equipe, apresentou médias de 24,9 pontos (52,8% FG, 20% 3 PT, 80,8% FT), 9,4 rebotes e 2,2 assistências em 37,5 minutos por jogo. A carta acima é da coleção Sky Box.

Sean Elliott

Assim como Robinson, Elliot era novato na temporada 1989/1990 – e, assim como o pivô, teria papel importantíssimo na história do Spurs. Porém, ao contrário do big man, Elliot não causou impacto imediato no time. O fato dele ter jogado como titular apenas 69 das 81 partidas em que autou é prova disso. Na temporada regular, o swingman apresentou médias de dez pontos (48,1% FG, 11,1% 3 PT, 86,6% FT), 3,7 rebotes e 1,9 assistências por exibição. Nos playoffs, disputou as dez partidas da equipe e seus números subiram um pouco: 12,7 pontos (55,2% FG, 72,4% FT), 4,1 rebotes e 1,8 assistências em 29,1 minutos por exibição. O card dele é da coleção Sky Box.

Frank Brickowski

Durante a temporada 1989/1990, o ala-pivô era o principal reserva do Spurs para o garrafão. Disputou 78 jogos da temporada regular – 12 deles como titular – e apresentou médias de 6,6 pontos (54,5% FG, 67,4% FT), 4,2 rebotes e 1,3 assistências em 18,4 minutos por exibição. Nos playoffs, veio do banco nas dez partidas feitas pela equipe texana, e anotou, em média, 7,9 pontos, 4,4 rebotes e 1,1 assistências em 16,1 minutos por jogo. Sua carta é da coleção Sky Box.

David Wingate

O jogador era reserva para as posições 2 e 3 do time texano. Wingate atuou em 78 partidas da equipe na temporada 1989/1990 – duas como titular – e apresentou médias de 6,8 pontos (44,8% FG, 77,7% FT), 2,7 assistências, 2,5 rebotes e 1,1 roubada de bola em 23,8 minutos por exibição. Nos playoffs, Wingate entrou em quadra em todas as dez partidas da equipe, e apresentou uma melhora em sua produção: anotou, em média, 9,1 pontos (51,9% FG, 66,7% 3 PT, 75% FT), 3,8 assistências e 3,7 rebotes em 29,3 minutos por exibição. Sua carta é da coleção NBA Hoops.

Caldwell Jones

Assim como Brickowski, o ala-pivô também era um reserva do garrafão do Spurs. Mas sua importância do elenco texano era menor – ele chegou em atuar em 72 jogos da equipe durante a temporada 1989/1990, mas em apenas dois como titular. Na regular, suas médias foram de 2,4 pontos (46,5% FG, 20% 3 PT, 70,4% FT) e 3,2 rebotes em 12,3 minutos por jogo. Disputou nove dos dez jogos do time nos playoffs, apresentando médias de 0,9 pontos e 1,4 rebotes em 7,3 minutos por partida. O card é da coleção NBA Hoops.

Uwe Blab

O pivô alemão estava na equipe texana somente para compor o elenco – como Steve Novak fez na última temporada. Entrou em quadra em somente sete partidas daquela campanha, anotando, em média, 2,1 pontos (54,5% FG, 50% FT) e 1,3 rebotes em 7,1 rebotes por exibição. Entrou em quadra em duas oportunidades nos playoffs, e apresentou médias de 1,5 pontos e um rebote em 2,5 minutos por exibição. Seu card é da coleção NBA Hoops.

About these ads

Sobre Lucas Pastore

Um dos fundadores do Spurs Brasil, seu maior orgulho na carreira jornalística. Formado em Jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie em 2010, é editor do LANCE!Net desde 2013, três anos após ter sido estagiário do Diário LANCE!. Neste meio tempo, foi repórter de automobilismo na agência mob36, redator do UOL Esporte e colunista no Basketeria.

Publicado em 20/08/2011, em Na linha dos 3. Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. Sensacional este post c/ cards históricos! Bons tempos do meu querido Spurs…p/ relembrar, vou assistir ao jogo do QD do “Almirante” contra o Detroit. Abcs

  2. Cara, que achado. Para mim que sou torcedor do Spurs desde a era Robinson foi sensacional ver esses cards.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 47 outros seguidores