Arquivo mensal: março 2008

Pré-Jogo – Warriors @ Spurs

Pré-Jogo – Warriors @ Spurs

Local: AT&T Center

Horário: 21:30 (Brasília)

Data: 01/04/2008

Situação do jogo

Com o final da temporada regular chegando, a vaga nos playoffs ainda não assegurada e a intensa disputa na Conferência Oeste, todo jogo torna-se importante para o Spurs a partir desse momento. E o jogo contra o time de Oakland toma proporções ainda maiores após o “troca-troca” de posições que aconteceu nos últimos dias dentro da Oeste. Warriors perdeu para o Nuggets, mas venceu o Mavericks, caindo para a oitava colocação. Como o time de Dallas enfrenta o desmotivado Clippers e o time do Colorado enfrenta o poderoso Suns fora de casa, o resultado do confronto entre Spurs e Warriors pode mudar muita coisa dentro da Conferência Oeste.

Série na temporada (0-2)

11/12/2007 – Spurs 84 @ 96 Warriors

No primeiro jogo entre as equipes na temporada, uma partida sem muitos pontos e sem muita surpresa. O time de San Antonio atuou sem sua maior estrela, o ala-pivô Tim Duncan, e começou o jogo com o ala Matt Bonner na função de pivô. Com isso, a vitória do time de Baron Davis foi mais tranquila do que esperada, apesar de não ter vindo de maneira fácil. Com atuação explosiva no segundo quarto, o Warriors abriu grande vantagem e foi apenas admintrando-a durante a partida.

07/01/2008- Spurs 121 @ 130 Warriors

Jogando fora de seus domínios, o Spurs perdeu a segunda partida para o Warriors na temporada, em um jogo espetacular. Decidido na prorrogação, o jogo contou com nada mais nada menos do que 11 jogadores com mais de 10 pontos (somando os jogadores dos dois times).

Fique de olho

gsw

Baron Davis e Stephen Jackson

2007-11-29-warriors

Sim, não devemos ficar de olho no jogo de apenas um jogador, mas no jogo dessa dupla, que vem fazendo a diferença nas vitórias do Golden State Warriors. Davis é um armador que mais pontua do que assiste, e com seus arremessos precisos e belas infiltrações tem somado pontos valiosos a seu time. Já Jackson tem se mostrado um tanto quando útil nos momentos de aperto, onde costuma colocar boas bolas de três pontos. É ficar de olho no trabalho dessa dupla, que luta para levar o Warriors aos playoffs.

Análise – Março

Análise – Março

Jogos no mês: 18

Vitórias: 12

Derrotas: 6

Percentual: 66,7%

Médias* por jogador**

Tim Duncan – 16,7 pontos e 11,1 rebotes

Manu Ginóbili – 19,0 pontos e 48,6 % de aproveitamento nos arremessos de quadra

Tony Parker – 18,7 pontos e 5,5 assistências

Bruce Bowen – 7,3 pontos e 45,1% de aproveitamento nos arremessos de 3 pontos

Fabricio Oberto – 3,3 pontos e 4,3 rebotes

Michael Finley – 9,0 pontos e 40,1% de aproveitamento nos arremessos de quadra

Kurt Thomas – 5,1 pontos e 5,1 rebotes

Ime Udoka – 6,9 pontos e 37,3% de aproveitamento nos arremessos de 3 pontos

* – médias por jogo

** – principais jogadores do elenco apenas

Destaque do mês – Tim Duncan

fullj.getty-74165843ah005_jazz_spur_10_38_10_pm
Tim Duncan mostrou durante o mês de março que está preparado para mais uma pós-temporada em sua carreira. Nos momentos em que o time mais precisou de seu grande astro, ele esteve lá, decidindo partidas com pontos, rebotes e algumas assistências. O destaque do mês de março somou 304 pontos e 200 rebotes durante os 18 jogos que fez em março.

Prós e Contras


Prós: As boas atuações no final do mês garantiram uma confortável sequência de 7 partidas seguidas com vitória, e colocaram o time entre os quatro melhores times do Oeste, além de assegurar que o Spurs fosse o primeiro time de sua Conferência a atingir as 50 vitórias.


Contras: A sequência negativa de 4 derrotas consecutivas que colocou o Spurs na 6ª colocação da Conferência no meio do mês e a interrupção da sequência de 500 jogos consecutivos de Bruce Bowen, gerada após suspensão imposta pela Liga

Entre em nossa comunidade no Orkut!

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES DO SPURS BRASIL DIRETO NO SEU E-MAIL! CLIQUE AQUI E CADASTRE-SE!

Humor – Os cachorros velhos de San Antonio

Uma velha senhora foi para um safari na África e levou seu velho vira-lata com ela.
Um dia, caçando borboletas, o velho cão, de repente, deu-se conta de que estava perdido.
Vagando a esmo, procurando o caminho de volta, o velho cão percebe que um jovem leopardo o viu e caminha em sua direção, com intenção de conseguir um bom almoço.
O cachorro velho pensa:
-Oh, oh! Estou mesmo enrascado! Olhou à volta e viu ossos espalhados no chão por perto. Em vez de apavorar-se mais ainda, o velho cão ajeita-se junto ao osso mais próximo, e começa a roê-lo, dando as costas ao predador.
Quando o leopardo estava a ponto de dar o bote, o velho cachorro exclama bem alto :
-Cara, este leopardo estava delicioso ! Será que há outros por aí ?
Ouvindo isso, o jovem leopardo, com um arrepio de terror, suspende seu ataque, já quase começado, e se esgueira na direção das árvores.
-Caramba! pensa o leopardo, essa foi por pouco! O velho vira-lata quase me pega!
Um macaco, numa árvore ali perto, viu toda a cena, e logo imaginou como fazer bom uso do que vira: em troca de proteção para si, informaria ao predador que o vira-lata não havia comido leopardo algum…
E assim foi, rápido, em direção ao leopardo. Mas o velho cachorro o vê correndo na direção do predador em grande velocidade, e pensa:
-Aí tem coisa!
O macaco logo alcança o felino, cochicha-lhe o que interessa e faz um acordo com o leopardo.
O jovem leopardo fica furioso por ter sido feito de bobo, e diz:
-Aí, macaco! Suba nas minhas costas para você ver o que acontece com aquele cachorro abusado!’
Agora, o velho cachorro vê um leopardo furioso, vindo em sua direção, com um macaco nas costas, e pensa:
-E agora, o que é que eu posso fazer ?
Mas, em vez de correr (sabe que suas pernas doídas não o levariam
longe…), o cachorro senta, mais uma vez dando costas aos agressores, fazendo de conta que ainda não os viu, e, quando estavam perto o bastante para ouvi-lo, o velho cão diz:
-Cadê o safado daquele macaco? Estou com fome! Eu o mandei buscar outro leopardo para mim! ’

Moral da história: não mexa com cachorro velho… idade e habilidade se sobrepõem à juventude e intriga. Sabedoria só vem com idade e experiência.
TEAM IS EVERYTHING

Rockets @ Spurs – Chuva de pontos em San Antonio

     88×107

Em um jogo em que os ataques levaram a melhor sobre as defesas, principalmente nos dois primeiros quartos, os Spurs superaram a marca dos 100 pontos e mostraram que serão adversários de respeito nos playoffs.

O time de San Antonio entrou em quadra com Parker, Finley, Bowen, Duncan e Oberto. Ginóbili iniciou no banco, Barry foi relacionado e, com Horry ainda machucado, o jovem Mahinmi ainda assegura seu lugar no banco. Os Rockets, com as lesões de Francis e Yao, começaram com Head na armação e Scola e Mutombo no garrafão. McGrady foi para o jogo, mesmo não aparentando estar com seu ombro 100%.

Os primeiros minutos foram bastante equilibrados, com os ala-pivôs, Duncan e Scola, travando um interessante duelo. Faltando 7:51 para o fim do primeiro quarto, Finley converteu uma de 3, seus primeiros pontos na partida, e colocou o time de San Antonio 5 pontos na frente, a primeira vantagem da partida. Tony Parker começou bem a partida, ajudando a construir a diferença. No tempo técnico pedido por Pop, faltando 5:37, T-Mac recebeu tratamento em seu ombro machucado. Ao fim do primeiro período, o time de San Antonio dominou os rebotes, e terminou com o alto placar de 35 x 24. 8 jogadores do Spurs já tinham pontuado, com destaque para Parker, até então com 12 pts, 2 ast e 1 reb, enquanto só a metade marcara por parte dos Rockets.

O segundo período começou movimentadíssimo; primeiro, uma cesta de 3 de Manu. T-Mac respondeu com uma enterrada, sua terceira no jogo, mais um lance livre de bonificação após falta de Vaughn. Logo em seguida, Bobby Jackson mandou outra de 3, diminuindo a vantagem para 8 e mostrando que os Rockets estavam no jogo. No ataque seguinte, Finley converteu seus 3 lances livres, após falta fora da linha dos 3 pontos, e acalmou as coisas para os Spurs. Luther Head resolveu manter a série de ataque de 3 pontos com uma bomba de fora do perímetro. Pop então pediu seu segundo tempo para acalmar o ritmo da partida; o começo do segundo quarto mostrava que o jogo prometia!

Após o tempo, o técnico de San Antonio colocou uma formação tática que vem se tornando comum na equipe; 4 jogadores leves (Vaughn, Ginóbili, Finley e Udoka) e 1 no garrafão (Duncan). Tony Parker voltou ao jogo faltando pouco mais de 5 minutos, e logo deixou Udoka aberto para converter uma de 3. Com 13 pontos atrás, o time de Houston resolveu pedir tempo para colocar o time no lugar. Na volta, Bobby Jackson repetiu seu arremesso de 3 e mostrou que os Rockets continuavam vivos no jogo. Porém, liderados pelos 14 pontos de Finley, os Spurs abriram 15, faltando 3:20, obrigando os jogadores de Houston a irem ouvir outra bronca do treinador Rick Adelman. Mas, novamente, parece que a chamada de nada adiantou; com o arremesso de 2 pontos convertido por Vaughn no estouro do cronômetro, os Spurs foram para o intervalo com a confortável vantagem de 18 pontos, mesma marca que Finley havia alcançado naquela altura.

No terceiro quarto, o ritmo alucinante da partida caiu um pouco. Muitos erros e, consequentemente, muitos turnovers não mantiveram o alto aproveitamento dos dois primeiros períodos. T-Mac, baleado, apresentava mal desempenho nos lances livres. O quarto foi equilibrado, terminando 19 x 17 para o time de San Antonio, que aumentou um pouco mais a vantagem.

Pop aproveitou a vantagem construída nos três primeiros períodos para colocar alguns reservas na quadra. Com dois lances livres convertidos por Kurt Thomas, aproximadamente na metade do quarto, os Spurs atingiram o placar centenário; 101 x 80 naquela altura. Praticamente decidido, o jogo ficou mais aberto, com as defesas mais relaxadas; mesmo assim, a confortável vantagem foi se mantendo a favor do time de San Antonio. Fim de jogo, com o placar de 109 x 88 a favor dos Spurs.

A rotação estabelecida por Pop foi muito bem sucedida hoje; 11 jogadores participaram da partida, 10 pontuaram e 5 atingiram dígitos duplos. Com a vitória, o time chega à sétima vitória seguida e se mantém firme na briga pela liderança da disputada Conferência Oeste.

DESTAQUES DA PARTIDA

San Antonio Spurs

Tony Parker – 22 pts, 6 reb, 5 ast

Michael Finley – 22 pts, 4 reb

Houston Rockets

Luis Scola – 24 pts, 7 reb

Top 10

Tim Duncan Nº 21

Duas vezes MVP da NBA, Tim Duncan entrou em uma exclusiva lista essa semana, como um dos mais populares jogadores na liga nos últimos dez anos.

A NBA Store, localizada em New York City, anunciou as dez camisas mais vendidas desde sua abertura em 1998.

A camisa do Spurs Nº 21 de Duncan ficou em 10º lugar.

Sem surpresas, a camisa de Michael Jordan figurou na 1ª posição, seguida por Kobe Bryant, Allen Iverson, LeBron James, Shaquille O’Neal, Tracy McGrady, Dwyane Wade, Jason Kidd, Vince Carter e Duncan.

Entre em nossa comunidade no Orkut!

RECEBA AS ATUALIZAÇÕES DO SPURS BRASIL DIRETO NO SEU E-MAIL! CLIQUE AQUI E CADASTRE-SE!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 42 outros seguidores